PDA

Ver Versão Completa : Subwoofers



von moltke
19-10-12, 23:54
Confesso que nao vejo quase ninguem aqui no forum falando sobre os mesmos, gostaria de saber a opiniao de voces sobre o lugar do subwoofer na musica, visto que Marcas de som famosas, como B&W, Krell e Wilson tem seus modelos.
Eu particularmente gosto, se bem configurado.

Aquele Thor's Hammer da Wilson, é um absurdo de sonho!

Robinson
20-10-12, 21:37
Pequena imagem do menino...

http://www.magazine-audio.com/magaudio/wp-content/uploads/2010/03/omega-thor-hammer.jpg

Bem, o Renato acho que tem bastante experiência com subs. Particularmente, nunca fui muito fã em aplicações estéreo com sub, mas acredito que faltaram boas oportunidades e configurações também. O máximo que vi foi aquelas soluções meio estéreo, meio HT... Os Velodynes série DD sempre levaram a fama de ser muito musicais...

Robinson

JulioCesar
20-10-12, 21:48
" O martelo do Thor " ... Nome um tanto pretensioso , mas pela foto ... pode ser ...=))

VTR
20-10-12, 21:50
Esse aí azeda leite na geladeira...

everton6666
27-12-12, 21:10
Olá amigos!

Gosto de ouvir musica com sub ligado, acho que ele dá um "tchan" a mais... principalmente quando se ouvi um SACD 5.1 ! Digo isso por ter um sub Velodyne Optimun 10 e ter gostado muito do desempenho dele tanto em filmes como em musica, acho que ele não deixa faltar e nem exagera, é muito preciso e presente! ADORO MEU VELODYNE!

Tamv
21-01-13, 22:43
Concordo com o Everton... Um sub bem acertado tende a dar um up em algumas audições, principalmente nos "rocks" e audio 5.1 .. Dentre as opções que testei, a que mais se encaixou no meu gosto/bolso foi o sunfire hrs-10. Um sub selado bem musical, que não faz feio nos filmes.

FelipeRolim
21-01-13, 23:52
Eu uso subwoofer em 100% do tempo.

Quando assisto a filmes (o que raramente ocorre), é unanimidade que um subwoofer joga para o alto a realidade dos efeitos especiais.

Em relação às músicas, eu configuro o subwoofer com muito cuidado, de modo que ele apenas auxilie no equilíbrio do sistema, isto é, para que o sistema mantenha, ao máximo possível, a linearidade de frequências, desde os graves, até os agudos. Não gosto de graves sobressalentes, vez que acredito que eles omitem, como consequência, os detalhes importantes das músicas, e apagam a assinatura que as gravadoras gostariam que ouvíssemos...

Em especial quando da audição de SACDs, que normalmente tem uma gravação mais cuidadosa, o equilíbrio do sistema é indispensável para que se possa ouvir detalhes, para a formação de um palco sonoro preciso e amplo, para a sensação de profundidade e de imersão (nas mídias 5.1). Um grave preponderante joga tudo isso para o alto...

Acertar subwoofer é algo difícil, na minha opinião.

Pretendo um HRS-10 no futuro também Tamv. Nunca ouvi, mas você é mais um que me impulsiona cada vez mais nessa opção.

Abraço!

iceratti
22-01-13, 11:12
Eu possuo um par de torres e devido a dificuldade em deixar elas afastadas da parede(meu quarto tem 11M2) a solução para os graves foi colocar um sub. Puxa não esperava um resultado tão espetacular. É claro que a escolha do sub(Velodyne) e os cortes das frequencias é essencial para o casamento dar certo. Nas torres o corte é de 50 e no sub 80, este foi o melhor ajuste que consegui. Com esta configuração posso deixar as torres bem perto da parede e cortando a frequencia elas trabalham mais soltas. Para quem está pensando em sub para Stereo pode ir sem medo de ser feliz.

VTR
22-01-13, 12:00
Biamplificação ativa + subwoofer de qualidade= solução nota 10

FelipeRolim
20-06-13, 10:37
Eu já não uso mais subwoofer, rs. Com o amaciamento das minhas caixas, cada vez mais passo a ter a opinião de que um set estéreo tem que ter somente duas caixas.

Para filmes, é indispensável.

Abraço!

Eduardo
20-06-13, 10:48
Eu fiz algumas experiências com subwoofers, e também acabei preferindo sem. Mas, minhas caixas já possuem falantes de graves bem generosos, mas ainda assim acho que o casamento de um sub em um sistema estéreo é bastante crítico e o melhor é ter uma caixa torre com um bom grave.

Por outro lado, já vi alguns sistemas estéreos com subwoofers, e em dois ou três casos até achei a solução interessante pela falta de graves das caixas (bookshelves).

iceratti
20-06-13, 12:56
Vejam que interessante, eu usava o sub com torres e ele só entrava nas baixas frequências e me atendia muito bem. Agora troquei as torres por books e agora a mesma regulagem e o mesmo sub já não atendem como eu gostaria. Vou ter que fazer um UP no sub pois o meu Velodyne MAX-8 já não consegue acompanhar as PL100. Na minha opinião, para stereo não se pode jogar qualquer sub, tem que ser um projeto bem elaborado. Por isso estou aguardando o Renato terminar um projeto de sub em LT.

Holbein
20-06-13, 14:35
Eu fiz algumas experiências com subwoofers, e também acabei preferindo sem. Mas, minhas caixas já possuem falantes de graves bem generosos, mas ainda assim acho que o casamento de um sub em um sistema estéreo é bastante crítico e o melhor é ter uma caixa torre com um bom grave.

Por outro lado, já vi alguns sistemas estéreos com subwoofers, e em dois ou três casos até achei a solução interessante pela falta de graves das caixas (bookshelves).

Eduardo, aqui e agora estou a quebrar um "juramento" que me fiz a mim (não é erro, é que poderia ter feito o juramento a outro...) de não discutir mais questões relacionados com caixas de alto-falantes. Como considero você um connoisseur, atrevo-me lembrar-lhe que a unica razão, e suficiente, para ter-se um subwoofer num sistema de som musical é para aliviar o falante principal das caixas das críticas frequências de 100 Hz abaixo; e já é bastante!!!. Por isso que qualquer caixa pré-fabricada desempenhará melhor se não ficar responsável por tais críticas frequências.

Luke
20-06-13, 17:16
Acrescento ao que o Holbein disse, os subs servem para se aumentar o espectro da resposta de frequência e não para criar picos nos graves.

Pergunto, qual caixa de preço acessível desce a 20hz ou 15 hertz?

A mairoira das pessoas usa o sub de forma incorreta, criando uma barriga enorme nos graves e deixando caixas e sub tocando as mesmas frequências.

Resultado: um desatre na certa.

Bi-amplificação feita com critério, não tem como não gostar.

Se vc não vai, não sabe, ou, não tem como cortar os graves da satélites (sejam elas torres ou books), esqueça. Fica melhor sem ele.

Mas se vc corta as satélites não deixando o sub trepar nas caixas, e se vc ainda cria um vale onde existe pico nos graves de forma a deixar a resposta mais plana e extensa, não tem volta.

Satisfação na certa.

Agora uma observação pessoal, eu não gosto de sub subindo acima de 50~55 hertz e por isto não recomendo setar sub acima destes valores.

Dizem que abaixo de 80hertz não conseguimos localizar a origem dos graves.

Deixando abaixo dos 55hertz, não trepando nas caixas, cortando as baixas antes mesmo do power, eu "agarantio"

Mas tb sei que para a maioria, estes ajustes são um bicho de 7 cabeças

:OK:

VTR
20-06-13, 17:43
Desde o começo, lá atras nos tempos áureos do áudio, os primeiros subs eram e foram recomendados a serem no sistema labirinto acústico e mais modernamente a famosa LT.
Todos os 2 sistemas são nada mais nada menos que um tubo sonoro, como os de órgão mas dedicados a reprodução das baixas e muito baixas frequencias.

Só que estes sistemas ficam invariavelmente MUITO grandes e assim incompatíveis com a maioria dos ambientes domésticos normais dos audiófilos.

Para compensar este desajeitamento todo são praticamente insubstituíveis pois resolvem o problema de obter graves profundos e corretos como NENHUMA outra alternativa mais recente em termos de gabinetes acústicos.

Sendo inatingíveis para a grande maioria dos audiófilos e estes não conseguindo suprir a sua necessidade de graves profundos com gabinetes e tecnologias diversas (que prometem muito mas não entregam) fica a sensação de que a reprodução correta do espectro inferior de frequencias não é possível e nem factível.
Com um monte de arrazoados sem nenhum mérito ou substância e que causam um grande mal: negam a um audiófilo interessado a chance de tomar contato com um método interessantíssimo e que iria resolver muitos dos seus problemas...

Noutras e sinceras palavras: "se não posso ter vou falar mal..."

É uma pena, um desserviço.

Eduardo
21-06-13, 08:14
Nos sistemas com subs que me agradaram, haviam subwoofers realmente de boa qualidade, e estavam muito bem ajustados ao conjunto compensando a falta de graves bem baixos.
Os que não me agradaram usavam subs mais recomendados para os "gravemaníacos" de salas de HT, e estavam muito desajustados, com os graves evidentes demais e pouco naturais.
Aliás, esse é um problema que noto principalmente em sistemas de HT, graves exagerados, sem precisão e pouco naturais.
Cansei de ver nos "hi-fi shows" da vida salas de demonstrações onde parecia que o único componente que existia ali era um subwoofer. Eu gosto de graves, mas não aguentava ficar nem 1 minuto numa sala destas.
No meu HT eu utilizo dois subs passivos construídos por mim, pois achei o resultado bem melhor do que um único, e amplificados por módulos de potência da Marantz, pois também acho que os amplificadores internos da maioria dos subs não possuem a qualidade que deveriam ter. O difícil hoje é encontrar subs passivos, que eu acho que permitem maior versatilidade do que as soluções prontas.
No estéreo, cheguei a testar estes subs, e até melhorou um pouco os graves, mas não deu ainda o resultado que mais aprecio, graves mais secos e precisos.

Quando construí as minhas caixas para estéreo, usei dois falantes de 10 polegadas para os graves, montados em câmaras independentes, com volumes ideais (sem preocupação com o tamanho), e ligações totalmente independentes. Eles podem ser ligados em paralelo, em série, apenas o de cima ou o de baixo, e tudo isso através de conectores bem práticos. Além disso, podem funcionar nas configurações selada ou "dutada", também de forma bastante simplificada e com ajustes totais do divisor e das características dos dutos. Desta forma consegui chegar aos graves que eu queria, bem ajustados à minha sala.

Concordo com o Holbein que se um dos objetivos for poupar os falantes de graves das caixas das frequências muito baixas, pode ser uma justificativa interessante, pois já vi mesmo muitos falantes danificados por conta do ouvinte tentar conseguir mais graves do que o pobre falante é capaz de fornecer. Funciona bem também.

Acho que o mais importante é conseguir essa boa integração do subwoofer no estéreo e obter graves naturais. Mas, insisto, isso não é fácil de se conseguir.
Porém, se o ouvinte, apesar de não ter conseguido este resultado, ainda assim apreciar a extensão destes graves mesmo que pouco precisos, também não há nenhum problema nisso. Defendo sempre que cada um deve ajustar o seu sistema aos seus ouvidos e ao seu gosto pessoal também. O importante é que o resultado final lhe agrade sempre. :OK:

Luke
21-06-13, 08:55
Concordo com vc Eduardo, quando fala sobre equilíbrio tonal.

Quase 100% dos sistemas com sub que já vi e escutei, além de relatos de pessoas que dizem já ter testado, são de sistemas desequilibrados :OK:

De que adianta vc fazer um sub que desce a 18hz com 116dbs, se o resto do sistema está tocando com 90dbs?

O sub tem que estar sempre com sua resposta em equilíbrio com os demais drivers do sistema.

Sistemas desequilibrados são verdadeiramente fadigantes, seja o desequilíbrio nos sub-graves, graves, médios ou agudos :OK:

Holbein
21-06-13, 13:03
A vantagem de pouparem-se aos falantes das colunas (caixas pré-fabricadas) da reprodução de 100 Hz abaixo é reduzir o vaivém dos cones; na reprodução das frequências de 100 Hz abaixo os cones dos falantes das colunas chegam a excursionar até mais de um centímetro para frente e para trás, com isso distanciando-se do ponto ótimo de desempenho dos falantes! Quer dizer, raciocínio para aqueles que acreditam que existe uma zona ótima de excursão além da qual as naturais distorções geradas pela mecânica, aumentam exponencialmente, e tornam-se audíoveis!

iceratti
21-06-13, 15:17
Concordo com o colega Holbein. Quando fiz o corte de 60Hz nas minhas torres de 2.5 vias, notei claramente elas respirando mais aliviadas, os médios e médio-graves ficaram mais naturais. Eu não abandono mais o set 2.1, mesmo fazendo um UP para caixas mais potentes.

FelipeRolim
21-06-13, 16:16
Isso depende de uma série de fatores também. O projeto da caixa realmente pode fazer com que o cone dos falantes excursionem em demasia, ou mesmo o próprio conjunto mecânico dos falantes. Porém, um fator importante a ser mencionado é a potência. É assente que a alta corrente exerce influência substancial em relação ao controle do som, o que inclui o excursionamento do cone dos falantes.

Nos casos em que corrente é pequena, e que o amplificador não consegue segurar as pontas quando toca as caixas, é bem comum haja excursionamento excessivo e, por consequência, se ouça distorção, bobina batendo, etc. Por isso que o corte em frequências mais altas pode melhorar esse fator, porque as frequências mais graves exigem mais dos amplificadores e, já em 60Hz, pode-se dizer que são relativamente mais fáceis de serem reproduzidas.

Claro que não estou me referindo aos sets dos colegas, já que não os conheço, só estou expondo outra face de uma mesma moeda.

No caso do Luke, pelo que conheço de seu sistema de alto rendimento, inclusive com crossovers ativos e várias amplificações, a brincadeira fica mais gostosa, e um subwoofer pode casar bem.

Abraço!

VTR
21-06-13, 16:24
Que nada...
O que acontece é a eliminação das intermodulações no amplificador destas cxs. que agora não tem que reproduzir frequencias tão baixas.
O corte ativo destas frequencias funciona MUITO bem, bastante melhor do que corte passivo com bobinas e capacitores.
Sugiro sempre a primeira alternativa e biamplificação ativa com subwoofer.

Tem nada a ver com excursionamento de cones que por sinal é o que fazem os woofers (e andam muito mesmo, foram projetados para esta função...)
Os bons falantes woofer são assim mas se dermos a "sorte" de ter um keybass da novik feito pela bravox no caixote aí já viu né...

Eduardo
21-06-13, 16:43
Ricardo,

Pelo que eu entendi, não é esta a questão que o pessoal levantou aqui.
A idéia é evitar a excursão excessiva de woofers que não vão mesmo responder a estas frequências tão baixas, mas que os cones se movem em função do campo magnético gerado interferindo mecanicamente onde não precisava e até podendo danificar o falante.
Se for isso mesmo que eles quiseram dizer e eu entendi, isso é fato mesmo, e quem me comentou isso foi justamente um fabricante de caixas bem conceituado: "não enviar nada para as caixas que elas não possam aproveitar ou responder, sejam graves ou agudos extremos".

FelipeRolim
21-06-13, 16:47
A grande vantagem do subwoofer, aproveitando o gancho, é poder respeitar as frequências de resposta "seguras" apontadas pelas marcas, além de conseguir "planificar" a resposta de frequência por todo o espectro audível...

Para quem ouve em volume elevado, pode até mesmo ser uma segurança a mais de que não vai correr risco de perder algum driver por excursionamento excessivo.

Particularmente, eu AMO graves um pouco mais pesados que o restante, a ponto de dar uma leve fechada na característica do som. Mas não uso subwoofer porque não tenho sentido falta mesmo, ainda que seja a favor de seu uso.

Eduardo
21-06-13, 17:03
O que deu mais trabalho no projeto das minhas caixas foram justamente os graves.
O que mais existe no mercado são "palpiteiros". Quando você começa a conversar com os fabricantes sérios, percebe que muitas coisas são um pouco diferentes.
E vejam, eu há 35 anos construo caixas acústicas, e quando comecei a conversar com alguns projetistas de respeito percebi que eu sabia muito pouco sobre isso.
Foi deles a sugestão de tornar bastante flexível a configuração dos Woofers, e posso dizer que estas caixas possuem graves para qualquer ambiente, qualquer condição e sistema.
Gosto muito das minha antigas B&W 7NT que estão ligadas no HT e os dois subwoofers passivos, mas já testei utilizando o subwoofer das minhas caixas novas. Isso é possível porque há uma saída independente antes de passar pelo crossover que permite ligar um dos subwoofers diretamente, mas, sempre com amplificação externa.
Das soluções que já vi funcionando bem, me impressionou a qualidade de um Velodyne ligado com bookshelves Tannoy. Era um Velodyne antigo, mas cumpria muito bem o seu papel.

Luke
21-06-13, 18:35
Eduardo, apenas uma ressalva.

O tópico é sobre SUB-woofers, ou seja SUB-graves.

Graves, muitas caixas são capazes de executar bem, outras com uma barriga danada, inclusive de marcas consagradas, visto que vários fabricantes já sacaram

que isto IMPRESSIONA muitos consumidores que assinam o ch na hora.

Os subgraves estariam abaixo de 40 hertz e é aí que a porca torce o rabo.

A maioria nem sabe qual a frequência dos graves que está ouvindo.

EX: graves vicerais são graves médios, por volta dos 64 hertz e este soco no peito encanta muitos, mas não tem nada a ver com sub-graves.

Quanto mais exagerado o grave for em torno dos 64 hertz, mais difícil será notar os subgraves, ou graves baixos.

Como pode uma pessoa que não ouviu um subgrave, saber se agrada ou não?

A maioria nunca teve contato com subwoofer em LT bem ajustado.

Não tem como comparar com subwoofer selado, nem bass-reflex.

E estou com o Ricardo.

Corte ativo diminui a DIM (distorção por intermodulação) tanto na eletrônica (power) quanto na mecânica, woofer das caixas.

O ganho é duplo e não apenas nos woofer.

:OK:

VTR
21-06-13, 19:01
Luke:

Vc conhece a expressão latina "vox clamantis in deserto"?

[ ]
R.

FelipeRolim
21-06-13, 19:17
Eu só posso dizer que conheço graves por volta de 30Hz. Menos que isso, nunca ouvi com eficiência, rsrs. E tocou num ponto crucial: os graves de certo modo "impactantes" não são difíceis de serem reproduzidos por boas books e torres, o complicado são os subgraves e, inclusive, é este que deixa os cabelos em pé, porque o próprio ambiente, se não for bom, sofre com as frequências muito baixas.

Legal essa troca de informações, especialmente por ter o cunho de diferenciar termos técnicos importantes.

Não entendi o latim, rsrs.

Abraço!

Luke
21-06-13, 19:29
Ricardo, no chute, acho que deve ser que estou falando sozinho no deserto.

Mais ou menos isto.

:o

Luke
21-06-13, 20:07
Corte ativo diminui a DIM (distorção por intermodulação) tanto na eletrônica (power) quanto na mecânica, woofer das caixas.

O ganho é duplo e não apenas nos woofer.

:OK:

Explicando melhor o efeito esperado com a menor DIM no power, são médios altos mais limpos.

A DIM na eletrônica faz com que ao amplificar as baixas frequências um espúrio seja introduzido lá nos médios altos, deixando os médios ardidos, ásperos, menos lisos.

Já a DIM nos woofer é mecânica.

O woofer, quanto mais próximo de seu Xmax, mais demora para voltar à posição inicial e tocar a próxima nota. Graves lentos, embolados.

Por outro lado, aliviado das baixas, longe do Xmax, o woofer fica mais rápido, voltando a posicão inicial mais rapidamente. Graves rápidos, modulados.


:OK:

Eduardo
21-06-13, 21:40
Eduardo, apenas uma ressalva.

O tópico é sobre SUB-woofers, ou seja SUB-graves.

Ué? E não foi isso que comentei logo acima?
Quando falo em graves e subwoofers, estou me referindo aos graves mais baixos, mas ainda graves. Afinal, dois falantes de 10 polegadas tiveram justamente esse objetivo... :verde&:

Quando comentei sobre o sub passivo, foi porque disponho justamente de duas opções no meu sistema, o corte ativo e o passivo, e tenho testado todas as variações possíveis, cada qual com sua vantagem e desvantagem.

Não entendi porque você acha que está falando sozinho, mas se prefere... :wave:

Abraços, vou dormir que preciso descansar para eventuais manifestações amanhã... :verde&:

Luke
21-06-13, 22:55
Ué? E não foi isso que comentei logo acima?
Quando falo em graves e subwoofers, estou me referindo aos graves mais baixos, mas ainda graves. Afinal, dois falantes de 10 polegadas tiveram justamente esse objetivo... :verde&:

Quando comentei sobre o sub passivo, foi porque disponho justamente de duas opções no meu sistema, o corte ativo e o passivo, e tenho testado todas as variações possíveis, cada qual com sua vantagem e desvantagem.

Não entendi porque você acha que está falando sozinho, mas se prefere... :wave:

Abraços, vou dormir que preciso descansar para eventuais manifestações amanhã... :verde&:

Eduardo quer dizer que dois de 10 descem mais do que um?

Qual o F3 de suas caixas?

Releia os posts anteriores e perceba que "eu" não prefiro falar sozinho e nem fui "eu" quem disse isto.

Apenas interpretei uma fala de outro membro e ainda com um icone motion de me sentir embarassado, caso fosse essa a real interpretação do que foi postado.



PS: Se não me quiser por aqui é só falar, saio agora mesmo, nem volto mais.

:OK:

fibra
21-06-13, 23:00
Eu acho que todos precisam de dormir um pouco para esfriarem as cabeças, não é para tanto !

Calma gente, CALMA !

Abraços.

Tiago MCSP
22-06-13, 03:18
Acho que todos conhecem Eduardo bem mais do que eu e devem saber que o cara sempre é um gentleman.

A internet oferece esse sério inconveniente de não permitir a clareza necessária que se deve ter em uma conversa pessoal.

Na dúvida, sempre que vejo alguma coisa dirigida a mim que traz esse tipo de dubiedade, ofereço o benefício da dúvida e espero um melhor clareamento dos termos antes de tomar alguma postura mais ríspida -- mormente quando a confusão parte de uma pessoa que sempre prima pela cortesia. Ou tento um contato mais direto como MP ou telefone.

Estou certo de que as coisas se acalmarão.

Abraços a todos.

Tarley
22-06-13, 03:50
Tiago, muito bem colocado. Muito me entristece quando um mal entendido deste tipo ocorre. Refletir é necessário. Eu conheço bem o Eduardo e digo que certamente houve um mal entendido, pois ele é realmente um gentleman como você disse. Se tem uma pessoa que é do bem e sempre procura diplomacia para não "ferir" o próximo, essa pessoa é o Eduardo.
Sds.

Holbein
22-06-13, 08:35
Eduardo quer dizer que dois de 10 descem mais do que um?

Qual o F3 de suas caixas?

Releia os posts anteriores e perceba que "eu" não prefiro falar sozinho e nem fui "eu" quem disse isto.

Apenas interpretei uma fala de outro membro e ainda com um icone motion de me sentir embarassado, caso fosse essa a real interpretação do que foi postado.

É melhor vc dormir mesmo.

Talvez vc acorde e perceba quão indelicado vc foi..

PS: Se não me quiser por aqui é só falar, saio agora mesmo, nem volto mais.

:OK:


Que é isso,Luke... um brasileiro "não foge à luta"; pelo menos é isso que consta de nosso Hino Nacional.

Teoricamente, dois alto-falantes de 10" ligados em paralelo numa caixa faz o pico de ressonância (ou seja, resistência maior numa dada região frequencial) faz cair essa "resistência" em quase 100 Ohms! Ou seja, se o pico de ressonância natural ao ar livre for na região de 20/30 Hz (e tais são os bons!), esse par de falantes se ligados numa caixa em paralelo desempenhará melhor na região de 20/30 (cuja resistência, em paralelo, será menor) do que um woofer de 15" com ressonância natural em 30 Hz. Isso é, pelo menos, o que Gilbert Briggs explica, e estou aqui a ler na pg 172 do livro "Loudspeakers". (Se eu souibesse postar figuras em fóruns postaria a ilustração 17/3 do livro do Briggs.)

Do ponto de vista da prática do som musical reproduzido (e todos sabem que é o que faço faz cinquenta anos, todos os dias, e às vezes até noites a dentro!), já montei em true infinite baffle, em paralelo, dezesseis woofer, oito por canal, alimentados pelo poderoso "Sunfire"; a impedância final era de 1 Ohm e nessa impedância (e só o "Sunfire" aguentou!) o amplificador desenvolvia uma potência de quase 1.200 watts!!! Nenhuns desses falantes portavam pico de ressonância abaixo de 35 Hz; pois bem, na sand-filled - e tenho testemunhas - num disco long-playiing de teste ouvia-se o som do pedal de órgão de 20 Hz!!!

O que ocorre com pessoas como Eduardo e eu, que fazemos experiências heterodoxas com o fim de aprender, o que ocorre entre nós e os audiófilos de caixas pré-fabricadas em série, o que ocorre é que... ambos estamos a falar de nossas experiências diferentes...

Porque já ouvi montadas seis por canal caixas KLH e não constatei melhora na zona abaixo de 40 Hz; porque a ressonância inerente à própria caixa suplantava a onda de 40 Hz!!!

Eduardo
22-06-13, 11:02
Quem está de cabeça quente? Dormi muito bem e acordei muito bem também... :verde&:

Não estou chateado com ninguém, pelo contrário, as vezes me empolgo nas minhas experiências e posso parecer mais incisivo em alguns pontos, mas nunca com mágoas de ninguém.
Afinal, não aconteceu nada de tão "grave" assim.... :verde&:

Meus caros amigos, grande Luke, tenham um ótimo final de semana.

Abração a todos. :OK:

Luke
22-06-13, 12:58
...
O que ocorre com pessoas como Eduardo e eu, que fazemos experiências heterodoxas com o fim de aprender, o que ocorre entre nós e os audiófilos de caixas pré-fabricadas em série, o que ocorre é que... ambos estamos a falar de nossas experiências diferentes...

Acontece, estimado Holbein, que vocês não são os únicos a fazerem experiências.

Poucos, mas poucos mesmo, tem acesso a fazer e passar por experiências audiófilas, de todos os tipos, como eu e o Ricardo, devido à nossa grande amizade com o João Milton.

O que posto aqui no fórum, neste e em outros em geral, não chega nem perto do "tudo" que experimentamos por aqui no lab JM.

E, como o JM sabe de minha vontade em aprender, em participar, em somar, toda vez que pinta algo diferente por lá, ele me chama para ouvirmos juntos.

As coisas são dinâmicas por lá. Alta rotatividade, muitos e muitos projetos, incluindo mods e consertos em projetos de marcas.

Toca discos, gravadores de rolo, prés, power, caixas, subs, dacs, cd players, etc....

Algumas horas por lá, se aprende mais que lendo varias páginas na internet.

Mas, se um moderador me da tchau, acho que eu não devia estar aqui.

:OK:

Eduardo
22-06-13, 13:29
São estas interpretações dúbias que fazem com que a interação virtual se mostre complicada as vezes.

Nenhum moderador lhe deu tchau, eu lhe fiz este aceno dizendo que estava saindo e indo para a paz e o sossego da minha cama... já que a impressão que tive foi de que você disse que estava falando sozinho...

Mas, deixe isso pra lá. O assunto aqui é subwoofers, e eu já concluí as minhas idéias sobre o tema, por enquanto.

Airton Mathias
22-06-13, 14:03
Pequena contribuição ao tópico,
Palestra do Prof. Homero Sette, sobre PA, mas está relacionado como o tema do tópico.
Link dos trabalhos excelentes materiais técnicos

Homero Sette - Subwoofers: Dimensionamento e Empilhamento

http://www.youtube.com/watch?v=KbmlucKD7ro

http://www.homerosette.com/component/option,com_docman/task,cat_view/gid,34/dir,DESC/order,name/limit,5/limitstart,5/
http://www.homerosette.com/component/option,com_docman/task,doc_download/gid,115/

Sitio:
http://www.homerosette.com/

Abs,
Airton

KANAHA
22-06-13, 14:56
Para descontrair um pouco e acalmar os ânimos.....vamos faturar um pouco.....rsrsrsrsrsrsrss

Estou com um cabo de sub Audioquest top de linha modelo SUB3 novíssimo, que estava com o DBS destruído pelos dentes do cachorro da família que vive cada hora na casa de alguém.....rsrsrsrsrsrs......sabe como é cachorro audiófilo e compulsivo em destruir partes de cabos......rsrsrsrsrsrsrs (este não foi o primeiro)......... Agora o cabo está completo, pois ontem chegou o novo DBS 72V para reposição comprado no representante francês PPL AUDIO, este DBS já é o modelo 2013, o cabo é modelo 2011, mas está como novo, sem nenhum detalhe sequer...... Aqui a tabela de preços da Audioquest para a Europa - http://www.pplaudio.com/tarifs/audioquest.pdf mas muitas revendas autorizadas na Europa praticam valores menores.

Eduardo, desculpe este post em local inadequado, mas além de contribuir para que os ânimos se acalmem, eu também tenho que faturar....rsrsrsrsrsrsrs :laughing7:, já que aqui está se falando de subwoofers...... e vendendo mais um cabo que não estou usando....... abaixo algumas de minhas "caixinhas de cabos" que estão guardados e todos embalados em sacos Ziploc com sílica gel....


http://i426.photobucket.com/albums/pp347/clpa2008/Deposito%20Teresopolis/DepoacutesitoTeresoacutepolis4.jpg


Eduardo, vou postar o cabo depois no devido tópico que é o "Oportunidades"


ABS e fiquem com DEUS.

Cláudio

Eduardo
22-06-13, 15:11
Para descontrair um pouco e acalmar os ânimos

Cláudio,

Eu estou calmo, meu grande amigo. :OK:
Não é um bom bate-papo entre amigos que vai me deixar irritado. Isso aqui é um hobby, não é uma manifestação na Praça da Sé pedindo isenção de impostos para equipamentos Hi-End... se bem que não deixa de ser uma boa idéia... :verde&: Quem está comigo?

Contato virtual é assim mesmo, um dia marcamos de tomar todos uma boa cervejada juntos e vamos rir muito... :verde&:


Bom... só resta esperar as seleções entrarem em campo, se deixarem, né? Brasil 2 X Itália 1 ? Alguém mais arrisca?

KANAHA
22-06-13, 15:33
Cláudio,

Eu estou calmo, meu grande amigo. :OK:
Não é um bom bate-papo entre amigos que vai me deixar irritado. Isso aqui é um hobby, não é uma manifestação na Praça da Sé pedindo isenção de impostos para equipamentos Hi-End... se bem que não deixa de ser uma boa idéia... :verde&: Quem está comigo?

Contato virtual é assim mesmo, um dia marcamos de tomar todos uma boa cervejada juntos e vamos rir muito... :verde&:


Bom... só resta esperar as seleções entrarem em campo, se deixarem, né? Brasil 2 X Itália 1 ? Alguém mais arrisca?

Eduardo,

Se quiser podemos fazer nossa manifestação para isenção de impostos sobre produtos Hi-End, tenho certeza que seremos muitos na frente do prédio onde mora nosso governador Sergio Cabral na Delfim Moreira - Leblon....... quem sabe ele nos convida para uma audição no setup dele e discutiremos sobre o assunto da isenção ..... kkkkkkkkkkkkkkkkkk... garanto que o setup dele veio sem imposto algum, talvez ele nem tenha pago pelo setup.......kkkkkkkkkkkkkkkk....Meu irmão caçula que mora na França disse que certa vez na frente de um hotel em Paris ele foi ridicularizado por muitos brasileiros que sabiam que ele estava naquele hotel, neste grupo de brasileiros estava um amigo de meu irmão que é produtor teatral no Brasil e que sabe muito bem como funciona o patrocínio para teatro e cinema no Brasil.

Meu palpite é 0X0......kkkkkkkkkkkk


ABS e fique com DEUS.

Cláudio

Airton Mathias
22-06-13, 20:16
Continuando...

Documentos da Palestra
http://www.studior.com.br/aes2012.pdf

http://www.studior.com.br/aesintpb.pdf



http://www.sonicdesign.se/subplace.html





Tradução Google:
translate.google.com.br/translate?sl=en&tl=pt&js=n&prev=_t&hl=pt-BR&ie=UTF-8&u=http%3A%2F%2Fwww.sonicdesign.se%2Fsubplace.html

Texto da Velodyne:
http://velodyne.com/tech/connecting-subwoofers-to-music-and-home/

Tradução Gogle:
http://translate.google.com.br/translate?sl=en&tl=pt&js=n&prev=_t&hl=pt-BR&ie=UTF-8&u=http%3A%2F%2Fvelodyne.com%2Ftech%2Fconnecting-subwoofers-to-music-and-home%2F

Conectando Subwoofers de Música e sistemas de Home Cinema
Quarta-feira, 22 fevereiro, 2012 04:42:07 America / Los_Angeles

Existem várias maneiras de se conectar subwoofers de música e sistemas de cinema em casa. A informação que você precisa é um pouco diferente para Home Theater (multi-canal) para sistemas de dois canais ou estéreo, sistemas. Aqui vamos discutir vários aspectos da conexão subwoofer que a Velodyne encontrei:

1. Definição de alguns termos-chave
2. Redes de crossover e como eles funcionam
3. Início receptores de teatro: amplificador multicanal hook-up
4. Receptores estéreo: dois canais amplificador hook-up.
5. Colocação Subwoofer

Definição de alguns termos-chave:

O que é um subwoofer? Subwoofers são dedicados caixas de som de baixa frequência que enchem no graves profundos e ricos que falta na maioria dos principais oradores. Subwoofers são especializados, e não se reproduzem midrange ou altas freqüências. Veja nosso artigo sobre " O que é um Subwoofer, e por que eu preciso de um "para obter mais informações.



O que LFE significa? LFE refere-se ao canal de efeitos de baixa freqüência que é parte da especificação de cinco canais e sete canais receptores de home theater e processadores. O sinal LFE é uma conexão filtrada, abrangendo o sinal do canal LFE, juntamente com o conteúdo de graves de qualquer canal que é designado como "Small" no receptor ou amplificador / processador. Conexões de nível de linha são

O que é uma conexão de nível alto-falante? Receptores estéreo mais velhas (e alguns receptores estéreo atuais) não tem conector RCA de nível de linha base ou conectores LFE. Esses receptores ainda pode ser usado com um subwoofer através de cabos de alto-falante. A conexão de nível alto-falante é um sinal de conexão full-range, amplificado, então rede de crossover do subwoofer irá remover o conteúdo de alta freqüência e reproduzir apenas as baixas frequências.

O que é uma entrada de subwoofer? Isto refere-se à conexão de sinal RCA na parte de trás do subwoofer. Ele aceita o sinal do seu receptor ou amplificador / processador, que em receptores multi-canal tem geralmente já filtrada ou processado, por rede de crossover do receptor.

Redes de crossover e como eles funcionam:

Redes de crossover em subwoofers: rede de crossover de um alto-falante é um conjunto de componentes concebidos para atuar como um "guarda de trânsito", direcionando o sinal de áudio full-range para onde ele pode proporcionar o melhor som. Os pequenos tweeters em um alto-falante seria rapidamente destruído se perguntou para lidar com os comprimentos de onda longos decorrentes da reprodução de frequências baixas profundas. Grandes woofers realmente não se mover rápido o suficiente para reproduzir claramente as notas de alta freqüência que tweeters alça. Redes de crossover dividir a faixa de freqüência entre os altifalantes (graves para os woofers, a maioria das músicas para o motorista midrange em um three-way alto-falante, e altas freqüências para o tweeter). A maioria das redes de crossover são dispositivos analógicos, usando uma combinação de indutores, capacitores e resistores para filtrar o sinal. Redes de crossover digitais estão se tornando mais comum em nossos produtos. Eles lidam com as funções de processamento de sinal mesmo, mais precisamente, através da tecnologia de chips de computador que é programado pelos nossos engenheiros.

Subwoofers Velodyne incluir uma rede crossover. O crossover passa-baixo está definido em um nível específico, muitas vezes 80 Hz, permitindo que os sub para reproduzir frequências abaixo deste nível, enquanto filtrando as freqüências mais altas. A maioria dos crossovers subwoofer são ajustáveis ​​pelo usuário (ou seja, de 40 Hz a 120 Hz), para que você possa determinar o limite superior de freqüência do sub.

Ajuste Crossover envolve atingir uma combinação perfeita entre os principais oradores e subwoofer, para os sons graves não podem ser facilmente localizadas. Se você ouvir a música e pode ouvir claramente notas graves que vêm diretamente do local do subwoofer, algo está errado! Alguns oradores principais são muito graves, capazes (ou seja, grandes, caros colunas de chão). Outros são menos graves, capazes (ou seja, alto-falantes compactos satélite, a maioria na parede ou alto-falantes embutidos no teto). Tente um ponto de cruzamento abaixo de 80 Hz para grandes alto-falantes (talvez 60 Hz) ou acima de 80 Hz para alto-falantes compactos e de baixo custo (talvez 100 Hz). Isso pode dar uma melhor mistura com seus principais oradores do que o ponto de partida de 80 Hz. Um pouco de experimentação com alguma música baixo-pesado pode ir um longo caminho para ajustar essa configuração para que você seja muito feliz com sua compra subwoofer.

Redes de crossover dentro de um receptor multi-canal: Modern receptores de home theater e pré-amplificador-processadores têm redes de crossover construído para eles. Receptores estéreo geralmente não. Quando se utiliza um receptor de home theater, muitas pessoas preferem usar a sua passagem, especialmente se ele é do tipo "continuamente variável". Nesses casos, sugerimos desativar rede de crossover do subwoofer. Utilizando ambas as passagens represente qualquer risco de danos, mas se as redes de crossover competir uns com os outros, a distorção pode resultar. Muitos subs Velodyne tem um interruptor de passagem de alimentação manual, geralmente rotulados no amplificador como "Direct", "Subwoofer Direct" ou "Subwoofer By-Pass". Esta opção desativa o crossover interno para uso com um sinal já filtrado de um receptor de home theater.

Home theater conexões do receptor:

LFE entrada: Home theater (multi-canal) receptores de ter um canal (Low Frequency Effects) LFE como parte da especificação 5.1 ou 7.1. A forma mais comum de ligar um subwoofer a um receptor de HT é a utilização de um único cabo de áudio com conexões RCA em ambas as extremidades. Prenda o cabo do LFE Out conexão no receptor (muitas vezes identificado como "SW" para subwoofer; "Sub Out", ou "LFE") para a entrada LFE no subwoofer. O receptor envia um sem amplificação, sinal de graves gerenciado para o subwoofer. Defina as sub para "Subwoofer Direct" (como acima).

Velodyne Digital unidade subs também têm uma entrada XLR balanceada para LFE. Durante corridas de sinal de comprimento, conexões XLR são menos propensas a ruído do que os cabos RCA padrão.

De nível de linha de entrada: Alguns receptores mais velhos não têm de gestão de graves saída LFE. Nesse caso, as saídas de nível de linha podem ser usados. Isso envia o sub um sem amplificação, o baixo nível de sinal para baixo o mesmo tipo de cabo de áudio usado para a saída LFE. Você vai precisar de um par estéreo de tais cabos. Este sinal não é filtrada, assim você vai usar a rede de crossover do sub para gerenciar o sinal. Não use Subwoofer Direct.



Sistema de som (aka dois canais) Conexão:

Nível de linha: Muitos receptores estéreo modernos têm uma conexão sub-out, uma única conexão RCA nível não filtrada, linha dedicada para o subwoofer. Se não houver um sub-out, as conexões de nível de linha padrão funcionam bem. Se o receptor não tem sub-out ou conexão de nível de linha, mas tem jacks marcados "Pre-out", os trabalhos também.

Conecte um cabo RCA a partir da conexão sub-out (ou um par de cabos RCA da saída de linha ou pré-out) no receptor para o LFE ou line-in de conexão no subwoofer. Rede de crossover do subwoofer irá gerir o sinal, por isso não use Subwoofer Direct.



Nível Palestrante: Se o receptor não tem saída sub, saída de linha ou pré-out conexões, você pode conectar o subwoofer usando entradas de nível alto-falante. Isso envia um sinal amplificado full-range para o subwoofer. O crossover do subwoofer irá gerir o sinal, por isso não use Subwoofer Direct.

Sugerimos usar o cabo de alto-falante de 16 ou calibre mais baixo. Conecte os cabos de alto-falante para as saídas de alto-falante esquerdo e direito do receptor, e executar os cabos de conexões de entrada de nível alto-falante do subwoofer. Certifique-se de que você está consisten com conexões positivas e negativas. Em outras palavras, a certeza de que o fio ligado ao terminal positivo (+) em que o receptor está também ligado ao terminal (+) do submarino. O fio ligado ao terminal negativo (-) de terminal no amplificador deve também ser ligado ao terminal (-) no sub.

Em seguida, conecte as caixas acústicas principais esquerdo e direito para os sub. Basta executar um outro conjunto de fios das colunas de saídas de nível de alto-falante do subwoofer para os alto-falantes esquerdo e direito. Agora você tem um sistema de som com uma adição maravilhosa: um subwoofer dedicado a lidar com as frequências mais baixas, que remove um pouco da carga que os alto-falantes e receptor, caso contrário teria de lidar.

Colocação do subwoofer:

A qualidade dos graves que ouvimos depende de como o subwoofer é colocado em uma sala. O quarto tem um efeito muito maior sobre o baixo do que a maioria das pessoas imagina, e é um dos muitos fatores que determinam a qualidade do som baixo:

De que a qualidade é o subwoofer?
É o subwoofer integrado perfeitamente com o seu sistema?
Onde na sala é o subwoofer está localizado?
Onde está a sua posição de audição, em relação à localização do sub?
São vários subwoofers estão sendo usados?
Qual é a configuração do quarto: grande, pequeno, retangular, quadrado?
Como ressonante, ou de absorção, são superfícies da sala?


Alterar qualquer um destes elementos, bem como a qualidade e quantidade do baixo vai mudar. É comum que os ouvintes que estão sentados em diferentes pontos da sala irá relatar vastamente diferentes níveis de felicidade com o baixo. Pode-se ouvir o baixo soar como ideal, enquanto outro acredita que "Soa muito baixo-pesado", ou "É o subwoofer mesmo ligado? Eu mal conseguia ouvir qualquer baixo."

A idéia-chave com a colocação de subwoofer é experimentar! Se você puder, tocar alguma música que é rica em baixo, e tentar uma variedade de locais no seu quarto. Se você não pode mudar a posição do subwoofer, você pode em vez disso ser capaz de re-posicionar sua cadeira favorita ou posição de escuta. Muitas vezes eles recomendam e mostrar os benefícios da utilização de vários subwoofers para ajudar a melhorar e até mesmo o tom, no entanto, o tamanho da sala e os fatores acima irá ajudá-lo a tomar a decisão correta.


Airton

Celso
22-06-13, 20:26
Vamos protestar sim!!Mas sem vandalismo emmmm!!!kkkkkkAbraco Celso

iceratti
24-06-13, 08:35
Puxa, quanta informação nestes 2 dias que fiquei sem ler o Forum.:aplauso::aplauso::aplauso:

Holbein
24-06-13, 09:30
Acontece, estimado Holbein, que vocês não são os únicos a fazerem experiências.

Poucos, mas poucos mesmo, tem acesso a fazer e passar por experiências audiófilas, de todos os tipos, como eu e o Ricardo, devido à nossa grande amizade com o João Milton.

O que posto aqui no fórum, neste e em outros em geral, não chega nem perto do "tudo" que experimentamos por aqui no lab JM.

E, como o JM sabe de minha vontade em aprender, em participar, em somar, toda vez que pinta algo diferente por lá, ele me chama para ouvirmos juntos.

As coisas são dinâmicas por lá. Alta rotatividade, muitos e muitos projetos, incluindo mods e consertos em projetos de marcas.

Toca discos, gravadores de rolo, prés, power, caixas, subs, dacs, cd players, etc....

Algumas horas por lá, se aprende mais que lendo varias páginas na internet.

Mas, se um moderador me da tchau, acho que eu não devia estar aqui.

:OK:


Luke, antigo e bom Amigo:

Sei que experiências com a técnica da reprodução do som musical não são privilégios do Eduardo e meus; outros existem e talvez muito mais competentes do que eu. Sou apenas teimoso; e também um tanto aventureiro na tarefa de desfazer e fazer...

Ainda agora tenho desenvolvido ensaios sobre o elo essencial de um sistema de reprodução do som; amanhã ou depois divulgarei no tópico "Entrevistas" meus últimos experimentos a respeito desta questão: onde é que tudo começa?

Espere e leia; gostaria de trocar mensagens com você sobre.

O abraço fraternal de sempre.

Seu Holbein.

Queiroz
28-10-13, 21:22
Pessoal, eu fechei negócio em um Subwoofer com o Luiz Gustavo da Click*Sul (HT*Click), realizando o pagamento do sinal de 10% do valor total em 07/05, pelo valor de R$ 2.590, mas acredito que devido a alta repentina do dolar, ele não queria cumprir a oferta, e me ofereceu devolver o dinheiro, não aceitei, então hoje 28/10 ele entrou em contato avisando que o Sub chegou, então realizei o pagamento restante, então pelo que parece, finalmente vou receber meu tão sonhado Sunfire HRS-12, antes demais nada, gostaria de saber se vou ter problemas pelo fato do meu receiver não ser muito bom (ONKYO TX-NR509) ? O Savage DMA1500EX consegue suprir o receiver com as caixas, tv 46ES7000, bd piooner BDR-140 e DAC II LF incluindo o Sub ? posso ter problemas??

Queiroz
04-11-13, 00:02
Tive uma ótima surpresa ao chegar de viagem hoje à tarde!!

http://farm6.staticflickr.com/5496/10660434956_5b0843cded_b.jpg

Finalmente chegou!!! :hello2:saltit&:verde&::love10:

Usei os cabos abaixo para interligar o Sub no Receiver e Condicionador, e os Spikes Dayton Audio DSS4-BC

http://i.ebayimg.com/t/US-AC-power-cable-copper-wire-conductor-and-red-copper-power-plug-audiophile-/00/s/MTIwMFgxNjAw/$%28KGrHqJ,!p!FBd9r9sJkBQiJ9ty+6!~~60_35.JPGhttp://farm8.staticflickr.com/7412/10660569355_2edfbe7863.jpghttp://i.ebayimg.com/t/Dayton-Audio-DSS4-BC-Black-Chrome-Speaker-Spikes-Set-of-4-/00/s/NTMwWDUzNw==/z/OQoAAOxyWalR3waX/$T2eC16h,!yEE9s5jHQbkBR3w,%28TV3Q~~60_35.JPG

Setei o Phase em 180, deixei o volume em 0dB e setei o crossover em 80hz, igual ao que está setado nas configurações do receiver, devo alterar algo??

Eu estranhei que o Sunfire HRS-12 é menor que o PSW110 da Polk mas pesando uns 5kgs a mais, pelas fotos me pareceu bem maior.

Fiz um teste inicial, está tudo funcionando perfeitamente, escutei alguns shows, mas agora a noite ao botar em dia alguns seriados que estou acompanhando, já deu para ver a diferença do up do PSW110 para o Sunfire HRS-12.

O Luiz da HT*Click finalmente honrou a venda, mesmo que 6 meses depois, e uma forcinha do Procon, de qualquer forma, a nota fiscal veio em nome de outra empresa (DISTRIRIBEIRO INFORMATICA) com valor na nota bem inferior ao pago R$ 990,00 sendo que o total foi de R$ 2590, 10% do sinal R$ 259 no dia 07/05 e o restante R$ R$ 2331 no dia 28/10, devo me preocupar quanto a isso?

Qualquer dica é bem vinda!

Obrigado!!

iceratti
04-11-13, 08:25
Parabéns pelo novo sub. Geralmente os subs selados são menores que os dutados, mas são mais potentes e com melhor definição quando usados para stereo. Esta regulagem da Phase é melhor regular pelo ouvido, vai trocando e testando.

Celso
04-11-13, 11:44
O meu aqui e selado também,de entrada da MA e gosto bastante da sonoridade,graves menos estendidos mais precisos e controlados:OK:

Abraço a todos

CristianoLO
04-11-13, 13:06
O sub tem, como diria um amigo, bordas de catupiri :D
Queiroz, sim, solicite uma nova nota. Provavelmente essa que te enviaram é a de compra deles, que não tem validade pra ti caso precise acionar garantia, até por que eles podem dizer que não tem reparo e que tu pode optar por qualquer outro produto no valor da nota, aí zivudeu...

Queiroz
05-11-13, 14:29
Estou muito satisfeito com o Sub!! Ele é incrível!!!

Deixei o subwoofer no modo crossover bypass e setei o corte apenas no receiver, minhas caixas são book tsi-200 da polk, descem até 43hz (segundo a especificação) será que o melhor seria setar o corte em 50hz ? Eu acabei diminuindo para 70hz.

Alguém saberia algum tipo de produto para que eu possa fixar os spikes no Sub (nem pensar em furar) porque usei massinha multitask que usava antigamente, e o Sub não está parando no lugar, os spikes ficaram em pé, mas o Sub saiu de lugar, acreditam? Rebocou tudo de massinha, tive que remover, dessa vez coloquei 3 pedaços em cada Spike, deixei 8 horas sem usar o Sub, mas logo após esse periodo, foi só executar um trecho de Resgate do Soldado Ryan, para perceber o deslocamento de um dos spikes...

Qualquer dica é bem vinda.

Abração!!

fibra
05-11-13, 14:33
Use esta fita dupla-face da 3M:

http://www.reidaverdade.net/wp-content/uploads/2012/10/Fita-dupla-face-3.jpg


Abraço.

Queiroz
05-11-13, 19:04
Use esta fita dupla-face da 3M:

http://www.reidaverdade.net/wp-content/uploads/2012/10/Fita-dupla-face-3.jpg


Abraço.

Obrigado pela dica, fibra.

Certamente vou testar essa fita para ver se resolve o problema!!

Abração

Guto Pereira
05-11-13, 20:47
Eu uso com muito sucesso uma dica dada pelo Renatão fazem uns 5 anos... Pritt Tak!

http://www.acasadoartista.com.br/imagens/exibir/420x420/tipo_de_produto/henkel/pritt_multi_tak.jpg

Queiroz
06-11-13, 01:51
Eu uso com muito sucesso uma dica dada pelo Renatão fazem uns 5 anos... Pritt Tak!

http://www.acasadoartista.com.br/imagens/exibir/420x420/tipo_de_produto/henkel/pritt_multi_tak.jpg

Chapa, essa é a mesma que utilizei para fixar os spikes aqui, com apenas 1 quadradinho, ele dançou encima dos spikes, com 3 em cada spike, já percebi um deslocamento, e o Sub está em 0db no volume, no receiver 0db, raramente chego na metade do volume no receiver, vou ter que usar essa fita mesmo para ver se consigo melhores resultados!!

mmbdp
06-11-13, 07:46
Queiroz,

pelo que venho aprendendo aqui, spikes servem para acoplamento da caixa acústica. Segundo uma explicação do Luke: maior peso concentrado em menor área imprime melhor fixação.

Se o subwoofer está "dançando" e arrancando qualquer tipo de adesivo que seja por você aceito como forma de fixar os tais spikes, sinal que ele provavelmente se deslocará mesmo com os spikes. Minha física de segundo-grau não me permite explicar o fenômeno por trás do acontecimento.

Acredito eu que eu não acredito que spike faça diferença alguma, a não ser estética e financeira. :o

Se a caixa estiver acoplada ao piso (parede ou mesmo teto) rigidamente o efeito sonoro será o mesmo, a não ser que a superfície seja fina ao ponto de vibrar com o desempenho da caixa, aí sugiro uma mudança: de imóvel! 8-x

Em matéria de desempenho sonoro, me arrisco a dizer que os spikes deveriam ser "incluídos fora dessa". A melhor solução seria o aumento de peso da caixa do subwoofer. Isso pode ser feito internamente, desde que não se comprometa em muito a litragem da caixa, ou mesmo externamente, com a aposição de granito, ferro ou outra escultura de seu agrado (ou de sua :love4: patroa, caso seja o caso).

Com tal aumento de peso mesmo os spikes podem talvez ser mantidos fixos com as ótimas sugestões dos colegas (a fita eu uso aqui, a massinha acho que as criOnças vão achar que é chiclete, aí já viu :disgust: a merd@..., mas pelo menos vão ficar caladas um tempo até a chegada ao hospital).

O granito é usado por alguns aqui com grande sucesso. Eu aqui nunca tive spikes, uso pés de móveis de altura regulável e com borracha adesiva embaixo, pois a sala é emprestada (pertence à minha amada senhora) e não posso nem pensar em arranhar o porcelanato, senão :violent1: . Mas as caixas não vibram ou se deslocam pelo seu próprio peso (alguma vantagem em ser DIY teria que haver, certo?). O peso das espessas paredes de MDF aplicado sobre os pés faz com que as borrachas grudem no chão e mesmo querendo, arrastar as caixas não é tarefa das mais fáceis para mim e quase impossível para a faxina (o que é ótimo).

Guto Pereira
06-11-13, 07:54
Orrrraa!!!!!!!! Se com três quadradinhos desse a coisa desandou, garanto que esse teu sub é monster... cacilds!!!

Deve no mínimo estar derrubando as coisas da estante do vizinho.

Luke
06-11-13, 08:22
Nada que uma placa de mármore sobre o sub não resolva.

O problema é a falta de peso do conjunto versus performance :OK:

Queiroz
06-11-13, 10:24
Vou ver se eu consigo uma placa de mármore para essa finalidade!!

Só há um detalhe que acabei de verificar aqui, a massinha venceu no mês 09/2013 :laughing7:, rsrs, nunca me atento para esses detalhes, quase certeza que é este o motivo de não estar parando no lugar...

Mas vou arriscar com essa fita dupla face da 3M, só não estou encontrando o mesmo modelo...

Obrigado pelas dicas !!! :OK:

CristianoLO
08-11-13, 12:08
Sobre a questão do corte, se o sub permitir e se o conjunto não afetar de forma negativa a audição, eu tentaria cortar mais alto, perto de 80H, pra dar uma aliviada nos mids das books

JulioCesar
08-11-13, 13:34
Nada que uma placa de mármore sobre o sub não resolva.

O problema é a falta de peso do conjunto versus performance :OK:

Nada , coloquei três placas de granito em cima do sub e vez por outra eu tenho que colocá-la de novo no lugar ... Antes que 30Kg de granito caiam no chão resolvi colar o sub por cima do granito com estas fitas dupla face , iguais que o Fibra indicou . Ainda não liguei , está " sub júdice " ... Foi um bom trocadilho , este ... :D

Luke
08-11-13, 17:17
Estranho Júlio.

Qual o tipo de piso o sub está.

Spikes são para uso em pisos de madeira ou tapete e não deveriam sair do lugar.

Para pisos frios, tipo mármore e outras pedras, não se usa spikes, mas pesinhos de borracha ou silicone.

:OK:

Eduardo
08-11-13, 17:48
Júlio,

Não sei se isto pode te ajudar, mas existem bases de spikes para vender lá fora (são fáceis de serem feitas também).
Você pode até grudá-las no pico com fita dupla face, e elas mantêm os spikes firmes na posição, sem deslizarem no piso.

http://hifiplanet.com.br/blog/wp-content/uploads/2011/04/DSC00078b.jpg

Luke
08-11-13, 18:17
Estas sapatas entre os spike e o piso fazem o efeito contrário desejado, desmultiplicando a força sobre a ponta do spike, por toda a superfície da sapata.

Noutras palavras, se não estiverem coladas, vai escorregar mais ainda.

JulioCesar
08-11-13, 19:53
Não usos spikes , o piso ė frio , usava um tapete grosso de borracha , o sub , mais um tapete fino de borracha e por cima granito . O sub näo saia do lugar , o granito sim ... Agora ė tapete , granito , sub colado , ainda näo tive tempo de ligar , depois eu falo como ficou .

csan
08-11-13, 22:45
eu uso só o sub direto no piso frio, sem peso em cima. Também nunca pus o volume pra ele pular. Tentei notar se ele sequer vibra os pés, mas não... Vi alguns spikes pra sub, mas não sei se agregariam algo, já que o meu parece estar "acoplado ao chão" pelo peso próprio.

Eduardo
09-11-13, 08:14
Luke,

Por isso que sugeri a fita dupla face.
No meu caso uso uma fina folha de borracha colada embaixo destes apoios, e funciona muito bem também.
Elas ainda servem para evitar danos ao piso.

von moltke
12-01-14, 17:58
Bom, eu gostaria de lançar uma polêmica, afinal, Selado x Bass-Reflex?

Ja ouvi em Curitiba B&W ASW 800, JL F113, e meu favorito, B&W DB-1.

Infelizmente nunca ouvi um Bass-Reflex deste nível, os resultados são semelhantes?

Dartzeel
14-01-14, 23:42
Tenho JL F113,um baita sub,tinha vontade de testar um DB-1,mas outro dia vi um zero na caixa e é made in China,é mole,um sub de 27 mil reais ser fabricado na china,depois de ver este detalhe não faço mais questão.

Aliás alguém saberia me responder se os SVS(os modelos top)são fabricados nos USA?

von moltke
15-01-14, 07:53
Eu ouvi ambos Dartzeel, eu preferi o DB-1 Para musica, mas o F113 da um banho em questão de filmes.
Também desconhecia de o mesmo ser feito na China, realmente para o valor é uma pena.

Renato
15-01-14, 10:46
TL - Selado - BassReflex, nessa ordem.. :) :D

mmbdp
15-01-14, 11:31
TL - Selado - BassReflex, nessa ordem.. :) :D

Quem seria eu para discordar?

von moltke
15-01-14, 17:12
Também prefiro Selado as Bass Reflex, agora TL, ainda estou doido para ouvir.

amadeoGT
16-01-14, 22:20
Minhas caixas (monitor audio RX8) têm 2 falantes de graves bass reflex, cada um com o próprio duto. Há uns dias resolvi experimentar fechar as saídas, usando os pedaços de espuma que vieram com as caixas.

Tapando a saída da frente, o som ficou magro e sem graves. Não gostei. Mas fechando a outra saída, que dispara para trás, houve um ganho bacana. E nem nos graves. O que melhorou mesmo foram os médios, que ficaram bem mais "limpos", inteligíveis. Provavelmente porque, como minha sala é pequena, as caixas estão perto (30 cm) da parede traseira. Valeu a pena.

Celso
17-01-14, 07:26
Eu aqui uso sub selado de entrada da MA e gosto bastante alem de ocupar menos espaço.:OK:

Abraço

Eduardo
17-01-14, 07:33
Amadeo,

Esta solução também adotava nas minhas B&W 7NT, e conseguia um resultado semelhante ao seu. Talvez porque o posicionamento delas ou as características da sala não sejam as mais adequadas para receber este "reforço" dos dutos, ou porque o fabricante exagere mesmo um pouco nos graves.
Atualmente uso estas caixas somente para HT, e sem as espumas, pois nesta aplicação o resultado ficou melhor.

iceratti
05-04-16, 13:11
Andei pesquisando a marca REL e são muito bem conceituados para uso em stereo. Alguém sabe quem vende por aqui esta marca?


5517

Ryckyfla
16-04-16, 08:08
Bom dia !

Alguém sabe dizer que problema tá ocorrendo, quando o sub fica dando uns pacocos ?

Eduardo
16-04-16, 10:22
Pode explicar melhor?

Ryckyfla
16-04-16, 10:26
Quando acontecem cenas com graves ele dá uns papocos abafados que não fazem parte do graves da cena.

fibra
16-04-16, 15:05
o volume dele tá muito alto, começa a bater cone. ou pode ser "sujeira" da própria trilha sonora do filme.

CristianoLO
16-04-16, 16:09
Muito provavelmente o sub está chegando no limite mecânico dele, quando a bobina ou a centragem "batem no fundo"
Pode ser excesso de potência aplicada, a falta de um filtro subsonico ou projeto de caixa mal dimensionada

Recomendo pegar uma música com um subgrave forte e presente e regular com o sistema tocando alto (dentro do teu limite de tolerância e do próprio equipamento) de forma que ele não fique exagerado
Se quiser pode testar a música LIMIT TO YOUR LOVE do JAMES BLAKE, que tem subgraves até demasiados, mas são naturais da música
Se regular o sub de forma a não ter este problema relatado, seguramente em filmes não vai acontecer tb

NÃO ME RESPONSABILIZO A DANOS NOS AUTOFALANTES, LOGO, COMECE A MÚSICA EM VOLUME BAIXO ATÉ QUE O SUBGRAVE APAREÇA

Ryckyfla
16-04-16, 16:39
o volume dele tá muito alto, começa a bater cone. Ou pode ser "sujeira" da própria trilha sonora do filme.

não é sujeira pq já tinha visto esse filme e não apresentava barulho. O sub foi para garantia e foram trocados transistores , capacitores, resistores, será que pode ter sido isso ?

é o velodyne eq max 12. Volume estava em 50 e baixei para 45, está em 0,00 db.

Ryckyfla
16-04-16, 16:41
Muito provavelmente o sub está chegando no limite mecânico dele, quando a bobina ou a centragem "batem no fundo"
Pode ser excesso de potência aplicada, a falta de um filtro subsonico ou projeto de caixa mal dimensionada

Recomendo pegar uma música com um subgrave forte e presente e regular com o sistema tocando alto (dentro do teu limite de tolerância e do próprio equipamento) de forma que ele não fique exagerado
Se quiser pode testar a música LIMIT TO YOUR LOVE do JAMES BLAKE, que tem subgraves até demasiados, mas são naturais da música
Se regular o sub de forma a não ter este problema relatado, seguramente em filmes não vai acontecer tb

NÃO ME RESPONSABILIZO A DANOS NOS AUTOFALANTES, LOGO, COMECE A MÚSICA EM VOLUME BAIXO ATÉ QUE O SUBGRAVE APAREÇA

O sub foi para garantia e foram trocados transistores , capacitores, resistores, será que pode ter sido isso ?

é o velodyne eq max 12. Volume estava em 50 e baixei para 45, está em 0,00 db. USO EM HOME THEATER.
OUTRA COISA É QUE O SUB TÁ COM O BOTÃO SETADO PARA DIRECT E TEM OPÇÕES PARA 80HZ E 40HZ.

CristianoLO
16-04-16, 17:33
Aparentemente o sub está sem o corte passa baixa acionado
Pode ser a causa tb

Ryckyfla
16-04-16, 17:53
Aparentemente o sub está sem o corte passa baixa acionado
Pode ser a causa tb

o SUB JÁ ESTÁ COM DEFEITO ? COMO FAÇO PARA TIRAR ESSE ESTALO ?

CristianoLO
16-04-16, 18:09
Lendo o manual :D
DIRECT parece ser o modo em que o sub trabalha sem corte passa baixa habilitado, fica a cargo de fazer o ajuste, então, por outra parte do sistema (receiver, processador externo, etc)
Qdo está no DIRECT, o corte passa baixa torna-se acionado e selecionável pelo circuito do próprio amplificador do sub
Se o corte passa baixa da via de subgraves está sendo feito pelo receiver, por exemplo, o sub deve ficar em DIRECT, caso o receiver não esteja controlando o passa baixa da via de subgraves, o amplificador do sub deverá ter algum corte passa baixa acionado
Mas leia o manual, eu "pesquei" essa informação em uma leitura dinamica de 30 segundos

Ryckyfla
16-04-16, 18:19
eSSE BARULHO JÁ CARACTERIZA DEFEITO NO SUB ?

CristianoLO
16-04-16, 20:02
Rick, consegue ler o que eu estou escrevendo?

Ryckyfla
16-04-16, 20:08
rick, consegue ler o que eu estou escrevendo?

deixei o sub em direct e no receiver também na opção direct, e continua papocando.

Eduardo
16-04-16, 20:33
Se o corte passa baixa da via de subgraves está sendo feito pelo receiver, por exemplo, o sub deve ficar em DIRECT, caso o receiver não esteja controlando o passa baixa da via de subgraves, o amplificador do sub deverá ter algum corte passa baixa acionado

Você tentou isso?

Ryckyfla
16-04-16, 22:32
Você tentou isso?

Fiz isso. Deixei o sub em direct e no receiver também na opção direct, e continua papocando. Tem hora que fica papocando tanto que desligo o sub.

CristianoLO
16-04-16, 23:09
Rickyfla, acontece q tu estás fazendo o oposto do q deve fazer
Ou usa DIRECT no sub, ou no receiver, NUNCA NOS DOIS JUNTOS
O q estiver em DIRECT, o outro deve ter um corte passa baixa ligado (não maior q 80Hz)

Ryckyfla
16-04-16, 23:31
Rickyfla, acontece q tu estás fazendo o oposto do q deve fazer
Ou usa DIRECT no sub, ou no receiver, NUNCA NOS DOIS JUNTOS
O q estiver em DIRECT, o outro deve ter um corte passa baixa ligado (não maior q 80Hz)

Desculpe! Essa parte de configuração e calibragem do sistema eu pago um técnico pra fazer. Então, vou deixar o sub cortando em 40hz

CristianoLO
16-04-16, 23:41
Perfeito, se tuas caixas conseguem chegar nos 40Hz, mantenha assim
O q importa é o sub não tocar errado

Ryckyfla
16-04-16, 23:41
Esse sub foi mandado para garantia e voltou assim.

Ryckyfla
16-04-16, 23:51
Meu ht é composto por Onkyo 5010 com b&w 683, 684 e htm61 e o estéreo é composto por pré, power e player cambridge 851 series.
Estou com fazendo experiências com o onkyo 5010 empurrando b&w 803n para o ht. Depois irei colocar o onkyo como pre e também para empurrar a central e surrounds, deixando o power da cambridge para as 803n como frontais.

Ryckyfla
18-04-16, 07:32
Perfeito, se tuas caixas conseguem chegar nos 40Hz, mantenha assim
O q importa é o sub não tocar errado

O sub estava em 0 db com volume 45, baixei para - 1,5 db e o volume para 40 e continua batendo, porém, acredito que menos. Não sei mais o que fazer. Esse barulho tira o prazer de assistir um filme.

CristianoLO
18-04-16, 09:17
Talvez seja impressão minha, mas da mesma forma que eu não tenho intimidade para montar componentes eletrônicos e fazer qualquer coisa mais complexa que um crossover passivo, tu não tem intimidade com os equipamentos que tem em mãos, como configurá-los, e não entende boa parte do vocabulário usado pelo pessoal aqui do grupo. Além disso, não costuma ler o manual dos produtos que tem. Assim fica complicado de ajudar.
Procure o técnico, engenheiro, vendedor ou quem quer que tenha sido o responsável por montar a tua sala para que refaça o serviço, identifique as limitações do que tu tens em mãos, e faça minimizar os problemas que podem aparecer.
Talvez o fato de ter deixado o sub sem a configuração adequada quando voltou da assistência técnica já tenha causado novos danos ao produto, simplesmente pela falta de expertise em configurar e usar corretamente. Obviamente que as pessoas não precisam ter esse conhecimento para apreciar boa música ou filme, mas quando não o tem, devem direcionar sua energia em aprender, ou contratar alguém que o faça, e não se preocupar.

Ryckyfla
18-04-16, 09:46
Talvez seja impressão minha, mas da mesma forma que eu não tenho intimidade para montar componentes eletrônicos e fazer qualquer coisa mais complexa que um crossover passivo, tu não tem intimidade com os equipamentos que tem em mãos, como configurá-los, e não entende boa parte do vocabulário usado pelo pessoal aqui do grupo. Além disso, não costuma ler o manual dos produtos que tem. Assim fica complicado de ajudar.
Procure o técnico, engenheiro, vendedor ou quem quer que tenha sido o responsável por montar a tua sala para que refaça o serviço, identifique as limitações do que tu tens em mãos, e faça minimizar os problemas que podem aparecer.
Talvez o fato de ter deixado o sub sem a configuração adequada quando voltou da assistência técnica já tenha causado novos danos ao produto, simplesmente pela falta de expertise em configurar e usar corretamente. Obviamente que as pessoas não precisam ter esse conhecimento para apreciar boa música ou filme, mas quando não o tem, devem direcionar sua energia em aprender, ou contratar alguém que o faça, e não se preocupar.

Realmente eu não entendo, apenas gosto de ouvir música e assistir filmes e quando se trata de configuração eu pago para o técnico fazer. O sub não estava assim houve um problema e parou de funcionar,então, envie para técnica em são paulo pq ainda estava na garantia e voltou com esse problema.

Eduardo
18-04-16, 12:52
Você explicou o problema para o técnico que fez o reparo?

Ryckyfla
18-04-16, 13:54
Você explicou o problema para o técnico que fez o reparo?

Não, vou passar pra um técnico aqui em Aracaju pq o que fez fica em taboão da serra /sp devido a cobertura da garantia.

Eduardo
18-04-16, 18:01
O técnico te disse o que foi feito neste sub? Sabe se ele recondicionou o falante?

Ryckyfla
18-04-16, 19:42
O técnico te disse o que foi feito neste sub? Sabe se ele recondicionou o falante?

Sim, na ordem de serviço consta que foram trocados capacitores , resistores, transistores. Não se se mexeu no falante.

Ryckyfla
19-04-16, 10:14
O técnico te disse o que foi feito neste sub? Sabe se ele recondicionou o falante?

O sub eq max 12 é fraco para as 803n ?

blaska
27-05-17, 17:36
Caro Eduardo, mandei uma pergunta no hi-fi planet mas acho que vc esta presente mais aqui que por la rs entao vou perguntar aqui: estou reconstruindo umas caixas do meu modesto aiwa xh-n6 que abriram depois que minha sala inundou! Mas...ao desmonta-las notei que a caixa era selada mas ela nao me agradava nos graves mais baixos talvez por ter um woofer de 8" a 80hz e ja que esse topico e para subs..se eu monta-lo agora em caixa dutada sera que o rendomento desses 80hz melhoram? Outra duvida: voce recomendaria uma caixa com mais profundidade que altura para graves ou o contrario? Visto que cada caixa tem um woofer, mid e tweeter.Quero montar uma camara para o woofer e outra para o medio e tweeter, copiando o seu projeto.
Tudo de melhor a todos.

Eduardo
31-05-17, 12:53
Ola Blaska,

Estive um pouco afastado por conta de alguns problemas de saúde.
Já te respondi pelo HFP.
Qualquer dúvida, eu e os amigos estamos aqui para ajudá-lo.

Abraço

Eduardo

danielbeim
21-08-17, 11:30
Bom dia colegas,

gostaria de esclarecer algumas dúvidas com o pessoal que utiliza subwoofer em sistema estéreo para música.

Eu utilizo caixas de som bookshelf que tocam bem a partir dos 60Hz aproximadamente e ando sentindo falta de escutar uma maior presença de algumas frequências (ex: contrabaixo acústico). O meu sistema é composto de pré e amplificador separados e o pré possui somente uma saída estéreo RCA (na realidade possui uma outra saída, porém é com volume fixo, o que não funcionaria no meu caso, pois preciso ter o controle de volume tanto do sub quanto das caixas no mesmo controle). O subwoofer que estou pesquisando possui entrada RCA (estéreo), mas não possui saída para o amplificador, ou seja, não faria o papel de crossover do sinal que irá para o amplificador/caixas, como existe em alguns subwoofers no mercado.

Minhas dúvidas são:

- existe algum problema em utilizar cabos/adaptadores para "splitar" o sinal do pré-amplificador e enviar um cabo para o sub e o outro para o amplificador? Poderia dar algum problema de impedância? Pode haver a degradação do sinal?
- como nesse sistema não haverá a utilização de um crossover que irá filtrar as frequências que serão tocadas pelo sub e nas caixas, vocês acham que pode ser um problema essa ligação? Pelas especificações da minha caixa, ela toca a partir de 42Hz, mas escutando sei que não toca bem essas frequências e gostaria de deixar o subwoofer tocando tudo abaixo de 70Hz. Será que pode haver um embolamento do som deixando tanto a caixa quanto o sub tocando algumas frequências iguais?
- e finalmente, na opinião de vocês, haveria um ganho significativo utilizando 2 subwoofers, em um sistema 2.2? Como meus equipamentos ficam entre as caixas, eu só poderei posicionar o subwoofer em um dos cantos atrás das caixas de som. Será que isso poderá afetar muito a imagem estéreo do sistema? Seria ideal colocar 2 subs, um atrás de cada caixa, por exemplo?

Agradeço a ajuda.

Abraços

Eduardo
21-08-17, 18:03
- existe algum problema em utilizar cabos/adaptadores para "splitar" o sinal do pré-amplificador e enviar um cabo para o sub e o outro para o amplificador? Poderia dar algum problema de impedância? Pode haver a degradação do sinal?
Eu acredito que não. Se você for bem, há muito tempo não há um padrão de impedância de entrada. Não vejo nenhum problema.

- como nesse sistema não haverá a utilização de um crossover que irá filtrar as frequências que serão tocadas pelo sub e nas caixas, vocês acham que pode ser um problema essa ligação? Pelas especificações da minha caixa, ela toca a partir de 42Hz, mas escutando sei que não toca bem essas frequências e gostaria de deixar o subwoofer tocando tudo abaixo de 70Hz. Será que pode haver um embolamento do som deixando tanto a caixa quanto o sub tocando algumas frequências iguais?
Pode haver um problema de cancelamento de fases se não estiverem iguais, mas no restante, também não vejo problemas. Já vi sistemas assim tocando bem.

- e finalmente, na opinião de vocês, haveria um ganho significativo utilizando 2 subwoofers, em um sistema 2.2? Como meus equipamentos ficam entre as caixas, eu só poderei posicionar o subwoofer em um dos cantos atrás das caixas de som. Será que isso poderá afetar muito a imagem estéreo do sistema? Seria ideal colocar 2 subs, um atrás de cada caixa, por exemplo?
Dizem que os sons de frequência muito baixa não são direcionais e, portanto, apenas um sub seria suficiente. Mas, eu prefiro dois. Montei meu sistema anterior com dois subwoofers, e sentia diferença sim. O palco era mais real com dois.

danielbeim
21-08-17, 20:45
- existe algum problema em utilizar cabos/adaptadores para "splitar" o sinal do pré-amplificador e enviar um cabo para o sub e o outro para o amplificador? Poderia dar algum problema de impedância? Pode haver a degradação do sinal?
Eu acredito que não. Se você for bem, há muito tempo não há um padrão de impedância de entrada. Não vejo nenhum problema.

- como nesse sistema não haverá a utilização de um crossover que irá filtrar as frequências que serão tocadas pelo sub e nas caixas, vocês acham que pode ser um problema essa ligação? Pelas especificações da minha caixa, ela toca a partir de 42Hz, mas escutando sei que não toca bem essas frequências e gostaria de deixar o subwoofer tocando tudo abaixo de 70Hz. Será que pode haver um embolamento do som deixando tanto a caixa quanto o sub tocando algumas frequências iguais?
Pode haver um problema de cancelamento de fases se não estiverem iguais, mas no restante, também não vejo problemas. Já vi sistemas assim tocando bem.

- e finalmente, na opinião de vocês, haveria um ganho significativo utilizando 2 subwoofers, em um sistema 2.2? Como meus equipamentos ficam entre as caixas, eu só poderei posicionar o subwoofer em um dos cantos atrás das caixas de som. Será que isso poderá afetar muito a imagem estéreo do sistema? Seria ideal colocar 2 subs, um atrás de cada caixa, por exemplo?
Dizem que os sons de frequência muito baixa não são direcionais e, portanto, apenas um sub seria suficiente. Mas, eu prefiro dois. Montei meu sistema anterior com dois subwoofers, e sentia diferença sim. O palco era mais real com dois.
Muito obrigado pela resposta, Eduardo. Vou testar com 1 e vejo como fica.

Eduardo
23-08-17, 19:34
Daniel, ouça outras opiniões antes de tomar qualquer decisão... :OK:

danielbeim
24-08-17, 10:47
Bom dia Eduardo,

nos últimos dias li bastante sobre sistemas estéreo com subwoofer pela internet. Pelo que entendi das experiências dos usuários desse tipo de sistema tirei as seguintes conclusões:

- caso se ajuste o crossover do subwoofer para tocar frequências abaixo de 70/80Hz, o som acaba se tornando direcional e, nesse caso, parece que o melhor é o que você utiliza: 2 subwoofers próximos a cada caixa. E subs com o falante na frente.

- caso se ajuste o crossover do subwoofer para tocar frequências abaixo de 40Hz, o som fica menos direcional e aí pode-se posicioná-lo no melhor lugar que soar na sala (não necessariamente próximo das caixas). Nesse caso, parece não haver tanta diferença em ter-se 1 ou 2 subs e não importa tanto como é montado o falante (apontado para a frente ou para baixo).

No meu caso, como expliquei, gostaria de utilizar o sub tocando as frequências abaixo de 70Hz pelo menos, uma vez que minhas caixas são bookshelf e não tocam tão bem os graves. Talvez no meu caso o ideal seria realmente 2 subs cortados em 70Hz. No entanto eu irei usar um rca splitter saindo do pré e o sinal inteiro irá para as caixas e para o sub. Portanto não sei dizer se isso pode dar problema de fase, como você comentou.

Eu acabai aproveitando a promoção do WalMart que o Luis Carlos deu a dica aqui no fórum e comprei um sub de 8" da Pioneer.
https://www.pioneerelectronics.com/PUSA/Home/Speakers/Pioneer+Speakers/SW-8MK2

Como ele é com falante apontado para o chão, minha sala é pequena, as caixas não ficam tão distantes uma da outra e meu ponto de audição fica a uns 2 metros das caixas somente, talvez consiga resolver com a configuração de somente 1 sub mesmo. Mas terei que testar bastante a frequência de corte. Talvez precise cortar mais baixo do que eu gostaria. a KEF informa que as caixas que eu tenho tocam a partir de 42Hz....vamos ver como fica cortando em 50Hz.

Para posicionar irei fazer aquele teste de colocar o sub no ponto de audição e ir escutando na sala onde melhor toca.

Ainda estou aguardando chegar o sub. Assim que montar e fizer alguns testes, coloco aqui minha experiência.

Se alguém tiver alguma sugestão para os testes que irei fazer, pontos de corte, posicionamento etc, agradeço.

Abraços

blaska
05-09-17, 18:49
Cumprimentos, não sou o Eduardo (nao sei 1% do que ele sabe do assunto rs) mas pela minha pouca experiência no assunto voce está no caminho certo.Só tome cuidado qua to a questão "ambiente" porque alguns objetos na sala de escuta podem refletir os subgraves tornando-os direcionais.Boa sorte.

Eduardo
05-09-17, 19:39
Também não sou um expert em tudo, tanto que me assusta quando eu respondo algo e quem pergunta diz que vai fazer exatamente o que eu sugeri.
Por isso peço logo para ele ouvir outras opiniões também.

blaska
06-09-17, 18:22
Aproveitando o "embalo", Eduardo, como posso avaliar se um grave/subgrave é verdadeiro em uma música? Existe algum método de medição ou algo do tipo? Pergunto porque quando escutei a musica " Fallin" da Alicia Keys, me parece que os sons de baixo ou graves apenas foram inseridos na música.Apesar de a música e a sonoridade serem incríveis.Abraço.

Thassio Ricardo
11-09-17, 19:46
Toda caixa colore o som. Agora, inserir algo é novidade pra mim.

Um abraço
Thassio

thereizein
13-09-17, 15:59
subgrave você mais sente (com o corpo) do que escuta (com os ouvidos).

Eduardo
13-09-17, 17:32
O que para mim não me parece algo normal. Na verdade, o que sentimos é a pressão da movimentação do ar apenas, não som.

O que você acha?

Eduardo Thadeu
13-09-17, 20:54
Tem ocasiões que o pancadão se faz necessário, como ouvir funk e hip hop, imaginem sem o pancadão, esses estilos não seriam nada, rsrsrsrs?

Já teve época que gostava disso, agora gosto de graves rápidos, secos e controlados.

danielbeim
15-09-17, 18:08
Somente atualizando a minha experiência. Acrescentei o subwoofer no meu sistema estéreo. Ainda estou fazendo alguns ajustes finos de volume e corte do sub, mas já tive excelentes resultados.

O sub que comprei foi o SW-8MK2 da Pioneer. É um sub pequeno (8"). Liguei através da entrada RCA dele, saindo do pré amplificador Croft 25R com um "RCA Splitter". Um par de cabos vai para o subwoofer e o outro par para os monoblocos Mcintosh MC30.

Fiz o teste para encontrar o melhor posicionamento e acabou sendo atrás da caixa esquerda (próximo ao canto da sala). Acabei fazendo o corte seguindo meus ouvidos mesmo e acabou ficando mais alto do que eu queria, mas foi como soou melhor (em aproximadamente 80 ou 90Hz - o sub não tem uma marcação das frequências, além da inicial - 40Hz e da final - 150Hz). O volume ficou aproximadamente no meio.

Eu imagino que utilizando esse corte, caso a minha sala fosse maior, meu ponto de escuta fosse mais distante do que é e a distância entre as caixas fosse maior, provavelmente eu teria problema de alteração da imagem estéreo. Mas na minha sala funcionou bem.

Os resultados foram muito positivos! O primeiro resultado foi o que eu esperava, ou seja, poder escutar com melhor definição as notas mais graves de contrabaixo acústico em jazz, ou um bumbo com mais pressão em músicas eletrônicas.

O segundo resultado, no entanto, foi bastante inesperado e muito bem vindo. Enquanto eu ajustava o corte e volume do sub, acabei testando inverter a fase do sub. Imediatamente o grave ficou muito mais seco e controlado (até aumentei um pouco o volume depois dessa inversão de fase). Tive a sensação de que foi quase como um corretor de ambiente tirando alguma onda estacionária grave da minha sala. Com isso, o que mais me impressionou foi o quanto melhor ficaram as demais frequências, a separação dos instrumentos na imagem estéreo, a clareza dos instrumentos. Enfim, foi uma melhora significativa no som como um todo que eu não esperava. Junto a isso o fato de que agora consigo escutar muito melhor as notas mais graves e acabou sendo um excelente resultado.

Essa experiência foi muito interessante para mim. Eu não imaginei que a adição do sub fosse mexer na qualidade das demais frequências das caixas de som, uma vez que não estou utilizando um crossover, ou seja, o sinal do pré está indo inteiro tanto para o sub quanto para as caixas. E considerando a frequência de corte do sub, uma grande parte das frequências baixas estão sendo tocadas tanto pelo sub quanto pelas caixas (entre 40 e 90Hz aproximadamente). Me deu a impressão que quando eu inverti a fase do sub, houve um cancelamento de alguma frequência baixa proveniente das caixas que estava sobrando na minha sala e embolando o som como um todo. E com esse cancelamento, foi como se limpasse esses graves embolados.

Continuo ainda fazendo alguns testes, mas creio que cheguei na melhor configuração do meu sistema 2.1. E fiquei muito satisfeito mesmo.

Caso alguém utilize caixas bookshelf, não queria adquirir caixas full range, mas queira estender as frequências baixas, aconselho bastante tentarem um subwoofer. E, na minha sala, que é pequena, esse sub da Pioneer acabou sendo uma ótima compra.

Tiago MCSP
15-09-17, 20:44
Somente atualizando a minha experiência. Acrescentei o subwoofer no meu sistema estéreo. Ainda estou fazendo alguns ajustes finos de volume e corte do sub, mas já tive excelentes resultados.

O sub que comprei foi o SW-8MK2 da Pioneer. É um sub pequeno (8"). Liguei através da entrada RCA dele, saindo do pré amplificador Croft 25R com um "RCA Splitter". Um par de cabos vai para o subwoofer e o outro par para os monoblocos Mcintosh MC30.

Fiz o teste para encontrar o melhor posicionamento e acabou sendo atrás da caixa esquerda (próximo ao canto da sala). Acabei fazendo o corte seguindo meus ouvidos mesmo e acabou ficando mais alto do que eu queria, mas foi como soou melhor (em aproximadamente 80 ou 90Hz - o sub não tem uma marcação das frequências, além da inicial - 40Hz e da final - 150Hz). O volume ficou aproximadamente no meio.

Eu imagino que utilizando esse corte, caso a minha sala fosse maior, meu ponto de escuta fosse mais distante do que é e a distância entre as caixas fosse maior, provavelmente eu teria problema de alteração da imagem estéreo. Mas na minha sala funcionou bem.

Os resultados foram muito positivos! O primeiro resultado foi o que eu esperava, ou seja, poder escutar com melhor definição as notas mais graves de contrabaixo acústico em jazz, ou um bumbo com mais pressão em músicas eletrônicas.

O segundo resultado, no entanto, foi bastante inesperado e muito bem vindo. Enquanto eu ajustava o corte e volume do sub, acabei testando inverter a fase do sub. Imediatamente o grave ficou muito mais seco e controlado (até aumentei um pouco o volume depois dessa inversão de fase). Tive a sensação de que foi quase como um corretor de ambiente tirando alguma onda estacionária grave da minha sala. Com isso, o que mais me impressionou foi o quanto melhor ficaram as demais frequências, a separação dos instrumentos na imagem estéreo, a clareza dos instrumentos. Enfim, foi uma melhora significativa no som como um todo que eu não esperava. Junto a isso o fato de que agora consigo escutar muito melhor as notas mais graves e acabou sendo um excelente resultado.

Essa experiência foi muito interessante para mim. Eu não imaginei que a adição do sub fosse mexer na qualidade das demais frequências das caixas de som, uma vez que não estou utilizando um crossover, ou seja, o sinal do pré está indo inteiro tanto para o sub quanto para as caixas. E considerando a frequência de corte do sub, uma grande parte das frequências baixas estão sendo tocadas tanto pelo sub quanto pelas caixas (entre 40 e 90Hz aproximadamente). Me deu a impressão que quando eu inverti a fase do sub, houve um cancelamento de alguma frequência baixa proveniente das caixas que estava sobrando na minha sala e embolando o som como um todo. E com esse cancelamento, foi como se limpasse esses graves embolados.

Continuo ainda fazendo alguns testes, mas creio que cheguei na melhor configuração do meu sistema 2.1. E fiquei muito satisfeito mesmo.

Caso alguém utilize caixas bookshelf, não queria adquirir caixas full range, mas queira estender as frequências baixas, aconselho bastante tentarem um subwoofer. E, na minha sala, que é pequena, esse sub da Pioneer acabou sendo uma ótima compra.

Interessante! Qual o restando do set? Tamanho da sala? Tem foto? Abs.