PDA

Ver Versão Completa : Energy cb 20 review c/ fotos



cecelo01
12-08-13, 13:04
Boa tarde aos colegas e segue meu review das CB20, ao qual não tenho mais. Foram trocadas pelas IQ30. Abraços e espero que gostem.:OK:


CB20

PRIMEIRA PARTE

Tempo de queima: 110 horas

Especificações:
System Type 2-way bookshelf, bass reflex with rear-firing port Frequency Response 60Hz - 20kHz Recommended Amplifier Power 20-150 W /channel Impedance 4 Ohms min./8 Ohms nominal Tweeter 1-inch (25.4mm) hyperbolic aluminum-dome Woofer 6.5-inch (165mm) w/Ribbed Elliptical Surround Sensitivity (2 speakers in a typical room) 92dB Crossover Point 2.2kHz Inputs Gold plated 5-way binding posts Overall Dimensions HxWxD
12.2 x 7.6 x 9.1 inches
31 x 19.2 x 23cm

Objetivo:
Compor meu set frontal de caixas para o sistema multicanal (troca das minhas Tannoy Mercurys II pelas Energy CB20)

Motivo:
Além das minhas Mercurys estarem um pouco ultrapassadas para os meus objetivos, estas apresentavam baixa sensibilidade (87db), limitação de Wrms, e uma característica de timbres um pouco fechada, contra a minha central Celestion de 95 de sensibilidade e uma característica de timbres mais ao meu gosto, apesar do meu receiver ter equilização para a caixa central. Diante destes fatos, a CB20 se ajustava melhor no meu setup multicanal.

Filmes:
Seu ponto forte. Mostrou ser uma caixa bem arejada, com riquezas de detalhes, bem equilibrada, ótima sinergia com a central e com todo o restante do setup multicanal. Excelente envolvimento, enfim, muito boa caixa e para o meu principal objetivo, fiquei muito satisfeito.

Shows em multicanal:
Para shows no sistema multicanal, não gosto e não uso subwoofer, sou contra. Uso somente o sistema 5.0 - central em small, frontal em large e surrounds tb em small. Para o meu gosto musical (jazz, soul, acid jazz, modern soul, dentre outros), estas caixas atentederam bem o objetivo, pois mesmo descendo até uns 57 HZ, elas deram conta do recado, pois neste tipo de gênero musical, poucas são as passagens abaixo desta frequência, e outra, conforme vcs poderão ver pelas fotos, mesmo esta caixa tendo um bom grave, eu ainda dei mais uma "ênxugada" nas baixas, pois conforme já estava desconfiado verifiquei que necessitava de uma melhor forração, e com isto consegui retirar um pouco da "gordura" que havia nas baixas. Isto é um recurso que gosto de usar quando a caixa é limitada nas baixas, e costuma ter bons resultados. Aqui as caixas mostraram ótimo sound stage, bons graves (depois da forração) e total interação com as outras caixas do sistema multch.

Estéreo:
Para quem está começando, até dá pra levar. Mas conforme for se dedicando, aí com certeza o sistema irá se ressentir de uma caixa com um maior espaçamento entre as frequências. Se ela tivesse uma baixa na faixa dos 45 - 48 Hz, seria uma excelente caixa book para estéreo, mais limitada a 57 - 60 Hz, mesmo tendo um grave sêco, rápido e com um certo punch, fica complicado em um sistema mais dedicado. Mas mesmo assim sem compromisso, dá para ouvir, até pq seu timbramento é bem gostoso, confortável, e não senti fadiga auditiva.

FOTOS:

http://i755.photobucket.com/albums/xx199/cecelo01/cb20painel.jpg

http://i755.photobucket.com/albums/xx199/cecelo01/frontalcbaberta.jpg

Forração deficiente

http://i755.photobucket.com/albums/xx199/cecelo01/cbaberta.jpg

http://i755.photobucket.com/albums/xx199/cecelo01/cbmaterialusado.jpg

devidamente forrada, melhora de uns 15% no desempenho da caixa

http://i755.photobucket.com/albums/xx199/cecelo01/forradacb.jpg

Por enquanto esta é uma primeira observação sobre as CB20. Abraços.

---------- Mensagem adicionada às 17:04 ---------- Mensagem anterior foi enviada às 17:02 ----------

SEGUNDA PARTE

Do que os colegas vão gostar
* Frequências bem equilibradas. Altas extensas e arejadas, médios equilibrados, graves secos, rápidos e com um bom punch (principalmente com nova forração).
* Alta sensibilidade (fácil para qualquer receiver de entrada ou mediano empurrar) e indicada para salas de até 25 metros quadrados.
* Muito bom acabamento externo (painel frontal em black piano). Gabinete bem rígido, evitando com isso ressonâncias e excelentes bornes.
* Para estéreo, uma ótima imagem e um bom palco holográfico foi notado. Aqui elas estão na distância de 4.00 metros uma da outra e não foi notado perda do foco. Quando eu tinha as Mercurys, com mais de 3.50 metros a perda do foco e a descentralização ficavam evidentes.
* Excelente custo benefício, ótima versatilidade, pois seu foco principal são para HTs de pequeno e médio porte e tb para estéreo não dedicado (colegas que usem o próprio receiver para ouvir música em 2ch.).
* Caixa book mediana, versatilidade de espaço para vários ambientes.

Do que os colegas não vão gostar
* Limitação das baixas na faixa de 57 - 60 Hz, dependendo do ritmo musical não fica legal para música em 2ch.
* Forração interna deficiente. Com nova forração, um ganho da ordem de uns 15%.
* Para estéreo dedicado, não indicaria, principalmente pela limitação de frequência das baixas.
* Não é bicablada.
* Muito sensível ao ambiente que ocupa, ou seja, tem que estar muito bem posicionada para ter bom desempenho.
* Necessita de pedestal, para ter um ótimo rendimento.

Observações da parte interna
* Como já descrito antes, forração interna necessita de uma atenção melhor.
* Muito bem elaborado o divisor de frequências.
* Cabeamento interno no mesmo patamar de suas concorrentes, ex: Tannoy, Klipsch, Polk, dentre outras.
* Diferentemente de algumas caixas books que já andei fuçando, esta aqui conforme a foto a seguir demonstra, é dividida em duas câmaras (interessante). Uma superior há onde fica o tweeter e uma inferior há onde está localizado o woofer, e bem próximas.

http://i755.photobucket.com/albums/xx199/cecelo01/pronta.jpg

Aberto a perguntas.:legal:

OBS:

Posicionamento em leve toe in.