PDA

Ver Versão Completa : Caixas Bowers & Wilkins



Páginas : [1] 2 3

Dartzeel
15-10-13, 10:39
Entrando no fórum com as 804D.

Essas caixas são uma piração auditiva.

Eduardo
16-10-13, 09:30
Estas caixas são maravilhosas.

Marcio
16-10-13, 11:55
Também sou admirador da linha.

Qdo comecei tinha um par Lando LBK 312, ai fiz um UP para 602 S2 com um AMP CREEK, que maravilha, vivi feliz uns bons anos. Depois comprei uma matrix 804, (que tenho ate hoje) também mais uns bons anos. Atualmente tenho 803D, o que me encanta na 803D são os médios e aguados, simplesmente maravilhosos.

Marcio

csan
16-10-13, 12:09
Estou com um trio aqui parado há 3 anos (!). Acho que quando for ligar vai explodir. Tem de fazer alguma checagem ou substituição de placas ou peças antes de ligar isso? Não sou um DIYer, nem costumo desmontar as coisas como deveria e fazem muitos dos membros aqui do forum pra melhorar performance. Os conectores como não oxidaram com a maresia neste tempo creio que são mesmo banhados a ouro, hehe...

Eduardo
16-10-13, 12:21
fiz um UP para 602 S2 com um AMP CREEK

já usei esta combinação também. É realmente impressionante o casamento dos dois.

JulioCesar
16-10-13, 12:42
Fiquei feliz por um bom tempo com as 602 S2 mais Rotel .

Celso
16-10-13, 12:52
Olha Carlos,são caixas muito refinadas,acredito que não tenha que abrir e rever componentes...A não ser que seja muita curiosidade Rsrs;ou para fazer melhorias :OK:Abraço

csan
16-10-13, 14:23
Menos mau, Celso. Confiarei na mão-de-obra dos ingleses... (pelo menos é o que indica atrás da caixa)...

Dartzeel
26-10-13, 22:15
http://www.youtube.com/watch?v=NErlaXCjuDk&feature=youtu.be

Minhas 804D tocando no sistema de um amigo.

csan
26-10-13, 22:47
Legal o tratamento acústico. E convenhamos, que sistema hein? ^:)^

fibra
27-10-13, 00:51
Muito bom mesmo.
Parabéns !

Eduardo
27-10-13, 08:08
Dartzeel

Que belo sistema !!!
Essas caixas são incríveis. O realismo delas é muito grande.
Ouvi um par recentemente na casa de um amigo que trocou suas caixas antigas. Que diferença !
Caixas mudam tudo.

carlos.simoes
27-10-13, 15:43
Apresentar via youtube já é difícil, com gravação nacional então... Que beleza, muito bom!

:OK:

Dartzeel
30-10-13, 23:29
E esse disco é mal gravado até não poder mais,pena as caixas não estarem lado a lado,a 803D é um monstro perto da 804D,parece filhota.

Depois vou postar um vídeo delas aqui no meu sistema,vou dar uma geral na bagunça,estão sendo empurradas pelo AR VSi60 + AR CD8 e de quebra um sub JL Audio 113.

Agora minha grana vai ser torrada apenas com cds,futuramente uns cabos podem entrar na brincadeira.

Abraços.

Robson
16-11-13, 21:49
Olá Pessoal,

Sou novo aqui e gostaria muito de umas opiniões, Fiquei encantado pelas caixas B&W CM9 e gostaria de montar um HT. mas também gostaria muito de utiliza-las para som stereo.
A duvida é, se eu quiser os dois com boa qualidade, terei que comprar um bom receiver para os filmes e um bom aplificador para os stereos?

Obrigado

Robson

frost
22-11-13, 09:57
Olá Pessoal,

Sou novo aqui e gostaria muito de umas opiniões, Fiquei encantado pelas caixas B&W CM9 e gostaria de montar um HT. mas também gostaria muito de utiliza-las para som stereo.
A duvida é, se eu quiser os dois com boa qualidade, terei que comprar um bom receiver para os filmes e um bom aplificador para os stereos?

Obrigado

Robson

Não, um bom receiver atenderá os dois com maestria. Na verdade, todos os amplificadores (incluindo os inseridos em receivers) que tenham grande impedância de entrada, baixa impedância de saída, alto fator de amortecimento (+ de 50) e baixo thd+n (- de 0.1), quando operados dentro de suas especificações (ou seja, sem clipar) tem o mesmo som.

O receiver terá as vantagens extras de ter DAC interno e correção ambiental ( procure receivers com audissey 32, como o onkyo 818), o que deixa o som ( tanto em ht quanto em estéreo) bem melhor que sem a correção ambiental.


Enviado de meu Nexus 4 usando Tapatalk

VTR
22-11-13, 13:03
Todos os amplificadores com as mesmas características/operados dentro das especificações tem o mesmo som??
Gostaria que isso fosse verdade.
Muito mesmo.

frost
22-11-13, 14:01
Todos os amplificadores com as mesmas características/operados dentro das especificações tem o mesmo som??
Gostaria que isso fosse verdade.
Muito mesmo.

Você distorceu ou não entendeu o que eu escrevi. Eu escrevi que os amplificadores que tem as características descritas no meu post, quando operados dentro de sua especificação, soam todos iguais.

Dito isto, e com amplificadores como os por mim descritos, pode começar a comemorar.

Enviado de meu Nexus 4 usando Tapatalk

VTR
22-11-13, 16:20
Entendí perfeitamente o que vc descreveu e (procurei) não distorcer nada.

O falecido Julian Hirsch da extinta Stereo Review tinha exatamente a mesma sua opinião que eu entendo que seja a dos "bons números": tantos % de distorção harmonica, tantos dB abaixo ou acima, numeros fantásticos para o fator de amortecimento etc etc e todos os amplificadores de áudio então soarão da mesma maneira.
Qualidade assegurada desde que meçam bons números.

O famoso Bob Carver tb: chegou a desafiar um amp famoso a válvulas dizendo que construiria um SS que soaria do mesmo jeito, indistinguível do outro. Conseguiu não.

Pois eu afirmo: nada mais longe do que ocorre na realidade no uso destes aparelhos do que isso que eles defendiam e vc defende.

Eduardo
22-11-13, 17:29
Eu acredito em diferenças, mas pequenas dentro de algum nivelamento de qualidade, e utilizando a mesma tecnologia (válvula ou SS).

Eu cheguei a colocar com amigos caríssimos e diferentes amplificadores para comparar com o bom e velho Creek 5350SE, e na maioria das vezes ninguém percebeu a diferença.
As maiores diferenças ocorrem por propositalidades (desnecessárias acredito) no projeto.

Noto mais diferença entre valvulados e SS. Aí tem uma certa (talvez um pouco exagerada) razão do Frost. Estes tocam com diferenças maiores, mas sabemos que algumas características, como a distorção, costumam ser um pouco diferentes.
Vi um comparativo certa vez onde experientes audiófilos e avaliadores não conseguiram perceber diferenças entre amplificadores, bem variados, diga-se, e lembro que na época isso acabou criando uma idéia de que todos os amplificadores tocavam igual.
A explicação foi de que as características técnicas eram bem parecidas.
Eu não estava lá e não posso afirmar nada.
Sei apenas que diferenças entre válvulas e SS são mais perceptíveis, mas cada vez menores, e em alguns casos já até pouco percebidas. Tanto que as variações de gosto costumam ser maiores em relação às duas tecnologias, e menores entre modelos de mesma tecnologia. Eu, por exemplo, nunca gostei de valvulados, sempre achando o som muito "característico", morno demais e médios sempre salientes e um som "macio" demais. Descobri mais tarde que tinha algo a ver com os índices maiores de distorção (se bem que cada projetista tem a sua explicação), mas hoje já ouço vários valvulados com sonoridade bem próxima de SS, o que tem me agradado mais.
Claro que tudo isso varia de indivíduo para indivíduo, e deve ser respeitado.

csan
22-11-13, 18:13
Estas diferenças de qualidade seriam perceptíveis dentro de quaisquer níveis de caixas ou independe? Ou depende do conjunto todo (caixas + amp + ... ) :-?

Abs

Carlos

Tiago MCSP
22-11-13, 18:13
Então, supondo que com caixas super refinadas, se eu continuar com meu Advance Acoustic map308, ou comprar um MF M6i, Cambridge 851a, Exaudi 610a, ou mesmo um MBL 7008, Krell FBI, MF primo + AMS 100, a diferença de resultado seria mínima? É isso mesmo ou entendi errado?

Eduardo
22-11-13, 18:20
Carlos

Eu nem citaria a questão da qualidade. Como dizia o grande MMartins: "eles tocam diferente" :verde&:

Tiago,

Como eu comentei, "Eu acredito em diferenças, mas pequenas dentro de algum nivelamento de qualidade". Atente aqui para a idéia de qualidade no sentido de construção, ou mais precisamente, características construtivas.
Acho que por isso costumamos ver amplificadores de 1.500 dólares no mesmo nível de outros de 30 mil ou mais nas mais respeitadas listas. Aliás, rodou um artigo do amigo Jorge Knirsch neste sentido dia destes.
Mas, como eu também comentei: "As maiores diferenças ocorrem por propositalidades (desnecessárias acredito) no projeto", como fazem com cabos.
É o nosso mundo hi-end... :verde&:

Abraços

Eduardo
22-11-13, 18:33
Em tese, um amplificador deveria simplesmente amplificar um sinal elétrico.
Vamos sempre entender desta forma, pois alguns entendem que ele amplifica notas, vozes ou sons musicais.
Um amplificador entende tudo como sinal elétrico, e deveria amplificá-lo de forma a preservar seus contornos o mais fielmente possível.
É óbvio que interações com caixas, por exemplo, podem interferir no funcionamento de um amplificador, o que não deveria ocorrer, mas acontece.
Se tomarmos todos os amplificadores que estão na Classe A da Stereophile, por exemplo, notaremos que as diferenças entre eles são mínimas, bastante sutis, e mais relacionadas ao gosto pessoal do que em superioridade real de fato.
Um vez comentei com o editor da revista sobre os amplificadores de diferentes preços neste mesmo patamar, e como se explica isso. Ele me respondeu que isso não se explica, e o que se deve fazer é escolher o mais barato, desde que tenha as características que você procura ( com ou sem DAC, mais ou menos entradas, potência, etc).
Ele também não acredita que toquem todos iguais, mas que dentro de um nivelamento de qualidades, tocam realmente de forma tão parecida que na maioria das vezes é bem difícil distinguir um do outro.
Eu já peguei amplificadores que tocavam bem diferentes, mas tinham características técnicas e conceitos bem distintos.
O meu Creek tocava (e ainda toca pois estou com ele) muito parecido com os powers da Cambridge que tenho hoje, mas estes conseguem suportar as minhas caixas que são bastante exigentes de corrente bem melhor que o Creek, principalmente em potências mais elevadas, onde o Creek clipava. Mas, ambos tocam bem diferente do meu receiver da Marantz, que notadamente tem outra proposta.
Mas, o risco de você pegar dois amplificadores de diferentes marcas e preços e perceber que tocam de forma bastante parecida, acredite, é muito grande.

Tiago MCSP
22-11-13, 18:49
Eduardo, o que você quer dizer é que, dentro de um determinado nível de equipamento (no caso específico da amplificação), as diferenças são mínimas?
E numa comparação entre esses níveis a diferença de resultado se destaca mais?

Só para ficar claro, porque numa leitura apressada deu a entender que a importância da amplificação (incluindo a pré) dentro do resultado final seria mais ou menos como aquela representada pelos cabos: bem pequena.

Para ficar ainda mais claro, pegando a Musical Fidelity como exemplo, existem várias linhas (níveis) de equipamentos dentro da mesma marca, como M3i, m6i, m6 pre + power, m8 pre + power, AMS e Titan. Comparando a linha Titan com a m3i, a diferença seria bem pronunciada, mas entre equipos do mesmo nível de marcas diferentes, seriam pequenas?

Abraços.


Edit: você meio que respondeu isso no último post. Esse meu post foi para a sua penúltima postagem.

Eduardo
22-11-13, 19:23
Tiago,

Então já está respondido... :verde&:

É mais ou menos isso que escrevi em seguida... eu apenas trocaria o "são" pelo "podem ser"...
Meu comentário pareceu mesmo um pouco confuso, mas acho que deu para entender agora.

Meu caro, se você soubesse como tem amplificador top de linha que toca menos que amplificadores de linhas mais simples...
Claro que muitos não se interessam em contar isso, por isso tem revistinha que diz que testou mais de 200 produtos que não tinham a menor qualidade mas não conta quais são eles.
A idéia é tentar justificar o muito mais caro como sendo algo muito melhor, o que muitas vezes não é verdade.
Tenho um amigo que me disse que a quantidade de vezes que ele já leu testes de cabos numa revista, onde o avaliador disse que houve uma forte redução de ruído de fundo (sepulcral), das duas uma: ou o sistema dele tinha um ruído de fundo absurdo ou o avaliador está ouvindo ruído demais... :verde&: Muita cara-de-pau...

Não sei se já contei aqui, mas o amplificador principal de um dos articulistas da Stereophile era um valvulado de 6 watts, e ele insistia que não tinha conhecido nenhum outro valvulado em qualquer faixa de preço que fosse melhor, no máximo parecido.
Se não me engano, era vendido em Kit, da Sun, por algumas centenas de dólares... (o Ricardo deve conhecer melhor)

É engraçado como todo mundo defende seu equipamento como sendo inovador e melhor que os demais, mas existem centenas, e todos são "ótimos". Ora o segredo é a construção "minimalista", ora é o "sofisticado circuito interno". No final, acaba valendo o gosto mesmo.

Eu fico feliz quando testo um amplificador de alguns poucos mil dólares (bem poucos) e descubro que tudo está lá, e que mais é exagero.

Marcelo Flat
23-11-13, 17:47
Olá Pessoal,

...Fiquei encantado pelas caixas B&W CM9 e gostaria de montar um HT. mas também gostaria muito de utiliza-las para som stereo.
A duvida é, se eu quiser os dois com boa qualidade, terei que comprar um bom receiver para os filmes e um bom aplificador para os stereos?




Um receiver "bom" nunca irá tocar estas caixas acima como um amplificador dedicado. Experiência própria. Há outras caixas mais "fáceis" da B&W em que se perceberia menor diferença entre amplificadores diferentes.
Mas, na mesma medida em que sobe o nível de exigência da caixa, maiores diferenças se constatam entre amplificadores, numa audição.

Se você tiver oportunidade de testar vários, constatará que alguns chegam a ser inadequados para aquela caixa, independente de seus números.
Para esta caixa, amplificadores parrudos são necessários, a fim de se conseguir uma apresentação musical realista, e não um som "fininho" e "magro" de cada instrumento ou voz.

Abraço!

Airton Mathias
23-11-13, 21:45
Ótima discussão sobre as características dos projetos de amplificação de áudio versus audição.

Mas constatamos que o Mercado de áudio tem muitos mitos fabricados pelas revistas e os revisores, que são difíceis, de a Lógica erradicar.
Sendo este que: “Receiver” é inferior a um amplificador integrado, se já notaram que qualquer “Receiver”, é apenas um integrado com receptor de rádio AM ou FM opcional, nada mais, cuja qualidade dependerá apenas do projeto.

No post: 19 o Ricardo cita Bob Carver, como sou fã do Bob Carver . Permita-me atualizar a informação.

“O famoso Bob Carver tb: chegou a desafiar um amp famoso a válvulas dizendo que construiria um SS que soaria do mesmo jeito, indistinguível do outro. Conseguiu não.”
Ricardo conseguiu sim! Carver e qualquer um que tenha conhecimento de analise elétrica pode duplicar o desempenho eletro-eletrônico de qualquer equipamento de áudio.

Hoje com equipamento como este da Rohde & Schwarz é uma maravilha. Apenas para exemplificar.

http://www.youtube.com/watch?v=6B7tS-Mj3BU


Mas como o mundo mitológico dos audiófilos esta possibilidade é Heresias.

Muitos “gurus” engenheiros que realmente conhecem a matéria, ainda tendo de “agradar o Marketing (audiófilos)” perpetua os mitos e somente nas entrelinhas podemos ler a sua opinião,
as respeito dos próprios equipamentos que fabricam. Vejam os links.

Nelson Pass
https://passlabs.com/articles/audio-distortion-and-feedback

FAQs for the Audiophile
https://passlabs.com/technology/questions


Graça ao Geremias e as cervejas, em sua loja tinha um exemplar da revista Audio Video Magazine n. 169, li com surpresa,
a espetacular entrevista como o presidente da Audio Note do Reino Unido, Peter Qvortrup ( Na revista Peter Qvortrupda).

Que recomendo de coração, pois ele espoem corretamente os problemas entre os pontos de vista dos projetistas e a audição resultante.
Com visão de alguém que conhece muito sobre reprodução e projetos de equipamentos, sem o embasamento mitológico mercantilista.

Porque equipamentos são projetados apenas para exibir dados técnicos e não para a reprodução musical.

http://www.clubedoaudio.com.br/Files/imgs_produtos/373_capa.jpg


http://www.clubedoaudio.com.br/RevistaDigital/373/index.html


Nos vídeos os mesmos temas são descritos.

Peter Qvortrup @ Hi-Files Show 2009 (part 1)


http://www.youtube.com/watch?v=7i0elwZSLY4


Peter Qvortrup @ Hi-Files Show 2009 (part 2)

http://www.youtube.com/watch?v=zEUW3Y7IZRA


Peter Qvortrup @ Hi-Files Show 2009 (part 3)

http://www.youtube.com/watch?v=Yu3X6jqtUU8


Bob Carver Interview

http://www.youtube.com/watch?v=cFWZJrJWtzc

Abaixo uma tradução via Google sobre o desafio do Bob Carver.
Bob Carver
Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.


Robert W. (Bob) Carver é um americano projetista de equipamentos de áudio baseado no noroeste do Pacífico .
Educado como físico e engenheiro , ele encontrou um interesse em equipamentos de áudio em uma idade jovem. Ele aplicou seu talento para produzir inúmeros inovadores de alta fidelidade projetos desde 1970. Ele é conhecido por projetar a Fase Linear 700, a 350 W por canal a mais poderosa do consumidor amplificador de áudio disponível em 1972. Ele passou a encontrar o Carver Corporação em 1979, Sunfire, em 1994, eo Bob Carver LLC em 2011. [1]
Modelagem de Amplifier de Audio.

Bob Carver causou um rebuliço na indústria em meados dos anos 1980, quando ele desafiou duas revistas de áudio high-end para dar-lhe qualquer amplificador de áudio a qualquer preço, e ele duplicar seu som em um de seus custos mais baixos (e, geralmente, muito mais poderoso projetos). Duas revistas aceitou o desafio.
Primeiro, o crítico de áudio escolheu um Mark Levinson ML-2, que Bob acusticamente copiado (função de transferência de duplicação) e vendido como seu amplificador M1.5t (o "t" ficou para função de transferência modificado).

Em 1985, Stereophile revista desafiou Bob copiar um Conrad-Johnson Premier Five (a marca e o modelo não foi nomeado, em seguida, mas revelou depois) amplificador em seus escritórios no Novo México em 48 horas. O amplificador Conrad Johnson foi um dos amplificadores mais conceituados de sua época, custando mais de US $ 12.000.
De nota que em ambos os casos, o amplificador desafiador só poderia ser tratado como uma "caixa preta" e não poderia mesmo ter sua tampa removida. No entanto, Carver, usando o teste de diferença nula, (teste de diferença nula consiste em fornecer a dois amplificadores diferentes, com fontes de sinais idênticos e os valores exatos, mas fora de fase (fase invertida ) por exatamente 180 graus. Se os amplificadores foram 100% idênticas, nenhum som será ouvido. Se o som foi ouvido, os amplificadores de áudio tinha propriedades diferentes). Bob Carver usando "potenciômetros de distorção" para introduzir características de amplificadores, aperfeiçoá-lo para null-out quaisquer diferenças sonoras. Sua "sala de motel" som amplificador modificado foi tão semelhante, os editores da revista Stereophile não poderia dizer a diferença entre o seu amplificador e um custando mais de US $ 10.000. Este amplificador foi comercializado como o M1.0t para cerca de US $ 400,00. Bob Carver pode ter sozinho desmascarado qualquer número de teorias sobre a qualidade do som usando a física, cego e testes duplo-cego e medições imparciais, como "banhado a ouro" fios das caixas-acústicas de som melhor do que fios de cobre, etc) Carver copiado com sucesso o som do amplificador alvo e ganhou o desafio. Os funcionários Stereophile não conseguiu passar de um cego único teste com seu próprio equipamento em sua própria sala de audição. Ele comercializado versões "t" de seus amplificadores incorporando o som dos desenhos Mark Levinson e Conrad Johnson que lhe causou algumas críticas por aqueles que não conseguiram entender a verdadeira natureza do desafio - de que era possível duplicar o som de um amplificador de áudio em dois projetos completamente diferentes. Diante dessas críticas, Carver passou a projetar o Sete de prata (Seven Silver), o amplificador convencional mais caro e esotérico até aquele momento e duplicado o seu som em seu 4.0T M e modelos posteriores que vendeu para alguns 1/40th o preço (cerca de 600 dólares 1500 dólares) -.

Isso também começou a partida de Carver do amplificador M-série para os amplificadores da série TFM mais robustos e atuais empurrando. Os amplificadores TFM foram projetados especificamente para conduzir a carga exigente dos altifalantes fita surpreendentes. O ápice da linha amplificador de Carver era o Lightstar, que agora é um item de colecionador. Apenas cerca de 100 dos amplificadores foram feitas. O amplificador original Lightstar, chamado de Referência Lightstar, contou com um design dual-monobloco, com cabos de energia separados para cada canal. Uma versão posterior, chamado de Lightstar 2.0, apresentou um cabo de alimentação e outras medidas de redução de custos para barbear aproximadamente $ 1.800 de desconto no preço de varejo. Os dois são relatados para ser sonoramente idêntica.
Bob Carver também mais tarde processou a revista Stereophile por seu suposto preconceito contra produtos da Carver. (Stereophile tinha arquivado primeiro processo contra Carver para a reimpressão de material protegido por direitos autorais da revista sem autorização.) O caso foi arbitrado com nenhum dos lados concedeu indenização ( acordo se danos a ambos).

O artigo do desafio na revista Stereophile.
The Carver Challenge
By J. Gordon Holt • Posted: May 11, 2009 • Published: Oct 11, 1985
http://www.stereophile.com/content/carver-challenge

VTR
23-11-13, 22:31
Olá Airton,

O Carver pode até ter copiado os números em desempenho/specs no seu amp desafio naquela época mas o que eu lí foi que não enganava os ouvidos durante todo o tempo.

E digo mais: se isso fosse verdade (todo amp soa igual) eu ou qq outro que se interesse por amplificadores estariamos ricos.

O pessoal aqui não "apreceia" muito meu jeito de dizer as coisas mas minha opinião é e sempre será: gostam de som? comprem SS, gostam de música? comprem valvulados (e ambos do melhor que puderem comprar)
Quem aceitou essa "afronta" minha (e NÃO são poucos...) hj se confessam muito mais tranquilos, ouvem mais música durante muito mais tempo e a febre de upgrades foi finalmente aplacada.

[ ]
R.

Eduardo
23-11-13, 23:26
o que eu lí foi que não enganava os ouvidos durante todo o tempo.

Ricardo,

Bem elucidativa a exposição do Airton. Muito válida. Realmente a história teve outro final.
Onde você leu isso acima? Aí entramos muito no velho campo do subjetivismo... o eterno subjetivismo...

Eu até entendo a sua paixão por valvulados, e sinceramente respeito muito isso, pois conheço outros apaixonados por válvulas. Mas, generalizar não é algo lá muito adequado.
Sempre te vejo como um eterno defensor de valvulados, e, novamente, apaixonado por elas. O problema é que a paixão pode nos cegar até um certo ponto.

Não é questão de não apreciar o jeito como você diz as coisas, mas a forma como as transforma em verdades absolutas (gostam de som? comprem SS, gostam de música? comprem valvulados).
Isto acima faz parecer que todos os compradores de SS são tolos, que estão errados, e que todos os fabricantes de SS também estão equivocados, por mais tecnologia que desenvolvam em seus produtos.
Será que é isso? Acho que não existe o lado estúpido e o correto nesta história.

Outro ponto: "Quem aceitou essa "afronta" minha (e NÃO são poucos...) hj se confessam muito mais tranquilos, ouvem mais música durante muito mais tempo e a febre de upgrades foi finalmente aplacada"
Novamente, é preciso bastante cuidado aqui, vejamos:
Eu sou da época dos valvulados tanto quanto você. Aliás, quando ingressei no colégio técnico passei dois anos estudando válvulas, na mais profunda teoria e sempre com experimentos práticos. Como era uma época de transição tecnológica, os outros dois anos foi estudando transistores e CIs. Montei inúmeros equipamentos valvulados, já que o transistor ainda era meio que novidade nas lojas de componentes eletrônicos. Projetei e construí vários rádios transceptores para 80 e 40m para faixa de radioamador, e paguei a minha primeira faculdade reparando inúmeros equipamentos se som valvulados de excelente nível. Apesar de toda esta experiência na área, acabei preferindo os equipamentos SS por inúmeras virtudes que me agradam.
A frase acima destacada também não sobrevive por experiência própria, pois já vi inúmeros usuários de valvulados migrarem para SS, por "cansarem" do som dos valvulados (e o inverso também... muitas vezes de forma cíclica).
Já vi "convertidos" para valvulados também retornarem ao SS, então mais uma vez a verdade acima não é absoluta.

Sempre defendi que existem preferências. Tem quem ama o vinil, e tem que o odeia por algumas razões de fato. Assim como tem quem ama o valvulado e quem prefira o SS, e cada lado tem as suas mais justas razões para isso.
Eu, particularmente, não gosto. Como então não me converti mesmo tendo a história das válvulas como parte de minha vida? Simples... porque identifico algumas características que não me agradam.
Isso são preferências e reações pessoais, muito individuais, e não se pode estabelecer regras.
Enquanto muitos, por exemplo, amam e defendem os projetores DLP, eu simplesmente não consigo suportar o efeito rainbow, que se manifesta para algumas pessoas. Então porque devo gostar dele e não do LCD? Só porque alguém o acha perfeito?
Pra mim e outras zilhões de pessoas ele simplesmente não serve.

O que quero dizer com isso é que respeito o seu gosto por valvulado, e não tenho qualquer sentimento contrário ao seu jeito de dizer as coisas, mas tão somente a sua forma de colocá-las sempre como verdades absolutas, o que não existe em nenhum hobby que conheço, onde sensações pessoais comandam o jogo. Também não se pode fechar os olhos para as situações opostas, situações em que não se aprecia o valvulado, de quem já experimentou e não gostou, ou quem acabou voltando ao SS pois não se adaptou ao valvulado. Isso existe, e acho que todo mundo aqui deve conhecer alguém com essas características.

Recentemente li que os modernos SS e valvulados se aproximam demais hoje, e é comum muitos se enganarem hoje com um ou outro, o que já demonstra uma convergência de qualidades.

Mais uma vez, não sou contra ou a favor de vinil ou CD, de valvulado ou SS, de LCD ou DLP, de carro vermelho ou azul, ou mesmo de cerveja deste ou daquele tipo. É preciso aceitar e respeitar as diferenças, e jamais dizer que quem ouve vinil gosta de "clics e plocs", que quem tem um carro vermelho jamais volta a ter um azul, que quem não gosta de pilsen não toma cerveja e sim água com sabor de qualquer coisa, ou quem prefere SS não ouve música, apenas som. Se fôssemos desprezar todas as gravações produzidas com equipamentos SS, talvez não sobrasse nenhuma das que ouvimos hoje.

O amplificador nada mais faz do que amplificar um sinal elétrico, e isso pode ser feito com válvulas, transistores, com circuitos analógicos ou digitais, não importa. Cada fabricante vai aproveitar melhor a tecnologia empregada, e buscar o melhor resultado possível para a sua escolha. Foi isso que o Airton tentou mostrar aqui, acredito. É possível chegar lá com uma ou outra tecnologia, e não existe o errado nesta história.
É preciso deixar a paixão pessoal de lado, e aceitar que nunca haverá unanimidade neste ou em qualquer outro hobby onde a satisfação pessoal, as características físicas individuais e os gostos pessoais determinam o melhor resultado para cada um.

Não entenda como uma crítica aos seus amados valvulados, ou a qualquer coisa que você tenha dito, mas é que percebo que essa será mais uma daquelas velhas discussões sem um final feliz, aliás, sem qualquer final, pois nunca acabará.

http://www.clubehiend.com.br/forum/attachment.php?attachmentid=2279&d=1377355544

Um grande abraço e uma ótima noite a todos.

VTR
24-11-13, 01:54
Ricardo,

Onde você leu isso acima? Aí entramos muito no velho campo do subjetivismo... o eterno subjetivismo...


Eduardo,

Ao tempo em que valia realmente a pena ler a melhor revista de áudio que já tivemos (anos 80 e 90 apenas, The Absolute Sound) quem leu/refletiu sobre os comentários de diversos analistas de respeito sobre essas experiencias sabe que estou com a razão.
Como sei que muita gente nem sabia que essa revista existia fica essa pecha de que criei um desfecho (diferente) nessa historinha infeliz. Não me preocupo com isso.
Faz parte da vida dos soldados que marcham diferente do resto do batalhão...

Não resta dúvida que o Bob Carver é um engenheiro experiente mas tb não restam duvidas que ele queria por que queria alterar as leis imutáveis da física, a seus critérios.
No máximo ele conseguiu a prática do cobertor curto: ou cobre os pés ou cobre a cabeça...
Nessas atividades ele se manteve em foco e isso o ajudou a vender muitos de seus aparelhos, o que convenhamos não é nada mal para nenhum fabricante.

Filosofando a coisa: se ele queria emular totalmente (e NÃO conseguiu) um bom amp valvulado é pq o admirava como exemplo a ser seguido: eu p.ex. JAMAIS tentaria imitar/espelhar algo ruim, inadequado.
E se ele afirmava ser o seu projeto/técnica melhor que o valvulado não vejo sentido algum em tentar imitar (sob qq pretexto) algo pior do que os que eu projetasse/fabricasse.
Nem que fosse apenas para comprovar uma teoria!

O que ele queria mesmo era holofote em cima de sí próprio e isso ele conseguiu imensamente.
Só não conseguiu que todos os amps do mundo fossem, a partir dum determinado momento, baseados nas suas teorias do tal "Magnetic Field Power Amplifier", outra técnica miraculosa por ele criada.

Sinceramente: este é o tipo de tópico com todas as características que todos conhecem de antemão pois não chegam a nenhum consenso e tem grande propensão a criar mal estar entre os participantes.
Paro por aqui.

[ ]
R.

frost
24-11-13, 09:14
Pessoal,

Peço desculpas se minha postagem causou mau estar. Apenas estava postando um fato que já foi comprovado em centenas de testes duplos cegos ou ABX em condições controladas e que em todos os fóruns sérios (ex avsforum, hydrogenaudio) já nem se discute mais.

Sent from my Xoom using Tapatalk 4

Eduardo
24-11-13, 09:52
Frost,

Que isso meu camarada?
Não causou mal-estar nenhum. São apenas opiniões respeitosas de pessoas educadas e maduras.
Ninguém aqui ofendeu ninguém ou agiu de forma a causar qualquer mal-estar. Se não pudermos conversar aqui desta forma, onde conversaremos e de que outra forma? :verde&:

:OK:

eduardo galvão
24-11-13, 11:36
Pessoal,

Peço desculpas se minha postagem causou mau estar. Apenas estava postando um fato que já foi comprovado em centenas de testes duplos cegos ou ABX em condições controladas e que em todos os fóruns sérios (ex avsforum, hydrogenaudio) já nem se discute mais.

Sent from my Xoom using Tapatalk 4

Desculpas desnecessárias, pois a postagem nada mais é do que a expressão da verdade ^:)^.
Aqui os talibãs não mandam :laughing7:.

JulioCesar
24-11-13, 11:51
Usar Receiveres para estéreo não tem nada de ruim ou anormal , eu andei um bom tempo feliz com um Yamaha Z1 ( quando os receiveres eram melhor construídos ) , dizer que eles tocam igual ( a palavra ,semelhante , cabe melhor ) não é inverdade partindo do ponto do que seja a meta do usuário comum .

Airton Mathias
24-11-13, 17:52
Ricardo,
Sem radicalismo, minha intenção era apenas relatar a demonstração do Robert Carver, que podemos “modelar o som” de acordo com as nossas preferências, claro se tivermos expertise para tal.

Creio que em futuro próximo com a evolução dos corretores sonoros ambientais, teremos estas opções de “modelagens sonoras”.
Mas sempre terão os adeptos dos equipamentos “reais” e não virtuais, via softwares e continuaremos com eterno debate sobre o subjetivismo humano.
Outro ponto, para vender mais equipamentos aos audiófilos, vários componentes da cadeia sonora que influenciavam nesta modelagem, foram retirados – controle de tonalidade, loudness, até o controle de equilíbrio (balance). Deixando a escolha sonora do “ideal” aos revisores e projetistas “guru”.

Abraço,
Airton

VTR
24-11-13, 18:36
Airton,

You are welcome!

[ ]
R.

Eduardo
25-11-13, 08:58
para vender mais equipamentos aos audiófilos, vários componentes da cadeia sonora que influenciavam nesta modelagem, foram retirados – controle de tonalidade, loudness, até o controle de equilíbrio (balance). Deixando a escolha sonora do “ideal” aos revisores e projetistas “guru”.

Airton,
Sempre tive esta mesma opinião. Cada projetista desenvolve o melhor equipamento do mundo, afirmando que esta ou aquela tecnologia que ele usa é a que torna a concorrência inferior.
Com cabos é a mesma coisa, um usa a prata por ser o "condutor perfeito", o outro o cobre de alta pureza por ser o condutor "mais neutro", ou outro uma liga de qualquer coisa como sendo uma descoberta fabulosa (se é que usam mesmo...).
No fundo, ficamos mesmo refém de uma subjetividade sem fim. E aí em quem acreditar? No projetista que desenvolveu o amplificador com características perfeitas ou naquele que diz que distorção torna o som mais "agradável ou musical".
É muito complicado. Acho que os amplificadores deveriam vir em condições de realizar uma amplificação perfeita do sinal, e também com controles de graves, médios, agudos, loudness, distorção e outros para que cada um ajustasse o equipamento ao seu gosto :verde&:

JIG
25-11-13, 10:30
É a primeira vez, num forum de áudio, que eu vejo uma discussão de assuntos "que não leva a final feliz nenhum" ter tanta informação útil, tanto respeito mútuo, tanta apresentação de opiniões com conteúdo e argumentos que podem ser aceitos (não são usados para marketing) que agora não "rédo o pé daqui, não".

É bom saber que este continua sendo o nosso bom e velho Clube Hi End!

Cumprimentos a todos!

Eduardo
25-11-13, 12:50
João,

Fico feliz com o seu comentário.
Realmente essa é a nossa intenção, um grupo pequeno, mas com pessoas que se respeitam e conseguem divergir em opiniões de forma educada, sem aquelas conhecidas velhas brigas que mais afastam do que unem os amigos.

Abração

JIG
25-11-13, 12:59
Eduardo,

Na minha opinião o confronto de idéias é que provoca o avanço do conhecimento para cada um, pois, ao mesmo tempo que se vislumbram novas concepções para coisas que achávamos que eram de uma só maneira, também constatamos pontos de pensamento em comum com o debatedor e isso, por si só, já provoca um salto no conhecimento de ambos.


Grande abraço a todos.

fibra
25-11-13, 13:43
Convenhamos: tem que ser desta maneira, com todos os amigos trocando ideias e informações, SEMPRE todos no mesmo nivel ou seja, ninguém é mais que ninguém.

Parabéns aos participantes. :aplauso:


Abraços a todos.

Pablo Albino
25-11-13, 16:10
Olá Airton,

O Carver pode até ter copiado os números em desempenho/specs no seu amp desafio naquela época mas o que eu lí foi que não enganava os ouvidos durante todo o tempo.

E digo mais: se isso fosse verdade (todo amp soa igual) eu ou qq outro que se interesse por amplificadores estariamos ricos.

O pessoal aqui não "apreceia" muito meu jeito de dizer as coisas mas minha opinião é e sempre será: gostam de som? comprem SS, gostam de música? comprem valvulados (e ambos do melhor que puderem comprar)
Quem aceitou essa "afronta" minha (e NÃO são poucos...) hj se confessam muito mais tranquilos, ouvem mais música durante muito mais tempo e a febre de upgrades foi finalmente aplacada.

[ ]
R.
VTR, como é sabido nossa memória além de extremamente seletiva, retém melhor falsas descrições dos fatos, se estas nos são mais agradáveis. Além disso, nossa memória nos faz crer honestamente que certas inverdades são verdadeiras (quem quiser mais detalhes da psicobiologia deste aspecto da memória posso passar). Veja, que não é nada pessoal. Nossa espécie é assim. Então, prefiro não acreditar no que vc lembra e buscar a história original que inclusive já conhecia, no link fornecido pelo Airton.

"This time, the listening went on through the whole afternoon and much of the evening, until all of us were listened out. More leisurely listening, refreshed by a good night's sleep, failed to turn up anything. As far as we could determine, through careful comparisons and nit-picking criticisms, the two amplifiers were, in fact, sonically identical. It is a gross understatement to say that we were flabbergasted!

The next morning, I told Dick Olsher over the phone what we had found. "Bull- shit!" was his reasoned response. "That just can't be." But it was, it was then that we started to realize that, in reporting the outcome of this Challenge, we were going to have more to contend with than outrage and wonderment. We were going to have to contend with incredulity."


O Carver fez isso sem abrir a caixa do amplificador High end de milhares de dólares! Ele construiu seu amplificador de forma totalmente independente, com design e componentes diferentes, pois simplesmente não teve nem acesso visual ao aparelho a ser emulado! Os desafiadores se disseram incrédulos, mas se curvaram ante os resultados que eles mesmo obtiveram: não podiam diferenciar um amp de 400 US$ de outro na faixa de dezenas de milhares de dólares.

O que Carver afirmava é que seria possível construir um amp custando uma fração do preço de um tido como high end e que tocasse igual, veja que ele dizia igual e não parecido ou similar. E pra espanto dos avaliadores, após 4 dias ele conseguiu! Simples, conseguiu.

Portanto, o que cada um de nós acredita, pensa, teoriza e principalmente percebe não tem importância, ou melhor dizendo, tem importância apenas pessoal e não deve ser extrapolado. Nossa audição é influenciada por inúmeras variáveis e o som, a onda sonora, é apenas um... Outrossim, o que um de nós sente ao ouvir valvulados é diferente do que outro sentirá, assim com SS ou o que quer que seja.

Amplexos!

VTR
25-11-13, 17:40
Pablo,

O Carver conseguiu naquele experimento "replicar" o som do outro amplificador, ponto pacífico, sei ler e lí muito bem entendido.
Alias conheço esta história desde longa data, talvez há muito mais tempo do que alguns colegas por aqui... (e se eu procurar na montanha de revistas que guardei provavelmente encontro até o original Stereophile...)

Primeiro: ele não construiu nenhum novo amplificador para o teste, ele usou um modelo de sua linha normal e acrescentou inúmeros recursos para atingir seu objetivo.

Segundo: só conseguiu replicar o som do outro aparelho na segunda ou terceira tentativa.

Terceiro: a coisa toda era instável e pouco tempo depois o próprio Carver admitiu ser impossível tornar esse novo conceito/aparelho em algo comercial de perene/estável desempenho.

Quarto: hj com a internet podemos saber de muitos outros detalhes subjacentes aquele teste na Stereophile e fica bem claro que tudo foi uma jogada de marketing onde ambas as partes (Carver e Stereophile) tinham seus objetivos...

E concluo: ele conseguiu um desfecho favorável a ele em termos de laboratório, na bancada de testes, apenas isso.
Era impossível fabricar um amplificador comercial que permanecesse integro e fiel ao objetivo proposto ou seja: emular um outro amplificador e assim se comportar de modo estável, sem qq interferencia do usuário.

Existem coisas que só são possíveis ao nível de experimentação "laboratorial": não adianta vc colocar um Uno motor 1 litro para taxiar aviões no pátio do aeroporto...
Este carro só vai conseguir deslocar o avião 2 ou 3 vezes e depois destrói a embreagem.
Consegue SIM fazer o serviço em poucas tentativas mas é completamente inadequado e assim impossível de ser usado.

Não adiantou o Carver fazer a experiencia e depois constatar que o seu amplificador era impossível de ser tornado em algo comercial de sucesso.
Então ele NÃO conseguiu.
Apenas levantou muita poeira e conseguiu seus 15 minutos de fama (fama aliás que até hj indigna muita gente por aí que considera o sujeito um marketeiro de primeiríssima mas incapaz de produzir aparelhos comerciais de qualidade sólida, que estivessem na ativa como hj estão os produtos de muitos de seus concorrentes naquela época).
Os aparelhos dele que eram baseados nas suas técnicas mirabolantes não raro se auto destruiam ou não funcionavam de acordo com o "princípio" por ele criado e comercializado.
Faça uma busca no google e leia o que pensam dele por aí...

Ele consegiu vender muito peixe mas a maioria era peixe podre.

Da mesma forma que não adianta os cientistas lidarem com partículas atomicas e conseguirem fabricar ouro... este ouro seria tão caro que não haveria propósito algum na sua fabricação.
E alem de tudo é radioativo... podre.

Somos pessoas inteligentes e portanto não deveriam algumas pessoas darem crédito indevido a certos acontecimentos de forma tão absoluta.

O cara NÃO consegiu o que alegava da mesma forma que o ouro de laboratório NÃO serve para nada em termos práticos no mundo real.

Pura conversa prá boi dormir.

frost
25-11-13, 20:10
Pablo,

O Carver conseguiu naquele experimento "replicar" o som do outro amplificador, ponto pacífico, sei ler e lí muito bem entendido.
Alias conheço esta história desde longa data, talvez há muito mais tempo do que alguns colegas por aqui... (e se eu procurar na montanha de revistas que guardei provavelmente encontro até o original Stereophile...)

Primeiro: ele não construiu nenhum novo amplificador para o teste, ele usou um modelo de sua linha normal e acrescentou inúmeros recursos para atingir seu objetivo.

Segundo: só conseguiu replicar o som do outro aparelho na segunda ou terceira tentativa.

Terceiro: a coisa toda era instável e pouco tempo depois o próprio Carver admitiu ser impossível tornar esse novo conceito/aparelho em algo comercial de perene/estável desempenho.

Quarto: hj com a internet podemos saber de muitos outros detalhes subjacentes aquele teste na Stereophile e fica bem claro que tudo foi uma jogada de marketing onde ambas as partes (Carver e Stereophile) tinham seus objetivos...

E concluo: ele conseguiu um desfecho favorável a ele em termos de laboratório, na bancada de testes, apenas isso.
Era impossível fabricar um amplificador comercial que permanecesse integro e fiel ao objetivo proposto ou seja: emular um outro amplificador e assim se comportar de modo estável, sem qq interferencia do usuário.

Existem coisas que só são possíveis ao nível de experimentação "laboratorial": não adianta vc colocar um Uno motor 1 litro para taxiar aviões no pátio do aeroporto...
Este carro só vai conseguir deslocar o avião 2 ou 3 vezes e depois destrói a embreagem.
Consegue SIM fazer o serviço em poucas tentativas mas é completamente inadequado e assim impossível de ser usado.

Não adiantou o Carver fazer a experiencia e depois constatar que o seu amplificador era impossível de ser tornado em algo comercial de sucesso.
Então ele NÃO conseguiu.
Apenas levantou muita poeira e conseguiu seus 15 minutos de fama (fama aliás que até hj indigna muita gente por aí que considera o sujeito um marketeiro de primeiríssima mas incapaz de produzir aparelhos comerciais de qualidade sólida, que estivessem na ativa como hj estão os produtos de muitos de seus concorrentes naquela época).
Os aparelhos dele que eram baseados nas suas técnicas mirabolantes não raro se auto destruiam ou não funcionavam de acordo com o "princípio" por ele criado e comercializado.
Faça uma busca no google e leia o que pensam dele por aí...

Ele consegiu vender muito peixe mas a maioria era peixe podre.

Da mesma forma que não adianta os cientistas lidarem com partículas atomicas e conseguirem fabricar ouro... este ouro seria tão caro que não haveria propósito algum na sua fabricação.
E alem de tudo é radioativo... podre.

Somos pessoas inteligentes e portanto não deveriam algumas pessoas darem crédito indevido a certos acontecimentos de forma tão absoluta.

O cara NÃO consegiu o que alegava da mesma forma que o ouro de laboratório NÃO serve para nada em termos práticos no mundo real.

Pura conversa prá boi dormir.
Não só o Carver conseguiu copiar o amplificador como vendeu a sua copia por alguns anos. Pode pesquisar, o amigo está mal informado.

Enviado de meu Nexus 4 usando Tapatalk

VTR
25-11-13, 20:49
Acho que quem está mal informado é vc: não conseguindo sucesso naquela empreitada o Carver cedeu às evidencias e lançou no mercado o famoso e problemático amplificador valvulado mod. Silver Seven.
(e que tive a oportunidade de ver, ouvir e ajudar a carregar prá bancada para reparos...)
Um monstro, pesadíssimo, com 15 válvulas 6550 ou KT88, dispostas muito perto umas das outras e que por isso se autodestruiam com uma rapidez impressionante.
Um erro de projeto inconcebível e por um profissional altamente considerado no meio...
Incompreensível isso.
O aparelho até hj tem design muito atraente e sabemos que isso é o que importa não é verdade?? "nem precisa funcionar desde que todos saibam que eu tenho um Silver Seven"

Tal aparelho captou a atenção de muitos ricos que podiam pagar os 15 mil dólares que custava. Muita poeira levantada e conveniente ao próximo passo do artista: baseado NESSE modelo Silver Seven ele construiu o tal amplificador ao qual vc se refere e que teve tb sorte parecida a tantos outros projetos do cara: esquecimento total.

Procure o amigo se informar melhor: há pela net dezenas de espaços que tem informações bem relevantes e ainda desconhecidas da maioria das pessoas.

Fica sempre o mesmo panorama: o Carver levantava muita poeira sempre tendo em perspectiva o desenrolar do processo que melhor se adequasse aos seus interesses economicos como fabricante.
O cara é (ou era) um bom engenheiro mas por aí falam que a real expertise dele era no marketing... um genio.

fibra
25-11-13, 22:51
http://images03.olx.co.uk/ui/11/29/14/1308844986_219732514_1-Pictures-of--SILVER-SEVEN-stereo-tube-monoblock-amplifier.jpg

Karácas ! É muita válvula junta " :confused2: São 20 !!!

http://i9.photobucket.com/albums/a78/Bob01605/Carverandamp.jpg


Abraços.

Pablo Albino
25-11-13, 22:56
Pablo,

O Carver conseguiu naquele experimento "replicar" o som do outro amplificador, ponto pacífico, sei ler e lí muito bem entendido.
Alias conheço esta história desde longa data, talvez há muito mais tempo do que alguns colegas por aqui... (e se eu procurar na montanha de revistas que guardei provavelmente encontro até o original Stereophile...)
VTR, tenho certeza que vc sabe ler e interpretar o texto. Isso é claro em função da maneira clara que vc se expressa de forma escrita, que inclusive, torna bastante agradável empreender uma discussão com vc!


Primeiro: ele não construiu nenhum novo amplificador para o teste, ele usou um modelo de sua linha normal e acrescentou inúmeros recursos para atingir seu objetivo.
Sei disso, pois foi isso o descrito na metodologia.


Segundo: só conseguiu replicar o som do outro aparelho na segunda ou terceira tentativa.
Onde vc assinala como demérito, por outra lado, percebo claramente um enorme mérito. Quantos projetistas de hoje, quase 30 anos depois, conseguiriam replicar o som de um aparelho com muito mais tecnologia embarcada, com componente muito mais caros, sem sequer olhar seus circuitos, em apenas 3 dias e em 3 tentativas? E partindo de um amplificador "simples"?


Terceiro: a coisa toda era instável e pouco tempo depois o próprio Carver admitiu ser impossível tornar esse novo conceito/aparelho em algo comercial de perene/estável desempenho.
Como sua colocação é enviesada, permito-me também correr este risco. Afinal, toda casuística, como uma evidência anedótica, é enviesada por natureza. O que li é que aquele experimento feito em apenas 3 dias, permitiu que ele construísse e comercializasse 2 amps que emulavam 2 outros high end, um deles um mark levinson. Mas, n tenho segurança desta informação, pois elas foram coletadas em fóruns internacionais.


Quarto: hj com a internet podemos saber de muitos outros detalhes subjacentes aquele teste na Stereophile e fica bem claro que tudo foi uma jogada de marketing onde ambas as partes (Carver e Stereophile) tinham seus objetivos...
Certamente isso deve ser verdade!


E concluo: ele conseguiu um desfecho favorável a ele em termos de laboratório, na bancada de testes, apenas isso.
Era impossível fabricar um amplificador comercial que permanecesse integro e fiel ao objetivo proposto ou seja: emular um outro amplificador e assim se comportar de modo estável, sem qq interferencia do usuário.

Existem coisas que só são possíveis ao nível de experimentação "laboratorial": não adianta vc colocar um Uno motor 1 litro para taxiar aviões no pátio do aeroporto...
Este carro só vai conseguir deslocar o avião 2 ou 3 vezes e depois destrói a embreagem.
Consegue SIM fazer o serviço em poucas tentativas mas é completamente inadequado e assim impossível de ser usado.

Não adiantou o Carver fazer a experiencia e depois constatar que o seu amplificador era impossível de ser tornado em algo comercial de sucesso.
Então ele NÃO conseguiu.
Apenas levantou muita poeira e conseguiu seus 15 minutos de fama (fama aliás que até hj indigna muita gente por aí que considera o sujeito um marketeiro de primeiríssima mas incapaz de produzir aparelhos comerciais de qualidade sólida, que estivessem na ativa como hj estão os produtos de muitos de seus concorrentes naquela época).
Os aparelhos dele que eram baseados nas suas técnicas mirabolantes não raro se auto destruiam ou não funcionavam de acordo com o "princípio" por ele criado e comercializado.
Faça uma busca no google e leia o que pensam dele por aí...

Ele consegiu vender muito peixe mas a maioria era peixe podre.

Da mesma forma que não adianta os cientistas lidarem com partículas atomicas e conseguirem fabricar ouro... este ouro seria tão caro que não haveria propósito algum na sua fabricação.
E alem de tudo é radioativo... podre.

Somos pessoas inteligentes e portanto não deveriam algumas pessoas darem crédito indevido a certos acontecimentos de forma tão absoluta.

O cara NÃO consegiu o que alegava da mesma forma que o ouro de laboratório NÃO serve para nada em termos práticos no mundo real.

Pura conversa prá boi dormir.
Pois é, vc afirma segundo suas informações selecionadas, que ele não conseguiu. Eu, de posse do que coletei, entendo que ele conseguiu e comercializou. É claro que não foi o aparelho desenvolvido (modificado) em meros 3 dias. Dizem os americanos que o TFM, o descendente daquele experimento, vendeu bem e ainda se encontra no mercado de usados por valores bem significativos.

Como disse VTR, as minhas fontes de informação, possivelmente como as suas, não são primárias e portanto, são passíveis de incoerências e incertezas.

Sobre o uno e o ouro...prefiro não discutir sua falácia de analogia, por considerar que temos um assunto claramente delineado e não precisamos de tais truques de argumentação, tão comuns entre os advogados! :)

VTR
25-11-13, 23:19
Falácia??
São metáforas muito válidas dentro do assunto discutido.

E creia colega: este assunto tem/é tudo o que quiseres menos que seja "claramente delineado".

Não caia nos truques de reviewers e revistas de áudio e fabricantes: é tudo que eles querem...

Essa história de "sucesso" do Carver tá parecendo muito com aquela dum inventor americano que construiu um carburador especial que usava água como combustível...
Nunca ninguem viu, comprou, usou.
Mais um enterro de anão...

Pablo Albino
25-11-13, 23:32
Falácia??
São metáforas muito válidas dentro do assunto discutido.

E creia colega: este assunto tem/é tudo o que quiseres menos que seja "claramente delineado".

Não caia nos truques de reviewers e revistas de áudio e fabricantes: é tudo que eles querem...

Essa história de "sucesso" do Carver tá parecendo muito com aquela dum inventor americano que construiu um carburador especial que usava água como combustível...
Nunca ninguem viu, comprou, usou.
Mais um enterro de anão...
O que quis dizer, é que assunto em discussão é objetivo, não necessitando de analogias buscadas em áreas tão diversas e, de certo modo, estapafúrdias como esta do carburador. Se aparecesse aqui alguém defendendo essa do carburador, ninguém se daria o trabalho de refutar. O que é bem diferente da história do Carver, que tem seus amps sendo usados até hoje. Faz alguns meses tinha alguém vendendo um carver no outro espaço...

TUTUBARAO
25-11-13, 23:56
http://www.youtube.com/watch?v=hM_yl6OmZtw


Se aparecesse aqui alguém defendendo essa do carburador, ninguém se daria o trabalho de refutar.

olha esse outro maluco


http://www.youtube.com/watch?v=uEImef0w-tI
100% water car engine (hho)


http://www.youtube.com/watch?v=cgU9ez9ben4

Pablo Albino
26-11-13, 00:34
Tutu, n consegui assistir os vídeos no ipad. Mas se isso se funciona, deve ser uma célula eletrolítica. Bem diferente de ser um mero carburador, como eu havia entendido.
Mas fiquei curioso e amanhã vou assistir no computador.

Guto Pereira
26-11-13, 07:58
Pra mim Bob Carver é gênio. Se ele perdeu a mão fazendo amplificadores inviáveis, isso é outro papo. E mais, ser um gênio no marketing é requisito básico para o sucesso dos negócios. Do que adianta ter um produto fabuloso que ninguém conhece? O problema com o Bob Carver é a tal situação do ame ou odeie. Eu adoro os amplificadores feitos por ele, e para mim são bons mesmo, por mais que digam ser mais marketing do que resultado.

Acho ainda que o foco não é dizer que seja melhor, pior ou igual a outro produto, e sim dizer que é um bom produto e tem sonoridade muito boa. Tive e ouvi alguns Carver, todos solid state, porém todos com resultado sonoro acima do esperado. E o detalhe é que ele está no mercado desde os anos 70 ou sei lá, e ainda hoje uma grande empresa comprou os projetos recentes e irá comercializá-los.

Quanto ao tal Silver Seven, se as 20 válvulas juntas são um desastre, eu não tenho expertise pra afirmar. Só sei que grandes empresas para promover sua marca mostram a capacidade de engenharia, criação e produção desenvolvendo modelos chamados de "conceito". Normalmente são produtos com visão bem à frente no tempo em todos os aspectos e servem basicamente pra mostrar onde aquela empresa pretende em chegar num futuro próximo. Algumas literalmente fabricam esses conceitos e os colocam em funcionamento, mesmo que alguns entraves ou limitações existam. O importante é que tal produto cumpra seu papel, o de chamar a atenção do consumidor para o portfólio da empresa, e indicar qual é a direção que a empresa seguirá no futuro. Talvez esse amplificador seja algo assim.

Por acaso a Emotiva Audio, que comprou a Carver LLC, adora esses aparelhos monstrengos.

Guto Pereira
26-11-13, 08:01
Pablo, aqui na Ilha do Governador tinha uma lenda de um senhor (engenheiro) que converteu um Maverick para andar com água na década de 80. Ele sumiu depois de um tempo rodando com o tal Maverick vermelho, e o curioso era que o carro tinha um grande tanque no teto, preso em um bagageiro. Se é verdade, eu não posso comprovar, mas essa lenda urbana é famosa aqui no bairro.

Pablo Albino
26-11-13, 12:47
Pablo, aqui na Ilha do Governador tinha uma lenda de um senhor (engenheiro) que converteu um Maverick para andar com água na década de 80. Ele sumiu depois de um tempo rodando com o tal Maverick vermelho, e o curioso era que o carro tinha um grande tanque no teto, preso em um bagageiro. Se é verdade, eu não posso comprovar, mas essa lenda urbana é famosa aqui no bairro.
É possível, pois "basta" ter uma célula eletrolítica para converter a água em H2 e O2 e um motor preparado para usar o H2 como combustível. Mas, os projetos mais sérios baseiam-se na utilização de uma célula combustível que produz eletricidade a partir do H2.
Bem...estou longe de ser um expert neste assunto. Entendo tanto disso quanto de áudio: praticamente nada! :cool:

Eduardo
26-11-13, 13:15
Pois é, a comparação com componentes mecânicos também me pareceu exagerada... :laughing6:
Um amplificador não tem embreagem ou sofre desgastes desse tipo de ordem, pelo menos não com tanta facilidade assim...

Mas, dentro de todo o respeito que estamos tendo nessa discussão, eu acho, na minha humilde e modesta opinião, que fato é fato, e começar a desenvolver teorias de conspiração já começa a levar a coisa muito para um campo do achismo. E esse negócio de teoria de conspiração cabe mais para uma certa revista que conhecemos muito bem... :verde&:
O sujeito se dedicou e fez algo que foi publicado com sucesso. É fato, todo mundo viu e conhece.
Mas, partir para o lado de que foi farsa, que a Absolut Sound é mentirosa, que a Stereophile é comprada, que houve uma grande trama entre eles... ok... pode até ter acontecido, mas até imaginar isso e ter certeza, eu prefiro ir numa outra direção mais técnica que é a seguinte.
Tem muita gente que acha que áudio é um mistério eletrônico, e para isso sim colaboram muitas revistas com interesses de ordem comercial ou com incompetência técnica da parte de quem faz avaliações (já até temos exemplo absurdos disso). E o instrumento para facilitar ainda mais esse convencimento é o velho e conhecido "subjetivismo" que tudo justifica mas nada prova ou explica.
Acho realmente estranho porque sofisticados circuitos de computadores, de imagem, de medicina, de naves espaciais e tudo mais é claro, óbvio e objetivo, mas quando se fala em áudio, tudo se envolve de mistério, como se a eletrônica mudasse completamente, e todo o conhecimento científico perdesse totalmente o seu valor.

Oras... eletrônica é eletrônica, uma ciência bem conhecida.
Um amplificador não amplifica música, e sim sinais elétricos, e tão somente isso. Ele não amplifica palco sonoro, graves, agudos ou qualquer outro "efeito de áudio", ele amplifica sinais elétricos que posteriormente reproduzidos acabam por produzir estes efeitos. Então, qual o problema em se amplificar um sinal elétrico? Nenhum !!! E qual o segredo? Até um leigo sabe que o segredo (que não é nenhum segredo) é amplificar este sinal e tão somente isso, sem acrescentar ou retirar nada, ou seja, fornecer uma cópia fiel de suas variações de amplitude no tempo apenas amplificadas. É difícil conseguir isso? NÃO !!!! E afirmo isso como técnico e engenheiro na área.
É óbvio que quem projeta amplificadores precisa saber polarizar transistores, aplicar lei de Ohm, conhecer conceitos de eletromagnetismo, lei de Coulomb, etc...
Ele vai ter que usar circuitos integrados, transistores, válvulas, resistores, fios e demais componentes existente no mercado há algumas décadas que são usados em qualquer circuito eletrônico, por mais sofisticado e preciso que seja.
Bem, até aqui concluímos que não existe "bruxaria" nesta história, como muitos tentam nos convencer. Saibam que até a forma de utilizar estes componentes são bem parecidas, normalmente divididas em conhecidas classes de amplificação utilizadas por todo mundo.
Então, o que faz um amplificador ser diferente do outro? São as pequenas variações entre componentes e detalhes de projetos. Não pensem que cada novo amplificador é algo inovador ou de conceitos totalmente inéditos. Isso só aconteceu algumas poucas vezes com o surgimento do transistor, da amplificação digital (que também não é algo tão estranho assim aos projetistas) e em outras raríssimas vezes nos últimos anos.
Quando você analisa projetos eletrônicos, fica até surpreso como eles chegam a ser bastante parecidos (muitos são cópias mesmo).

Bem, se estamos falando em mera amplificação de sinais elétricos, e se conseguimos utilizar inúmeros meios diferentes de conseguir este objetivo, podemos concluir que qualquer coisa pode ser duplicada. Não existe segredo nisso.
Eu já cansei de ler artigos explicando, por exemplo, o porque o som de um amplificador valvulado é tão característico, muito mais no passado do que é hoje onde quase não se nota mais aquela diferença "abismal" (como costuma dizer um certo articulista) como era antes. A verdade é que o SS e o valvulado estão cada vez mais parecidos, e esse resultado decorre da redução da distorção dos valvulados, da limitação da resposta de frequência que os antigos transformadores de saída provocavam e outros fatores, óbvio. Encontramos até modelos híbridos para tentar agradar a todos, cada qual buscando as suas qualidades. Ou seja, tudo caminha na direção de amplificar o sinal elétrico de forma mais precisa possível.
As explicações são ainda mais estranhas... "o som é musical pois a distorção causada agrada nossos ouvidos...". Isso é um absurdo! O que é distorção? É a alteração proposital ou não de algo que acaba mudando em relação ao original. Se isso é agradável aos ouvidos, é algo muito pessoal.
Mas, a tecnologia hoje não permite simular isso? Claro que sim. Tudo pode ser feito com o sinal elétrico, em suas frequências fundamentais ou em seus harmônicos.

Odeio política (e políticos). Mas, noto uma coisa curiosa nos fanáticos de certos partidos. Quando o jornal elogia algo, o fanático diz "veja só como o partido é bom... como eu sempre disse", quando mostra algo errado, muitas vezes de forma bem visível... "é coisa comprada... tem as mãos da oposição... é mentira...".
As vezes acho que algumas situações como estas são bem parecidas com o nosso hobby. Se alguém elogia, é porque é bom mesmo, mas se alguém fala qualquer coisa diferente disso, tem um complô por trás desta história.
Eu acho que, seja com transistores, com válvulas, com circuitos integrados ou com o que quer que seja, tudo é possível em eletrônica. Hoje compramos um smartphone na esquina de menos de 1.000 reais que tira fotos, traça rotas com o sistema de GPS, faz gravações, funciona como despertador, calculadora, agenda, abre arquivos de excel e word, acessa a internet, mede distâncias, reconhece músicas tocadas em qualquer lugar, mede nível de inclinação e qualquer outra coisa que imaginarmos, e, acreditem se quiser, ainda fazem ligações telefônicas (que talvez seja a pior função dada a baixa qualidade das empresas de telefonia no Brasil). Você coloca tudo isso num aparelhinho que hoje cabe em suas mãos, e que há 30 anos não caberia num prédio.
Áudio é muito menos complexo do que isso. O circuito eletrônico tem muito menos para fazer, e somente um único objetivo: amplificar um sinal elétrico.
Acredito hoje que caixas acústicas é algo bem mais crítico, que influencia bem mais o resultado final, pois, infelizmente, ainda depende de condições mecânicas de funcionamento e do local onde são instaladas. Aqui está o ponto que deve ter a maior atenção. Distorções de caixas acústicas a variações de resposta de frequência são muito maiores do que em amplificadores.
Amplificadores existem aos montes, e a maioria deles muito capazes de funcionar de forma correta, e outros tantos para agradar todo o tipo de gosto.

Eu acho que quando os fabricantes, revistas e outros interessados pararem de criar essa fantasia do mistério do áudio hi-end, de inventarem todo o tipo de história e de soluções mirabolantes para justificar que seu equipamento é o único que presta, vamos começar a respeitá-los mais como aplicadores de tecnologia, como engenheiros e não como bruxos, que não são e nunca serão.
É preciso olhar o mercado com imparcialidade, com sensatez, de forma mais crítica e menos romântica, e assim começar a identificar as opções que são muitas. Amplificadores valvulados ou SS, vinil ou CD, disco ou arquivo, etc... tem para todos os gostos, e eles estão cada vez mais parecidos.

Todo o debate é importante para o amadurecimento sobre qualquer tema, mas a defesa incondicional e apaixonada sobre qualquer coisa acaba virando uma disputa desnecessária e sem sentido. Daqui a vinte anos tudo já mudou novamente, e assim é a ciência, o mundo real, tão simples como gostaríamos que fosse.
É preciso respeitar todos estes engenheiros, técnicos e profissionais que trabalham duro para colocar estes nossos "brinquedos" no mercado, pois cada um busca ao seu modo fazer algo que para nós é simplesmente ouvir música com qualidade, e todos eles são capazes disso, cada um ao seu modo.

Abraços a todos

Eduardo
26-11-13, 13:18
ser um gênio no marketing é requisito básico para o sucesso dos negócios.

Infelizmente... pois isso custa caro... :verde&:

mmbdp
26-11-13, 21:32
Pois é, a comparação com componentes mecânicos também me pareceu exagerada... :laughing6:
Um amplificador não tem embreagem ou sofre desgastes desse tipo de ordem, pelo menos não com tanta facilidade assim...

Mas, dentro de todo o respeito que estamos tendo nessa discussão, eu acho, na minha humilde e modesta opinião, que fato é fato, e começar a desenvolver teorias de conspiração já começa a levar a coisa muito para um campo do achismo. E esse negócio de teoria de conspiração cabe mais para uma certa revista que conhecemos muito bem... :verde&:
O sujeito se dedicou e fez algo que foi publicado com sucesso. É fato, todo mundo viu e conhece.
Mas, partir para o lado de que foi farsa, que a Absolut Sound é mentirosa, que a Stereophile é comprada, que houve uma grande trama entre eles... ok... pode até ter acontecido, mas até imaginar isso e ter certeza, eu prefiro ir numa outra direção mais técnica que é a seguinte.
Tem muita gente que acha que áudio é um mistério eletrônico, e para isso sim colaboram muitas revistas com interesses de ordem comercial ou com incompetência técnica da parte de quem faz avaliações (já até temos exemplo absurdos disso). E o instrumento para facilitar ainda mais esse convencimento é o velho e conhecido "subjetivismo" que tudo justifica mas nada prova ou explica.
Acho realmente estranho porque sofisticados circuitos de computadores, de imagem, de medicina, de naves espaciais e tudo mais é claro, óbvio e objetivo, mas quando se fala em áudio, tudo se envolve de mistério, como se a eletrônica mudasse completamente, e todo o conhecimento científico perdesse totalmente o seu valor.

Oras... eletrônica é eletrônica, uma ciência bem conhecida.
Um amplificador não amplifica música, e sim sinais elétricos, e tão somente isso. Ele não amplifica palco sonoro, graves, agudos ou qualquer outro "efeito de áudio", ele amplifica sinais elétricos que posteriormente reproduzidos acabam por produzir estes efeitos. Então, qual o problema em se amplificar um sinal elétrico? Nenhum !!! E qual o segredo? Até um leigo sabe que o segredo (que não é nenhum segredo) é amplificar este sinal e tão somente isso, sem acrescentar ou retirar nada, ou seja, fornecer uma cópia fiel de suas variações de amplitude no tempo apenas amplificadas. É difícil conseguir isso? NÃO !!!! E afirmo isso como técnico e engenheiro na área.
É óbvio que quem projeta amplificadores precisa saber polarizar transistores, aplicar lei de Ohm, conhecer conceitos de eletromagnetismo, lei de Coulomb, etc...
Ele vai ter que usar circuitos integrados, transistores, válvulas, resistores, fios e demais componentes existente no mercado há algumas décadas que são usados em qualquer circuito eletrônico, por mais sofisticado e preciso que seja.
Bem, até aqui concluímos que não existe "bruxaria" nesta história, como muitos tentam nos convencer. Saibam que até a forma de utilizar estes componentes são bem parecidas, normalmente divididas em conhecidas classes de amplificação utilizadas por todo mundo.
Então, o que faz um amplificador ser diferente do outro? São as pequenas variações entre componentes e detalhes de projetos. Não pensem que cada novo amplificador é algo inovador ou de conceitos totalmente inéditos. Isso só aconteceu algumas poucas vezes com o surgimento do transistor, da amplificação digital (que também não é algo tão estranho assim aos projetistas) e em outras raríssimas vezes nos últimos anos.
Quando você analisa projetos eletrônicos, fica até surpreso como eles chegam a ser bastante parecidos (muitos são cópias mesmo).

Bem, se estamos falando em mera amplificação de sinais elétricos, e se conseguimos utilizar inúmeros meios diferentes de conseguir este objetivo, podemos concluir que qualquer coisa pode ser duplicada. Não existe segredo nisso.
Eu já cansei de ler artigos explicando, por exemplo, o porque o som de um amplificador valvulado é tão característico, muito mais no passado do que é hoje onde quase não se nota mais aquela diferença "abismal" (como costuma dizer um certo articulista) como era antes. A verdade é que o SS e o valvulado estão cada vez mais parecidos, e esse resultado decorre da redução da distorção dos valvulados, da limitação da resposta de frequência que os antigos transformadores de saída provocavam e outros fatores, óbvio. Encontramos até modelos híbridos para tentar agradar a todos, cada qual buscando as suas qualidades. Ou seja, tudo caminha na direção de amplificar o sinal elétrico de forma mais precisa possível.
As explicações são ainda mais estranhas... "o som é musical pois a distorção causada agrada nossos ouvidos...". Isso é um absurdo! O que é distorção? É a alteração proposital ou não de algo que acaba mudando em relação ao original. Se isso é agradável aos ouvidos, é algo muito pessoal.
Mas, a tecnologia hoje não permite simular isso? Claro que sim. Tudo pode ser feito com o sinal elétrico, em suas frequências fundamentais ou em seus harmônicos.

Odeio política (e políticos). Mas, noto uma coisa curiosa nos fanáticos de certos partidos. Quando o jornal elogia algo, o fanático diz "veja só como o partido é bom... como eu sempre disse", quando mostra algo errado, muitas vezes de forma bem visível... "é coisa comprada... tem as mãos da oposição... é mentira...".
As vezes acho que algumas situações como estas são bem parecidas com o nosso hobby. Se alguém elogia, é porque é bom mesmo, mas se alguém fala qualquer coisa diferente disso, tem um complô por trás desta história.
Eu acho que, seja com transistores, com válvulas, com circuitos integrados ou com o que quer que seja, tudo é possível em eletrônica. Hoje compramos um smartphone na esquina de menos de 1.000 reais que tira fotos, traça rotas com o sistema de GPS, faz gravações, funciona como despertador, calculadora, agenda, abre arquivos de excel e word, acessa a internet, mede distâncias, reconhece músicas tocadas em qualquer lugar, mede nível de inclinação e qualquer outra coisa que imaginarmos, e, acreditem se quiser, ainda fazem ligações telefônicas (que talvez seja a pior função dada a baixa qualidade das empresas de telefonia no Brasil). Você coloca tudo isso num aparelhinho que hoje cabe em suas mãos, e que há 30 anos não caberia num prédio.
Áudio é muito menos complexo do que isso. O circuito eletrônico tem muito menos para fazer, e somente um único objetivo: amplificar um sinal elétrico.
Acredito hoje que caixas acústicas é algo bem mais crítico, que influencia bem mais o resultado final, pois, infelizmente, ainda depende de condições mecânicas de funcionamento e do local onde são instaladas. Aqui está o ponto que deve ter a maior atenção. Distorções de caixas acústicas a variações de resposta de frequência são muito maiores do que em amplificadores.
Amplificadores existem aos montes, e a maioria deles muito capazes de funcionar de forma correta, e outros tantos para agradar todo o tipo de gosto.

Eu acho que quando os fabricantes, revistas e outros interessados pararem de criar essa fantasia do mistério do áudio hi-end, de inventarem todo o tipo de história e de soluções mirabolantes para justificar que seu equipamento é o único que presta, vamos começar a respeitá-los mais como aplicadores de tecnologia, como engenheiros e não como bruxos, que não são e nunca serão.
É preciso olhar o mercado com imparcialidade, com sensatez, de forma mais crítica e menos romântica, e assim começar a identificar as opções que são muitas. Amplificadores valvulados ou SS, vinil ou CD, disco ou arquivo, etc... tem para todos os gostos, e eles estão cada vez mais parecidos.

Todo o debate é importante para o amadurecimento sobre qualquer tema, mas a defesa incondicional e apaixonada sobre qualquer coisa acaba virando uma disputa desnecessária e sem sentido. Daqui a vinte anos tudo já mudou novamente, e assim é a ciência, o mundo real, tão simples como gostaríamos que fosse.
É preciso respeitar todos estes engenheiros, técnicos e profissionais que trabalham duro para colocar estes nossos "brinquedos" no mercado, pois cada um busca ao seu modo fazer algo que para nós é simplesmente ouvir música com qualidade, e todos eles são capazes disso, cada um ao seu modo.

Abraços a todos

Sensacional!

eumau
30-11-13, 20:41
E as caixas B&W ? .....

Eduardo
30-11-13, 20:56
São maravilhosas... :verde&:

JulioCesar
01-12-13, 08:10
Eduardo , dentro da premissa que amplificadores bem construídos , nada mais fazem do que amplificar de modo correto o sinal recebido e dentro desta lógica todos são iguais , é difícil imaginar que algum destes aparelhos altere propositalmente o sinal a fim de indexar uma " assinatura sônica " a sua marca ? Isto já foi comentado acerca das caixas B&W que dizem serem propositalmente " brilhantes " demais para causar uma falsa impressão de serem detalhadas , ou segundo a " lenda urbana " , agradar aos ouvidos dos audiófilos que por consequência etária perderam um pouco a sensibilidade na percepção dos agudos .

Ainda no que foi dito , eu como pretenso guitarrista não concordo que válvulas e transistores toquem igual , ainda não vi um amplificador SS tocar igual a um valvulado ... Mesmo que tentando propositalmente emular uma válvula .

Eduardo
01-12-13, 08:47
Júlio,

Eu nunca vi caixas tocarem iguais. Cada qual tem a sua sonoridade bem específica, e por isso costumo dizer que trata-se do componente que requer maior atenção na hora da escolha.
Se você pega um grupo de amplificadores dentro de um mesmo nível, vai notar que a resposta de frequência deles é muito parecida. Já uma caixa acústica apresenta curvas muito diferentes uma da outra, por mais que os fabricantes inventem especificações que aparentemente mostram uma caixa "quase" linear. Além disso, a caixa acústica também é o componente que mais depende da sala, e por isso varia de instalação para instalação.

Eu sou um fã de caixas B&W. Apenas acho que o preço no Brasil não vale a pena. Existem outras opções excelentes por preços mais realistas.
Mas, de tantas caixas que já tive oportunidade de testar, as B&W foram aquelas que sempre me agradaram totalmente.
Há quem diga que elas possuem um "loudness" proposital. Eu vejo inúmeras caixas da marca ganhando vários prêmios, e com pontuações muito elevadas nas mais confiáveis listas do mundo.
Eu acredito tratar-se mesmo de "lenda urbana", pois já tive várias B&W, escutei outras tantas, e numa sala adequada com uma eletrônica correta, elas são caixas maravilhosas.
Eles não possuem qualquer reforço nos agudos senão aqueles encontrados em muitas caixas, mas apresentam grande extensão de agudos, reproduzindo frequências muito elevadas.
Essa falsa idéia ganhou força quando em outro fórum surgiram "representantes enrustidos" da marca Dynaudio, e que elaboraram uma pesada campanha para denegrir a imagem destas caixas.

Eu acho que ninguém acredita aqui que SS e valvulados "normalmente" toquem iguais, mas sabemos que equipamentos feitos com esse objetivo, num teste cego, consegue enganar o mais treinado ouvinte, como já foi amplamente discutido em outras oportunidades e em fóruns internacionais. Estamos falando de manipulação de sinal elétrico, não tem o que esconder aqui.
Mas, num patamar médio, eu diria que há sim uma diferença. Mas, também não acredito que nenhuma das tecnologias é superior à outra. São apenas diferentes, e para cada gosto.
Existem excelentes valvulados e excelentes transistorizados, cada qual com suas virtudes e limitações, e cada qual para um gosto diferente. Não existe o melhor, e sim o que mais lhe agrada.
Já comentei isso inúmeras vezes. Equipamentos hoje são diferentes, mas ninguém até hoje conseguiu afirmar categoricamente que este é melhor do que aquele, pois o dia que fizerem, teremos somente um tipo de equipamento no mercado.
É o que acontece também com cabos? Qual o melhor cabo do mundo? Ninguém tem resposta para isso. Já vi cabo no primeiro lugar de uma lista ser duramente criticado em outra.
Vamos então a uma pergunta bem mais simples: qual o melhor material para a construção de um cabo? Até hoje não existe uma resposta para isso. Cabos premiadíssimos são feitos de cobre, de prata, de liga de ouro, etc, e ninguém até hoje provou que um material é melhor que o outro.
Por isso, defendo que toda unanimidade em áudio é um erro, pois nossas salas são diferentes, nossos ouvidos bem diferentes, nossos gostos muito individuais, nossas aplicações bem específicas e sistemas que interagem melhor com esse ou aquele produto.
Portanto, o melhor é aquele que lhe atende melhor, mas que pode ser um fiasco numa outra aplicação.

Mas, mantendo-se dentro do tema, depois da "cutucada" com razão do Eumau, continuo achando as caixas B&W uma das melhores do mundo, com muita tecnologia e qualidades bem perceptíveis. São as mais escolhidas pelos audiófilos europeus.

Pedro .
01-12-13, 22:33
Lendo este topico lembrei de algo que tava discutindo com um colega sobre cabos. Na minha opiniao diferenças sonicas vao sempre existir POREM dentro de um patamar mais alto digamos highend ou extremo (state of art) estas diferenças se tornam muito pequenas entre os fabricantes. Porexemplo um fabricante de cabo cuja sonoridade é muito "aberta" ou bright apresenta isso de forma mais clara nos modelos de entrada, mas ao passo que aproxima-se do flagship o som ja se assemelha ao de outra marca de "mesmo valor". O mesmo pode se dizer de pres e amps valvs e ss, num determinado nivel tocam "parecidos".

FelipeRolim
01-12-13, 22:41
Concordo Pedro!

mmbdp
01-12-13, 22:47
Ontem ouvi um par de baubo na sala do Renato. Os graves sobravam, e comentávamos, eu o Renato, Tonhão e Jorge Chame, que o ele, Renato, teria um bom trabalho para ajustar a sala nesse quesito.

Aquelas mesmas caixas, num outro ambiente, provavelmente não terão todo aquele grave. Nesse aspecto confio muito naquele aparelho cujo review foi postado pelo Eduardo (Anti-Mode 2.0).

O mesmo par de caixas tocará de forma distinta em ambientes diferentes. Cada um ajusta a seu gosto, alguns com cabos, outros com equalizadores, o Eduardo com o Anti-mode, eu com o loudness quando necessário...

Dartzeel
02-12-13, 21:38
As 804D estão tocando agora com as KT120,só precisando refinar mais os agudos.

Ricardo(VTR),tô na correria total,vou te ligar pra você passar aqui em casa,tô te devendo essa.

Abraço.

VTR
02-12-13, 21:59
Tô esperando o convite...

Quando eu for aí a gt vai resolver esse problema nos agudos: é só trocar as ardidas 6N30P pelas 6*** que tudo entra nos eixos.
As 6N30P são muito nervosas, chegam a ser agressivas: usei aqui e desistí delas...

[ ]
R.

frost
03-12-13, 10:45
Eduardo , dentro da premissa que amplificadores bem construídos , nada mais fazem do que amplificar de modo correto o sinal recebido e dentro desta lógica todos são iguais , é difícil imaginar que algum destes aparelhos altere propositalmente o sinal a fim de indexar uma " assinatura sônica " a sua marca ? Isto já foi comentado acerca das caixas B&W que dizem serem propositalmente " brilhantes " demais para causar uma falsa impressão de serem detalhadas , ou segundo a " lenda urbana " , agradar aos ouvidos dos audiófilos que por consequência etária perderam um pouco a sensibilidade na percepção dos agudos .

Ainda no que foi dito , eu como pretenso guitarrista não concordo que válvulas e transistores toquem igual , ainda não vi um amplificador SS tocar igual a um valvulado ... Mesmo que tentando propositalmente emular uma válvula .

Opa Júlio,

Eu não disse que amplificadores valvulados tocavam iguais a amplificadores transistorizados.

O que eu disse foi que todos os amplificadores com alta impedância de entrada, baixa impedância de saída (nenhum valvulado que eu conheça consegue ter baixa impedância de saída), alto fator de amortecimento (> 50, coisa que nenhum valvulado que eu conheça faz), baixo THD+N (<0,1%, coisa que nenhum valvulado que eu conheça faz e que muitos transistorizados ditos hi-end, a exemplo dos amplificadores da DartZeel, também não fazem) soam iguais, uma vez que só fazem amplificar o sinal, sem acrescentar nem retirar nada audível.

Dito isto, independentemente da tecnologia utilizada (transistor, válvula) ou do esquema de amplificação (classe A, B, C, D, E, F, G, H etc), se o amplificador tiver as características que mencionei, ele tocará exatamente igual aos demais amplificadores que também tenham as características que mencionei.

VTR
03-12-13, 11:11
...........

2705

JulioCesar
03-12-13, 11:17
Frost , eu falava ao Eduardo , sei que não disse isto . :OK:

Eduardo
03-12-13, 11:40
Té só trocar as ardidas 6N30P pelas 6*** que tudo entra nos eixos.
As 6N30P são muito nervosas

Válvulas nervosas... só me faltava essa... dá um lexotan pra elas.... :verde&:

Ricardo, o segundo modelo de válvula que você indicou apareceu com ***, não sei porque. Pode ter sido proposital da sua parte ou um bloqueio do sistema. Se você pudesse repetir com as letras separadas, eu te agradeceria, pois queria verificar que problema ocorreu. Obrigado.

Abraços

VTR
03-12-13, 12:50
Foi de propósito...

Sobre a válvula 6N30P: adquiri algumas só para constatar as maravilhas que diziam delas e as testei/experimentei.
Fazem aquilo que elas tiveram a incumbencia (pela firma BAT, precursora no uso delas) de fazer: captar sensacionalisticamente a atenção dos audiófilos inexperientes.
São realmente muito apimentadas se usadas em audio.
O site do Lampizator tem algumas considerações sobre a mesma: válvula MUITO boa (militar) mas para outro tipo de aplicações, audio não incluído aqui.

Passei então a testar substitutas a ela: tive bom sucesso naquela que "sugeri" acima.

[ ]
R.

Dartzeel
04-01-14, 19:04
Ricardo,as válvulas do VSi60 são as 6H30 e você me sugeriu as 6N6,logo vou te ligar e vamos testar as válvulas................

csan
29-03-14, 23:00
Olá pessoal

Gostaria de saber qual o procedimento correto para limpeza dos contatos da caixa.

Estes da foto estão novos, mas os meus estão bem piores, com áreas escurecidas. Não sei se estes plugues da serie 600 são banhados a ouro.

http://www.avx.hu/forum/uploads/post-33-1259342260.jpg

Abraços e obrigado

Carlos

Eduardo
09-04-14, 10:14
Para melhor preservar os objetivos deste tópico, e como o tema limpeza de contatos ganhou bastante dimensão e ficou genérico, as mensagens sobre esse assunto foram transferidas para ESTE (http://www.clubehiend.com.br/forum/showthread.php?1167-Manuten%C3%A7%C3%A3o-de-Contatos) tópico. :OK:

Dartzeel
23-04-14, 00:24
Nesse feriado as B&W ficaram acompanhadas de um integrado MBL 7008.

Num futuro próximo acho que elas pedem um pré + power,minha dupla antiga um dia pode estar de volta.

amadeoGT
26-05-14, 18:07
Vocês já viram as B&W Sound System? http://www.bowers-wilkins.com/events/sound-system/Primavera.html

É um sistema de PA que eles não irão colocar à venda (só usar em eventos, a começar por um festival chamado Primavera).

Dartzeel
01-06-14, 22:22
https://www.youtube.com/watch?v=kgkPHPkItok&feature=youtu.be

O áudio tá aquela beleza,como sempre culpa da câmera.

Dartzeel
11-12-14, 08:59
Após 6 meses alguns upgrades foram feitos aqui,segue um vídeo.


https://www.youtube.com/watch?v=gUR3VKB0tmQ&feature=youtu.be

fibra
11-12-14, 15:32
Está tocando muito bem ! :-bd

Dartzeel
25-12-14, 13:49
Fibra,seguindo seu conselho:O mais breve possível sairá TV,PC e a maledita cama para o outro quarto,vai virar sala dedicada.

Esse toca discos tem me deixado maluco..............................kkkkkkkkkk

JulioCesar
25-12-14, 16:35
Ajoelhou ... tem de rezar ...kkkkkkk

Dartzeel
25-12-14, 23:33
Julio,você que também pertence a turma do analógico sabe bem do que eu falo,estou para acertar um baita upgrade no analógico,em breve digo quais são para os amigos,contando os dias.

Abraço.

fibra
26-12-14, 00:37
Agora, sim ! :aplauso:

Não esqueça das fotos ... saltit&amp;

Abração

Dartzeel
28-12-14, 14:33
https://scontent-a-gru.xx.fbcdn.net/hphotos-xfa1/t31.0-8/10854405_10200224465051516_738195426723977899_o.jp g

https://scontent-a-gru.xx.fbcdn.net/hphotos-xpa1/t31.0-8/10842178_10200224465811535_2926744706387425438_o.j pg


Valei pelo incentivo Fibra,agora falta pouco para virar sala dedicada,saiu TV,PC e a bendita cama,primeira providência é consertar essas paredes,casa pré histórica é osso.kkkkkkkkkkk

E próximo passo serão os difusores.

fibra
28-12-14, 15:45
Já melhou MUITO, vejo nestas fotos. :aplauso:

Vc tem um ótimo espaço, vai ficar muito bom !

Abração.

JulioCesar
28-12-14, 19:52
O sub ficou órfão ...

Neube Braia
29-12-14, 10:23
Bruno Eduardo, bacana sua sala, coloque alguns difusores agora para completar o tratamento.

Quero ouvir seu novo som, tem que levar babador ou lencinho de papel? :-bd

Abraços

Neube.

Guto Pereira
29-12-14, 10:34
Gostei mais do "Songs From The Big Chair".

Dartzeel
29-12-14, 13:28
Valeu galera.

Neube,você e o Emilson já me devem uma visita faz tempo,quando vocês 2 tiverem um tempo me liga para marcarmos,os difusores estão na lista.
OBS:Não precisa trazer babador pois seu sistema anda lá nas alturas,rsrsrs,tenho que ir aí ouvir o UP de caixa e pré.


Guto,esse disco é ótimo,porém tenho que arranjar uma máquina para lavar todos os discos,este está bem sujo,rsrsrsrs.

Ryckyfla
10-05-15, 00:08
Boa noite !
As B&W 703 já são consideradas hi-end ?
E 683 ?

Aliás , os outros componentes sâo cambridge audio azur - cd 651 c - Pré 851e e power 851w, tb hi- end ?

Eduardo
10-05-15, 08:59
Rycky

É importante lembrar que o termo "hi-end" (ou "high-end") não se refere somente a equipamentos de áudio, e define qualquer produto que possua qualidade e sofisticação superiores à média, normalmente acompanhado de um custo também superior.
Assim, podemos ter celulares, máquinas fotográficas, carros e outros produtos tecnológicos que se enquadram nesta categoria.

Certamente, as caixas B&W citadas por você são produtos diferenciados daqueles normalmente encontrados no mercado. Você não vai encontrar equipamentos "populares" utilizando estas caixas, pois foram projetadas para fornecer um elevado desempenho na reprodução do áudio de qualidade.
Eu me recordo quando há muitos anos eu saí de um "sofisticado" sistema modular Philips para um conjunto que inicialmente utilizava duas caixas B&W 602 S3, e me lembro o quanto fiquei surpreso com o realismo e a alta definição daquela sistema.
Mesmo sendo caixas de entrada, eram muito mais caras que as caixas comuns de mercado, e apresentavam um som também diferenciado. Certamente tratava-se (e ainda trata-se hoje) de um produto hi-end, pois se enquadra na definição do termo.

O mercado, porém, confunde o termo ao definir como hi-end produtos que estão no topo da lista de componentes testados (normalmente com critérios muito duvidosos). Mas, é preciso lembrar que a diferença entre um produto que recebe 100 pontos numa destas listas para outro que recebeu, por exemplo, 80 pontos, nem sempre é significativa na prática. Há uma falsa idéia de que somente produtos que estão no topo da lista são genuinamente hi-end.
Na verdade, a lista é formada por equipamentos hi-end, com menor ou maior grau de sofisticação (discutível), mas ainda assim dentro da categoria.

Certamente os produtos citados por você, inclusive as caixas B&W, estão nesta categoria de produtos diferenciados com elevado grau de desempenho, não se tratam de produtos de "prateleira de supermercado" e, portanto, podem ser considerados hi-end.
Aliás, o casamento que você vai obter com esta combinação certamente será muito feliz, pois as caixas B&W possuem médios muito realistas e um detalhamento impressionante, o que vai fazer com que você tenha um resultado bem interessante com o seu equipamento que também apresenta estas qualidades, principalmente de detalhamento.

Ainda hoje considero as caixas B&W uma das melhores do mercado, e quando bem casadas proporcionam um resultado bastante animador.
Muitas vezes quando alguém me pergunta sobre a compra de uma caixa mediana hi-fi com a intenção de fazer "melhorias" nelas, eu acabo sugerindo a compra de uma B&W, Altec, Tannoy, Quad e outras usadas, que hoje estão com preços bem interessantes já que o mercado de usados cresceu bastante, e nenhum "mod" em caixas de categoria inferior poderá nivelar o produto à qualidade destas marcas que já nasceram com outra filosofia de projeto e para outro mercado bastante específico.

Tenho certeza absoluta que você ficará muito satisfeito com estas caixas.

JulioCesar
10-05-15, 10:33
As B&W são ótimas caixas , mas adquiriram um status aumentado por questões do mercado brasileiro , lá fora elas concorrem em igualdade com marcas que não são tão valorizadas aqui .

A linha 600 sempre foi de entrada e voltadas para home , apesar dos falantes serem quase os mesmos das linhas superiores , o xover e gabinete ... são produtos de produção em massa e longe do conceito "Hi End" .

Os produtos Cambridge vão na mesma linha de "produtos de massa" , mas não significa que não sejam bons , pelo contrário ; mas não são hi end pelo conceito da palavra que se traduziria em o " máximo do máximo " ou " estado da arte " .

Um Seiko e um Phatek Philipe são ambos relógios e marcam as horas da mesma forma , mas um é produto de massa e o outro estado da arte ... Esta analogia não é tão válida no caso de audio , pois os dois não " marcariam as horas " de forma semelhante , mas dá uma idéia de como funciona o conceito HiEnd .

Radames
10-05-15, 12:49
Bem, discordando um pouco do Julio, acho que o que deve-se buscar como hi-end é o resultado. A etiqueta até pode servir como referência, mas também pode enganar.
O power e pré podem dar um resultado hi-end, o cd player talvez.
Mas para se obter o resultado hi-end você precisaria de caixas melhores. A linha 7 nunca ouvi, mas a 6, apesar de muito boa, não chega lá.

Abraço!

KANAHA
10-05-15, 13:16
Gosto muito da marca B&W, mas existem muitas outras caixas europeias que são mais baratas e equivalentes ou até mesmo superiores, como as Davis Acoustics por exemplo.

Este modelo abaixo a Vince HD da Davis Acoustics é superior as 683 S2 da B&W e mais barata, 1.200 €, contra 1.600 € da 683.

http://www.davis-acoustics.com/wp-content/uploads/2012/07/vinci-hd-1.jpg

http://www.davis-acoustics.com/wp-content/uploads/2012/07/vinci-hd-2.jpg

http://www.davis-acoustics.com/wp-content/uploads/2012/07/vinci-hd-3.jpg

Ryckyfla
10-05-15, 15:29
Boa tarde !

Há muita diferença entre o cd player 651c e 851c ? Na mesma pergunta coloco entre as 703 e 803 n , o upgrade será de grande custo/benefício?

Radames
10-05-15, 15:42
Eu gastaria primeiro nas caixas :verde&:

Ryckyfla
10-05-15, 15:59
a diferença de qualidade é muito grande entre as 703 e 803n ?

Eduardo
10-05-15, 17:45
Sim, são duas séries diferentes, mas a segunda possui um refinamento (precisão) maior.

Não estou sugerindo outros modelos de caixas porque imagino que você esteja com um negócio em vista. Este conversa de valorização das B&W por conta do mercado brasileiro não é verdade. Tenho muitos amigos audiófilos, principalmente na França e Bélgica, e 80% deles usam e preferem B&W.
Elas são caras no Brasil, e geralmente eu acabo recomendando a Monitor Audio como uma opção mais acessível e também de ótimo nível. Mas, respondi a sua pergunta de forma objetiva, porque imagino que você está para tomar uma decisão sobre este modelo.
Como o Radames corretamente afirmou, hi-end é o resultado, e esteja certo que a combinação destas caixas com a sua amplificação será excelente.
Pode manter o 651C, e pense em mais tarde investir num bom DAC. É o caminho que mais gosto.

Abraços

Ryckyfla
10-05-15, 20:30
Minhas caixas atuais são 703 para stereo com toda aparelhagem cambridge e estou pensando em mudar as 703 pela 803n, já que a linha cm não me agrada muito. Então quero saber se teria um resultado perceptível com esse up das caixas.
O 851w empurra as 803n sem dificuldades ?

Ryckyfla
10-05-15, 20:31
*Leia-se pelas

Radames
10-05-15, 22:18
Acho que consegue sim. O power da Cambridge é bastante competente.

Ryckyfla
24-05-15, 15:48
Boa tarde !

Atualmente possuo caixas B&W 703, e estou pensando já no ano que vem trocar por B&W 803 n ou 803 s. Alguém pode informar se há muita diferença entre as 803n e 803s ?

Dartzeel
05-06-15, 08:50
Reformei a salinha,instalei o carpete e agora comecei a montagem dos difusores,serão 25 na parede atrás das caixas e 10 de cada lado nas paredes laterais,abaixo dos painéis acústicos.

https://www.facebook.com/photo.php?fbid=10200761404034655&set=a.1649061443608.49743.1749146424&type=1&theater

thereizein
06-06-15, 00:02
Bem legal montar esses difusores!!
Estão sintonizados para alguma frequencia?

JulioCesar
06-06-15, 07:45
Reformei a salinha,instalei o carpete e agora comecei a montagem dos difusores,serão 25 na parede atrás das caixas e 10 de cada lado nas paredes laterais,abaixo dos painéis acústicos.



O aspecto visual deste aparato é muito legal , mas recomendo um pouco de parcimônia no uso deles . O excesso disto pode deixar o som seco demais ...

Dartzeel
08-06-15, 23:23
Alguns difusores instalados e tocando com as novas caixas.

https://fbcdn-sphotos-h-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xtf1/t31.0-8/11402268_10200772277706490_1975505693931969505_o.j pg

Eduardo
09-06-15, 17:37
Dartzeel,

Como você definiu o tamanho de cada bloquinho?

Dartzeel
09-06-15, 19:44
Copiei esses difusores do Neube,ele sabe o site onde tem as medidas.

Irei colocar mais alguns pois gostei bastante do resultado.

thereizein
09-06-15, 22:00
Tem um programa que faz a conta. Busque no Google por skyline audio diffuser

Sent from my ASUS_T00J using Tapatalk

Marcio
10-06-15, 10:25
Copiei esses difusores do Neube,ele sabe o site onde tem as medidas.

Irei colocar mais alguns pois gostei bastante do resultado.

Dartzeel, e onde consegue esse material? Aproveitando, narra ai como é 803d!

Abraço,

Marcio.

thereizein
10-06-15, 17:09
Segue link para o programa que comentei:
http://www.mh-audio.nl/user/acoustic%20calculator.asp

Dartzeel
10-06-15, 21:02
Márcio,comprei a chapa de 30mm de MDF e pedi na própria madeireira que cortassem réguas de 30 por 30,depois a levei na marcenaria de um amigo e cortei os toquinhos nas medidas,são toquinhos com 9,6,5,4,3 e 2 centímetros,e o painel do fundo,onde é colado os toquinhos é uma chapa de 42,5cm por 42,5cm,essa é com MDF de 15mm.

Ainda é cedo para falar das 803D,embora eu as conheça de outro sistema há muito tempo,embora percam em qualidade e refinamento para as minhas ex 804D(linha nova),gostei mais da 803 devido aos altos volumes que ouço,a caixa trabalha folgada.

Em breve terei opinião melhor pra dizer aqui a respeito delas,mas logo de cara já gostei do resultado.

Marcio
11-06-15, 18:21
Muito criativo!

JulioCesar
11-06-15, 21:24
Cara , cada placa dessa deve pesar muuuuito . Como são presas à parede , com buchas ?

Russo
12-06-15, 09:39
Se tivesse como usar madeira balsa ou mesmo isopor, acho que ficaria mais leve.

Dartzeel
13-06-15, 08:45
Realmente as placas são bem pesadas,estão fixadas com 3 parafusos e bucha 8mm,ficaram bem presas,o chato é instalar a primeira fileira,depois é moleza.

Esses dias devo terminar o restante,tenho que ir no marceneiro cortar mais toquinhos,os de 5cm são os mais usados,os que tenho devem dar apenas para mais 2 placas.

Ryckyfla
14-06-15, 14:42
Boa tarde !

Por favor, me ajudem a tirar essa dúvida. Atualmente possuo caixas b&w 703 e tá pintando a oportunidade de fazer um up para B&W CM 10 - B&W 803 N - B&W 803 S.

Dartzeel
14-06-15, 17:28
De todas essas eu iria de 803S,ouvi dizer que a linha CM é muito boa,mas como é made in china..........................................tô fora.Minha opinião é claro.

Ryckyfla
01-07-15, 20:30
Boa noite !

Caros colegas do fórum , no meu último post mencioonei uma possível troca das caixas que tenho atualmente. Possuo B&W 703 e nas possíveis trocas gostaria de saber se realmente vale esse investimento, o Dartzeel opinou por 803 S .
1 - 703 por cm 10 made in china, voltando 7000 reais;
2 - 703 por 803 N made in Inglaterra,voltando 5000 reais;
3 - 703 por 803 S made in Inglaterra, voltando 9000 reais.
O que quero saber, é se a diferença de refinamento entre 803 N e 803 S compensa gastar a mais para ter as 803 S. Por favor me ajudem, estou sem saber o que fazer e não queria dar um passo errado, sendo que, irei parar com up de caixas porque a série D é muito cara para meu orçamento.saltit&amp;

Tiago MCSP
02-07-15, 11:41
Só serve B&W? Já ouviu as Monitor Audio? São mais baratas aqui no Brasil!

Ryckyfla
02-07-15, 14:39
Tiago MCSP, É porque gosto muito das caixas b&W. O meu home theater também é composto por b&W 683 e 684 e htm61, nunca ouvi monitor audio.

Obrigado pela atenção!

Eduardo
02-07-15, 15:30
Eu sou fã das B&W também. Mas, pelo preço que praticam aqui, concordo com o Tiago que as caixas da Monitor são excelentes opções.
Por outro lado, gosto é gosto, se não fossem tão caras, eu também iria de B&W.
Apesar de uma Monitor Audio ter um desempenho de altíssimo nível, a B&W tem uma magia inexplicável.

Tiago MCSP
02-07-15, 15:40
Agora que vi que você é de Aracaju/SE.

Vendi as minhas antigas MA RX8 para alguém daí e estou vendendo as atuais GX300. Se tiver como ouvir e gostar, é só me procurar. Nesse nível de caixa as MA vão de igual pra igual com B&W e no Brasil custam 1/3 do preço. Lá fora o preço é parelho.

Ryckyfla
02-07-15, 15:49
Valeu tiago !

Ryckyfla
02-07-15, 15:50
Obrigado Eduardo !

Ryckyfla
02-07-15, 16:42
Mas, voltando para as opções de troca que citei acima, em questão de refinamento associado ao custo benefício Qual seria a melhor opção ? Ou não fazer a troca e permanecer com as 703 ?

thereizein
02-07-15, 17:25
Rick. Monte uma tabela com as especificações lado a lado das caixas e poste aqui.

Sent from my ASUS_T00J using Tapatalk

Ryckyfla
02-07-15, 19:57
especificações das caixas.

Não consegui fazer lado a lado.

Model CM10
Description 3-way vented-box system
Technical features Free-mounted dual layer aluminium dome tweeter with Nautilus™ tube loading
Kevlar® brand fibre cone FST midrange
Decoupled midrange and tweeter units
Flowport™
Drive units 1x ø25mm (1 in) dual layer aluminium
dome high-frequency
1x ø150mm (6 in) woven Kevlar® cone FST midrange
3x ø165mm (6.5 in) paper/Kevlar® cone bass
Frequency range -6dB at 28Hz and 50kHz
Frequency response 45Hz – 28kHz ±3dB on reference axis
Dispersion Within 2dB of reference response
Horizontal: over 60º arc
Vertical: over 10º arc
Sensitivity 90dB spl (2.83V, 1m)
Harmonic distortion 2nd and 3rd harmonics (90dB, 1m)
<1% 86Hz – 28kHz
<0.5% 110Hz – 20kHz
Nominal impedance 8Ω (minimum 3.1Ω)
Crossover frequency 350Hz, 4kHz
Recommended amplifier power 30W – 300W into 8V on unclipped programme
Max. recommended 0.1Ω

Model 803 N
D e s c r i p t i o n
Drive units
F requency re s p o n s e
S e n s i t i v i t y
3-way vented-box system
1 x 25mm metal dome high-frequency
1 x 150mm woven Kevlar® cone FST
midrange
2 x 180mm paper/Kevlar® cone bass
42Hz – 20kHz ± 2dB on reference
axis
90dB spl (2.83V, 1m)
Nominal impedance
Power handling
D i m e n s i o n s
F i n i s h e s
8W (min 3.0W)
50W - 250W into 8 ohm on unclipped
programme
Height: 1064mm Width: 285mm
Depth: 431mm
Cabinet: Real wood veneers, Black Ash,
Cherrywood, Red Stained Cherrywood
Grilles: Black cloth

Model 803S

Technical features
Kevlar® brand fibre cone FST™ midrange
Rohacell® cone bass
Matrix™ cabinet
Flowport™

Description
3-way vented-box system

Drive units
1x ø25mm (1 in) aluminium dome high-frequency
1x ø150mm (6 in) woven Kevlar® cone FST™ midrange
2x ø180mm (7 in) Rohacell® cone bass

Frequency range
-6dB at 28Hz and 50kHz

Frequency response
35Hz - 22kHz ±3dB on reference axis

Dispersion
Within 2dB of reference response
Horizontal: over 60º arc
Vertical: over 10º arc

Sensitivity
90dB spl (2.83V, 1m)

Harmonic distortion
2nd and 3rd harmonics (90dB, 1m)


Model 703

NÚMERO DE VIAS: 3
RESPOSTA DE FREQUÊNCIA: 38 Hz – 25 kHz
AMPLIFICAÇÃO REQUERIDA
IMPEDÂNCIA: 8 OHMS
SENSIBILIDADE: 90 dB
Description: 3-way vented-box system
Frequency Response: 30Hz and 50kHz
Power handling: 200W into 8O
Sensivity: 90dB spl (2.83V, 1m)

Eduardo
03-07-15, 07:45
Rycky,

Se fosse para mim, eu me apertava um pouco, financiava, convivia no cheque especial por um tempo, mas iria de 803S...
Certamente há um ganho em qualidade, assim como a 803D seria outro degrau em termos de refinamento.

Entendo que a sua intenção é ficar muito tempo com estas caixas, então porque não investir logo na melhor?
A cada lançamento a B&W supera o desempenho das linhas anteriores. É um fabricante muito sério e que está sempre investindo no constante desenvolvimento de seus produtos.

Se você está considerando também o modelo mais caro, é porque de uma ou outra forma ele se encaixa no seu bolso, provavelmente de uma forma mais penosa.
Querer saber se o salto em desempenho vai ou não valer a pena, aí somente os seus ouvidos poderão responder.

Eu normalmente prefiro ter desempenho e qualidade sobrando do que faltando. Sua exigência hoje pode ser uma, mas amanhã você pode querer mais, e ter caixas preparadas para atender à esta sua nova necessidade ou exigência pode significar uma economia no futuro, e maior conforto numa mudança de sistema.

Esse é um hobby, é gosto, satisfação e paixão pessoal, e não é barato. Quanto mais você puder avançar sem cair nas armadilhas do "quanto mais caro melhor", mais satisfação terá, e a vida é bastante curta para fazer com que pequenos prazeres valham a pena. No caso das caixas B&W, as diferenças de preços são justificáveis pelo desenvolvimento dos produtos e pelo incremento de qualidade sonora. Não há muito o que errar aqui.

Vá de 803S. Tenho certeza de que não se arrependerá.

Isso é o que eu faria.

Ryckyfla
03-07-15, 09:04
Obrigado Eduardo ! Se não for incômodo você pode ir até o tópico de salas e dar uma olhada nas fotos da minha sala e fazer alguns comentários ? Gostaria se possível de dicas para melhorar a acústica da sala sem gastar muito em soluções específicas.

Ryckyfla
03-07-15, 09:06
Eduardo, meu sistema cambridge empurrará bem as 803S ? composto pelos seguintes - cd 651c - pré 851e - power 851w.

Eduardo
03-07-15, 09:21
Com certeza vai empurrar e com muita classe !!! Seu equipamento é excelente.
No futuro você poderá conseguir tirar algo mais dele com um player um pouquinho melhor, ou ainda com um bom DAC, ou ainda um DSPeaker. Mas, não tenha pressa...

Ryckyfla
03-07-15, 12:50
O cambridge 851c melhora ? Eduardo, se não for incômodo você poderia me explicar como funciona dac e o dsp ? pode ser de forma sintética ? Gosto muito de ouvir música desde quando criança, porém, ouvia naqueles aparelhos chamados 3em1. Meu primeiro sistema foi com um pré rotel rc03 e power marantz 7025. Não sou audiófilo, apenas gosto de ouvir música com qualidade sem analisar como audiófilos fazem. Digamos que um amante da música como forma de relaxamento mental.

Obrigado mais uma vez ?

Eduardo
03-07-15, 13:48
Rycky,

Se você não busca um nível muito elevado de exigência, ou seja, gosta de ouvir música sem muita frescura, então pode deixar o seu sistema como está. Na medida que você possa se interessar por uma maior detalhamento e refinamento do som, então poderá se aventurar por estes caminhos que citei.
Mas, veja, isso não é obrigatório.
Conheço inúmeros audiófilos frustrados que só conseguem pensar em cabos, equipamentos, mods, posicionamento de caixas, detalhes acústicos e que colocam a música em segundo plano. Por outro lado conheço felizes proprietários de equipamentos mais modestos que tem como foco a música, não se preocupando se consegue ouvir este ou aquele detalhe.

A mensagem musical é passada da mesma forma, esta é a verdade.
Você pode entender o que alguém lhe diz pessoalmente, através de uma caixa acústica B&W, por meio de falantes de 2 polegadas de um TV, ou mesmo no mais simples MP3. A mensagem lhe é passada da mesma forma.
O audiófilo busca tornar esta experiência mais real, mas te garanto que 90% deles não sabe o que é essa experiência real.

Por outro lado, vejo que você já está querendo sair de excelentes caixas acústicas para outras que podem lhe trazer mais satisfação. Então eu acho que você deveria refletir um pouco sobre onde quer chegar, para não tornar um prazer numa obsessão desenfreada sem limites.

Um DAC externo vai substituir a etapa de conversão digital --> analógica interna do seu player por um dispositivo externo mais sofisticado e supostamente mais preciso (existem inúmeras opções).
Um DSP, como o DSPeaker também vai realizar esta função e outras, como a correção acústica de sua sala ou a adequação do sistema para inúmeras outras variáveis, como seus ouvidos, gosto pessoal, ajustes de desvios que ocorrem por razões diversas, etc. Novamente, existem inúmeros modelos com recursos variados.

Abraços

Ryckyfla
03-07-15, 15:00
Eduardo , pretendo parar na 803S pq acho que pra mim já fica excelente como também o limite financeiro, também chegar ao 851c da cambridge. O dac é ligado ao cd player ? gosto muito da marca cambridge o seu dac é bom ? O que você pode falar sobre minha sala ? ela somente é utilizada pra filme e música e tem uma passagem para um quarto que é utilizado quando tem visita.

Eduardo
03-07-15, 16:36
Fiz um comentário lá no tópico da sua sala, poderíamos conversar sobre ela por lá, até para termos outras opiniões.
O que vc acha?

Ryckyfla
03-07-15, 16:42
OK !

Dartzeel
04-07-15, 09:25
Concordo com o Xará,803S.

Minha primeira B&W foi a 703,a achava ótima,quando troquei pela 804N a diferença para a 703 foi muita,depois parti para 804D,o ápice.Como ouço altos volumes e voltei para pré e power(tinha integrado valvulado de 50w por canal)as 804D ficaram no limite,acabei partindo para 803D1,apesar de ser modelo antigo fiquei satisfeito com o som delas,afinal são 200w contra 500 da última.

Agora tenho caixa de sobra.

Ryckyfla
04-07-15, 09:53
Dartzeel, Deve ser muito prazeroso ouvir as 803d. Quero as 803s são 250w e pra passar para série D fica muito caro e difícil e até porque teria que mudar eletrônica também, Creio que pararei na 803s que já está de bom tamanho.

Grande abraço.

Dartzeel
12-07-15, 21:04
Pena que o volume ficou alto,mas dá pra perceber como esta caixa tem o grave mais impactante do que as 804.

https://www.youtube.com/watch?v=m7jExluGWQA

Ryckyfla
12-07-15, 21:45
Boa noite,
Dartzeel, qual cabo vc utiliza para as 803 d ?

Dartzeel
12-07-15, 22:58
Estou usando o Cardas Golden Cross,mas pretendo colocar todo o cabeamento da Nordost,do Heimdall em diante.

Eduardo
13-07-15, 09:19
Dartzel,

Tente testar os cabos DNM, na minha opinião muito superior aos Nordost e bem mais baratos.
Tenho um amigo que usou este cabo em suas 802D (somente caixas) e achou superior aos demais que já tinha testado, com mais realismo e naturalidade, e jura que o volume aumentou também.

Radames
13-07-15, 19:47
Tenho curiosidade com esse cabo da DNM pois ele obedece a geometria que, em minhas "viagens na maionese", considero mais adequada. Pelo menos por enquanto estão fora de cogitação pois tenho outras prioridades, mas um dia testo.
Dartzel, sei que você está num patamar um pouco mais avançado na reprodução de áudio, mas, se cabe uma recomendação, experimente o Plastichumbo. Nem que seja só para experimentar e dizer que não gostou. O custo é irrisório, deve custar de 3 a 5 reais o metro, e o resultado surpreendente.

Muita gente acha que por se tratar de um cabo elétrico genérico o som ficará uma porcaria, mas os que o testaram aprovaram sua performance com louvor.:OK:

Aliás, Edu, se você tiver um tempo e curiosidade, faça um teste por aí também. Suas impressões seriam de grande valia. :-bd
Acho previsível e um tanto óbvio que o DNM será superior pois sua construção foi feita pensando no áudio. Há pouco dielétrico, espaçamento entre os condutores (que reduz interação entre campos magnéticos) e material de melhor qualidade. Mas pô... por 30 ou 40 Reais vale a pena testar :verde&:

Abração!

Eduardo
13-07-15, 20:23
Radames,

Gostaria de testar sim. Estou bastante curioso sobre este cabo.

Dartzeel,

Este amigo que comprou estes cabos DNM, ligou as 802D com amplificação Meridian. Ficou show.
O problema é que ele comprou o dobro do que precisava, pois queria bicablar e os cabos já são duplos... então....
Ele estava vendendo o que sobrou, e se quiser coloco vocês em contato.

Eu já testei muitos cabos, e na minha opinião os Nordost custam muito mais do que valem. Não só os DNM se mostraram superiores, mas existem outras opções muito melhores (NMHO) por um custo bem menor.

Abração

Dartzeel
14-07-15, 14:01
Obrigado pela dica Xará,nunca ouvi falar neste cabo,será que esse seu amigo me emprestaria o cabo para testar?Estou em BH.

Ryckyfla
14-07-15, 14:43
Dartzeel , às vezes compro aí em BH na hificlub.

Eduardo
14-07-15, 15:10
Obrigado pela dica Xará,nunca ouvi falar neste cabo,será que esse seu amigo me emprestaria o cabo para testar?Estou em BH.

O único problema é que ele se mudou para a Argentina...

Dartzeel
14-07-15, 17:48
Ryck,todos os meus equipamentos vieram de lá,exceto o subwoofer JL,esse veio direto da fábrica.


É Xará,aí complicou.

Dartzeel
28-07-15, 23:58
Rega RP10 em teste aqui:

https://www.youtube.com/watch?v=AiXFg58SMnc

thereizein
29-07-15, 10:42
Dartzeel como se compara com seu rp2 modado?

Sent from my ASUS_T00J using Tapatalk

JulioCesar
29-07-15, 19:01
Curioso em saber a resposta ...

KANAHA
29-07-15, 19:31
Curioso em saber a resposta ...


Julio, sua caixa de MPs está cheia, não consigo responder sua MP

Dartzeel
30-07-15, 00:03
Incrível como um toca discos faz diferença,acho que 80% é o braço.

Os chiados dos discos sumiram,tá de lascar a qualidade,pena que por video não se perceba.

VTR
30-07-15, 09:48
Incrível como um toca discos faz diferença,acho que 80% é o braço.

Os chiados dos discos sumiram,tá de lascar a qualidade,pena que por video não se perceba.

Pode ser considerado assim tb: o braço do RPII + cápsula está lendo bem mais frequencias altas do que o braço Rega e sua cápsula...

Particularmente considero o braço Jelco bem superior a esse braço Rega.
Em que pesem opiniões em contrário.

JulioCesar
30-07-15, 10:38
Mesma capsula nos dois ?

VTR
30-07-15, 11:49
Mesma capsula nos dois ?

Aconselhável...

Dartzeel
30-07-15, 12:17
Mesma cápsula,inclusive a minha mesmo,ficou óbvio que o Rega é muito superior.

VTR
30-07-15, 13:25
Mesma cápsula,inclusive a minha mesmo,ficou óbvio que o Rega é muito superior.

Acredito sim que o TD Rega com a mesma (sua) cápsula tenha tido desempenho superior: em nossas conversas ao telefone salientei sobre as regulagens e ajustes que deveriam ter sido meticulosamente feitos tendo em vista que a base do braço Jelco no seu TD artesanal é independente do bloco do prato.

Procedimentos que são costumeiramente muito envolvidos e não amigáveis nos TDs convencionais ficam MUITO mais complicados quando temos um braço independente da base num determinado TD.

Faça o seu para casa de novo e torne a compara-los...
:laughing7:

thereizein
30-07-15, 16:24
Bom, o Rega sem cápsula custa 32 mil reais.....
Você colocou na ponta do lápis quanto ficou o nos do rp2?

Sent from my ASUS_T00J using Tapatalk

Dartzeel
30-07-15, 16:27
O ajuste no REGA também foi feito no olhômetro.

Dartzeel
30-07-15, 16:33
Meu TD customizado ficou na faixa dos 3 mil e 500 +ou-,isso porque foi eu quem fabriquei ele,um serviço deste nível um torneiro cobraria uma fortuna,independente disso acho que não há como comparar.

O REGA além de ser TD de muita fama vai ganhar mesmo de um braço com mais de 30 anos,afinal a tecnologia está aí para isso mesmo,não é verdade?

thereizein
30-07-15, 17:23
Não sei haha...Não entendo de analógico. Caramba, você fabricou aquele tarugo? Boa!!!!

Sent from my ASUS_T00J using Tapatalk

Dartzeel
30-07-15, 17:23
Mas não acho que essa diferença na qualidade valha tudo isso em $$$$$$$$$$,é muita grana num toca discos.

Mas que tem diferença............................ah isso tem.

Fabriquei todas as peças,exceto é claro,braço e motor.

VTR
30-07-15, 19:25
Concordo com tudo...

Onde eu assino?

:confused2:

Eduardo
30-07-15, 19:34
O REGA além de ser TD de muita fama vai ganhar mesmo de um braço com mais de 30 anos,afinal a tecnologia está aí para isso mesmo,não é verdade?

A fama até que pode passar, mas realmente a Rega tem um cuidado enorme no desenvolvimento de seus toca-discos, e certamente nestes anos todos ela tem desenvolvido tecnologia para melhorar cada vez mais o desempenho de seus produtos.
Apesar de eu não ser muito fã do vinil, gosto muito da Rega. Eles não dormem do ponto.
Certamente os dois TDs estão num patamar tecnológico bem diferentes, o que é natural.

Radames
30-07-15, 20:17
Apesar de ser offtopic vou comentar também :verde&:

O caminho natural é a evolução, isso vale para tudo. Então creio que o Rega tenha materiais mais recentes e menos ressonantes, rolamentos menos resistentes, motor melhor e por aí vai.
Mas não podemos nos esquecer que geometria é uma só e, pelo menos nessas aplicações, não mudou nadinha.
Há também a possibilidade de desgaste das peças do RPII, isso certamente comprometeria sua performance.

Digo essas coisas porque depois da bela revisão que dei no DD200Q ele melhorou consideravelmente. Ruído de fundo baixou, estabilidade da rotação aumentou e o braço se movimenta sem resistência alguma. O som que saía dele antes da revisão em pouco se assemelha ao que sai agora. É um TD básico, mas toca que é uma beleza :verde&:

Talvez uma boa revisão no RPII diminuísse a diferença entre ele e o Rega, mas será que compensa o trabalho?

Abração!

TUTUBARAO
30-07-15, 20:22
Eu ainda não tenho meu td e pouca intimidade com eles tenho, mas os vintages já tive.

Faço audições nas casa de amigos e quando se trata de hiend noto o bom som, mas nada tão superior que me faça abandonar o meu digital.

Deixo a pergunta?
Trocou o cabeamento do braço?

Pois a turma que fez isso tem dado muito relato de melhora.

Eu ouvi uma vez um braço SME com e sem a troca (cabo da cardas) e a melhora , principalmente na região médio alta, foi exponencial.(1 elevado a zero se comparado ao que ouvi no SACD)

Russo
30-07-15, 21:39
Somente lembrando que os braços Jelco ainda são fabricados até hoje e extremamente bem cotados lá fora.

Abraço,

Dartzeel
30-07-15, 21:52
O braço do Rega é o RB2000,o cabo do braço vem junto dele,no meu uso um Supra daqueles simples,já testei vários cabos bacana no meu TD,inclusive um Ortofon próprio para braço,e nenhum deles ficou bom.

O teste foi feito,não há dúvida na diferença entre ambos,quem quiser vir ouvir a casa está aberta.Fora a história de um outro pre de phono que estou testando aqui em diferença para o meu,mas isso é assunto pra depois.

Eduardo
31-07-15, 07:42
Não há dúvida de que um bom TD vintage pode proporcionar um resultado muito bom, mas é óbvio que tudo evolui.
Se não fosse assim, estaríamos felizes com um sistema vintage (e gastando até bem menos... :verde&:).
Mas, como qualquer produto tecnológico (TVs, celulares, computadores, impressoras, câmeras fotográficas, filmadoras, carros, aviões, etc...), o desenvolvimento não pára, para a nossa alegria...

Dartzeel
31-07-15, 09:01
E para a tristeza de nossos bolsos...........

Ontem após essa última postagem ouvi umas 2 horas de vinil,conclusão:Vai ser difícil devolver o Rega.

Dartzeel
25-08-15, 14:27
Para quem não acessa o outro fórum,aqui vai a foto da sala de um amigo..............

https://www.facebook.com/photo.php?fbid=10201034473261215&set=pcb.10201034475741277&type=1&theater

Eduardo
25-08-15, 20:28
link inválido :(

Dartzeel
25-08-15, 22:09
Estranho,veja se agora dá.

https://fbcdn-sphotos-b-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xlf1/t31.0-8/11958101_10201034473261215_5920414483966404253_o.j pg

Eduardo
25-08-15, 22:37
Abriu !!!

Belo sistema !!! Gosto destas caixas.
O que você achou daquelas placas de dispersão? Comparando com as tradicionais placas absorvedoras (de espuma ou lã)...

Eduardo
25-08-15, 22:39
Qual é o tocador de CD?
E o modelo do toca-discos de vinil?

KANAHA
25-08-15, 23:01
Que sala ... ^:)^, Quero uma assim ... :toothy10:

Dartzeel
26-08-15, 00:28
Xará,eu gostei tanto que montei algumas pra mim,nessa sala ele colocou até no teto,o médio fica muito evidente,bem seco.Segue a lista dos equipos:



Equipamentos desse sistema:

B&W 802D2
Audio Research Reference CD8
Audio Research Reference 2 MKII
Audio Research Reference Phono 2
Audio Research Reference 150 (para médio e agudo)
Monoblocos VTL 450 (para graves)
2 JL Audio F113 (5000 watts de subwoofer,kkkkkkkkkkkkkk)
Toca Discos RP II customizado
Cápsula Ortofon Cadenza Bronze
Tuner Magnun Lab (valvulado)
Cabeamento : Shunyata,Kimber,Van Den Hull,Furutech e outros mais............

ZeLuiz
26-08-15, 22:01
Caramba, um par de 802 e o cara ainda precisou de mais graves!?!
Uma dupla de F113 daria para tremer uma sala de cinema das grandes...

thereizein
26-08-15, 22:08
Pra mim tu era o jl áudio....

Enviado de meu ASUS_T00J usando Tapatalk

Dartzeel
27-08-15, 09:52
Sou eu mesmo,só o nome tá diferente.

Radames
27-08-15, 10:17
Mas o cara cortou completamente os graves da 802 pra usar somente os subwoofers (aliviando os valvulados) ou está está tudo funcionando?

Porque se tudo estiver funcionando junto... Jisuis! O baterista dá uma porrada no bumbo e a gente sente no Pâncreas! :laughing7:

Dartzeel
27-08-15, 11:50
Tá daí pra lá Radames.kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk kk

Tudo ligado,450 por canal só para graves,e o de 150 para médio e agudo,e são monoblocos de 450.É coisa de doido esse sistema.

Dartzeel
07-09-15, 00:02
Aí um breve video do novo brinquedo:deck TASCAM 122MKII

https://www.youtube.com/watch?t=96&v=9JVzYfBFJYQ

TUTUBARAO
09-09-15, 11:50
https://www.facebook.com/BowersWilkins/videos/1101817579836241/?fref=nf LANÇAMENTO 10 DE SETEMBRO

B&W 802 D3

4870

Dartzeel
09-09-15, 12:57
Não é possível que a B&W estragou a linha 800.Se for oficial é simplesmente horrorosa..........................

VTR
09-09-15, 13:00
Nem tanto... digamos que ela ficou pior...

Russo
09-09-15, 13:22
É made in china? :evil6:

TUTUBARAO
09-09-15, 13:40
ACHEI IGUAL A OUTRA!

A única diferença que notei foi nos alto falantes.

No mínimo devem ser feitos com outro material ,algo tipo cerâmica ou berillium,

mas até agora não vi em nenhum lugar falarem do que são feitos.

Eles não mudariam só a cor.
:verde&:

TUTUBARAO
09-09-15, 13:41
É made in china? :evil6:

Provávelmente, ninguém produz mais nada, tudo é feito lá kkkkkkk

TUTUBARAO
09-09-15, 13:50
Eles sempre mudavam os desenhos e entregavam quase como algo idêntico, as diferenças nunca eram gritantes quando eu as comparava.

Uns 3 dbs a mais num tweeter, ou algo assim , mas nada que modificasse a assinatura sônica. De repente esse novo material melhore a região dos médios.

http://blog.bowers-wilkins.com/speakers/bowers-wilkins-800-series-a-history-of-innovations/?utm_campaign=800%20D3&utm_content=4194940&utm_medium=facebook&utm_source=Bowers%20%26%20Wilkins

JulioCesar
09-09-15, 14:30
Enfeiaram a caixa ... Não compro mais .

KANAHA
09-09-15, 14:52
Julio, a encomenda saiu para entrega em sua casa as 10:14, deve estar quase batendo na sua porta.

Eduardo
09-09-15, 14:57
Eu gostava muito do modelo anterior. Esse ficou estranho, mas pode ser pela novidade também.
Em 30 anos o pessoal acostuma... :verde&:

Russo
09-09-15, 16:49
O modelo anterior agradou de cara. Esse realmente ficou estranho.
Parece que perdeu a "elegância".

Abraço,

Dartzeel
10-09-15, 08:56
Visualmente a linha D1 para a D2 teve uma ótima melhora,as D2 ficaram impecáveis,essa nova acho impossível eu acostumar.

Essa bola do médio ficando fora da caixa foi de lascar.

Vamos aguardar pra ouvir ao menos a sonoridade desse ET.

Eduardo
10-09-15, 09:34
Eu acho que é só uma questão de tempo.
Lembro quando lançaram este modelo abaixo e eu achei horrível:

http://www.hifiexpert.eu/media/catalog/product/cache/1/image/9df78eab33525d08d6e5fb8d27136e95/f/i/file_14_13.jpg

Hoje eu acho que elas até que... continuam horríveis... :verde&:

Deve haver alguma razão técnica para isso, pois elas são muito semelhantes em conceito.
Eu sou fã das B&Ws, mas acho a linha antiga bem mais bonita.

von moltke
10-09-15, 09:44
As 800 sempre foram feitas na Inglaterra, se mudarem isso seria um grande tiro no pé acredito. Eu achei horriveis, as 800 D2 tinham um charme enorme.

Hoje em dia as CM10 S2 tem um custo x Beneficio imbativel.

von moltke
10-09-15, 09:50
Engraçado que a 800D saiu de linha, ou vem algo novo por ai.

Senti falta da 803D2, agora virou uma Mini 802.

http://www.bowers-wilkins.net/Speakers/Home_Audio/800_Series_Diamond

Dartzeel
10-09-15, 10:20
Todas ganharam kilos a mais,a 804 por ex a antiga era 27kg essa nova 33.

VTR
10-09-15, 11:16
Design tendencia PT Cruiser...

TUTUBARAO
10-09-15, 12:09
As 800 sempre foram feitas na Inglaterra, se mudarem isso seria um grande tiro no pé acredito. Eu achei horriveis, as 800 D2 tinham um charme enorme.

Hoje em dia as CM10 S2 tem um custo x Beneficio imbativel.

https://atane.wordpress.com/2012/07/14/offshoring-hifi-good-for-profit-bad-for-everything-else/


"Um exemplo perfeito é o B & W grupo . Eles começaram movendo Rotel e apenas as 600 séries Bowers & Wilkins alto-falantes para a China. Havia pouco protesto, como que era o produto de preço mais baixo, também conhecido como a linha de "orçamento". Em seguida, eles lentamente começaram a ir mais para cima da linha para os alto-falantes da série CM mid-range e os resmungos começou, mas hey - foi ainda argumentou que não era produto de prateleira de topo, por isso não é grande coisa. Em seguida, eles se mudaram toda a Classe Áudio a fabricação até a China."



Se alguém há 5 anos, falasse que quase tudo a partir do grupo B & W seria feita na China, alguém acreditaria? Isso teria sido inconcebível. Tudo isso aconteceu nos últimos 3-4 anos..

Radames
10-09-15, 13:46
Já faz algum tempo que todas as séries da Monitor Audio também estão sendo fabricadas na China.
Logisticamente fica bem mais barato, afinal de contas alto-falantes, capacitores, cabeamento interno e as próprias chapas de MDF são fabricadas lá. Fora custo de mão de obra.

Antes até entendia os motivos. Se seu produto tem qualidade equivalente e preço 30% menor que o do concorrente ele realmente tende a vender mais, podia ter sido feito até na Lua. Mas hoje esse diferencial se foi e a maré está invertendo. Já vi inúmeras vezes os dizeres "Proudly made in USA" como argumento de venda.

Até a Emotiva está migrando a fabricação de seus equipamentos para os EUA. E como o mercado é meio inconsistente (pra não dizer outra coisa) a Emotiva talvez deixe de ser percebida como "budget oriented" e começe a ser vista como "best bargain" (no Brasil, Diamante referência :laughing7:) sem alterar uma única vírgula no projeto dos amplificadores.

Neube Braia
10-09-15, 18:31
B&W 800 com este novo visual anos 60 e com o preço que é praticado aqui, vai encalhar nas prateleiras do distribuidor.

Dartzeel
10-09-15, 23:38
Que isso Neube,tem bobo pra tudo,digo,louco pra tudo,kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk.

TUTUBARAO
11-09-15, 07:57
Uns bobos que ganham muito dinheiro e podem comprar?

Quero me tornar um deles! rs

Pra esses caras não tem crise.:verde&:

Dartzeel
11-09-15, 08:58
Fala TUTU,não digo pelo dinheiro e sim pela feiura.....................

TUTUBARAO
11-09-15, 09:31
:OK:

Não sei se é a foto ruim, mas no facebook e nos foruns, lá de fora, tem gente achando maravilhosa.

Assim é se lhe parece!

http://www.whathifi.com/news/bw-reveals-new-800-series-diamond-speakers?utm_campaign=800%20reviews&utm_content=4226586&utm_medium=facebook&utm_source=Bowers%20%26%20Wilkins

TUTUBARAO
11-09-15, 09:33
http://www.bowers-wilkins.co.uk/Speakers/Home_Audio/800_Series_Diamond



http://www.bowers-wilkins.co.uk/Speakers/Home_Audio/800_Series_Diamond

Embora seja fã da Dynaudio eu achei show de bola!

Cantunes
11-09-15, 11:56
https://www.youtube.com/watch?v=_EpH2QsE77w

Radames
11-09-15, 15:38
Show de bola :-bd

E pelo visto a série 8 não foi pra China, bão demais :OK:

JulioCesar
11-09-15, 16:24
De memória eu me lembro de ter lido que o grupo B&W foi vendido para uma companhia chinesa ... Procede ?

von moltke
11-09-15, 19:48
A 800D3 que vai sair ano que vem vai ser um monstro!

luiz carlos
12-09-15, 15:48
Muito legal.

Luke
13-09-15, 14:21
Interessante ver que ao contrário do que a maioria faz, a B&W desta vez não alinhou os falantes com o baffle.

https://fbcdn-sphotos-f-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xfl1/v/t1.0-9/12003986_455684837965377_7193583934912093829_n.jpg ?oh=667160ea8a9ebdf6e9565b8fed0badea&oe=566FE3FC&__gda__=1453442558_3f8f697c05ae6b75f2d0ca28c07ec55 2

Link: http://www.theabsolutesound.com/articles/bw-unveils-the-800-d3-series/?utm_campaign=Newsletter&utm_medium=email&utm_source=email-413

:verde&:

Dartzeel
18-09-15, 00:11
Leve upgrade de caixas,saí 803D1 e entra 803D2

https://scontent-gru1-1.xx.fbcdn.net/hphotos-xtl1/t31.0-8/12001040_10201118101431867_4511939842649400013_o.j pg

https://scontent-gru1-1.xx.fbcdn.net/hphotos-xpf1/t31.0-8/11887547_10201118102271888_7448684223590325771_o.j pg

https://fbcdn-sphotos-b-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xtp1/t31.0-8/12038992_10201118102191886_6600842219664203172_o.j pg

thereizein
18-09-15, 08:02
Sua sala parece um pouco a minha do local do ouvinte....
Não sobra muita caixa ai não?

Enviado de meu ASUS_T00J usando Tapatalk

Dartzeel
18-09-15, 08:06
Com a D1 sobrava muito grave,com a D2 ficou tudo perfeito.

A D2 é muuuuuuuuuito superior em todos os aspectos,pensei que a diferença seria pouca,mas me enganei,ainda bem,fiquei feliz com este upgrade.

Dartzeel
18-09-15, 08:07
Me parece que a marca está ajustando suas caixas maiores para tocar em ambientes pequenos.

Dartzeel
21-09-15, 22:38
Essas 803D2 estão me deixando louco.......................

Dartzeel
07-10-15, 18:35
Atualização da sala,agora instalei difusores em toda a parede atrás das caixas.

https://fbcdn-sphotos-h-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xap1/t31.0-8/12068858_10201162296096706_9013743109200891415_o.j pg

https://scontent-gru1-1.xx.fbcdn.net/hphotos-xpt1/t31.0-8/12038881_10201162295696696_7557846445272853798_o.j pg

Cantunes
07-10-15, 20:53
Deve ter dado o maior trabalho, mas ficou muito legal. Parabéns! :applause:

JulioCesar
07-10-15, 22:09
Eu tenho,dúvida se estes difusores não deixariam o som um pouco morto , o que achou do resultado ?

Dartzeel
07-10-15, 22:12
Eu achei que o som fica mais seco,os médios destacam bem,já estive em estúdio de música e achei que o som está parecido.

Fora que dá uma sensação de som vindo de tudo em quanto é canto.

thereizein
07-10-15, 23:41
Os absorvedores não estão meio altos em relação ao driver de médios e tw das caixas?

Enviado de meu ASUS_T00J usando Tapatalk

JulioCesar
08-10-15, 07:59
Eu achei que o som fica mais seco,os médios destacam bem,já estive em estúdio de música e achei que o som está parecido.

Fora que dá uma sensação de som vindo de tudo em quanto é canto.

Então , francamente você acha o som melhor assim ? Essa falta de foco que você falou não te perturba um pouco ?

Aproveitando , vocês já fizeram a experiência de ouvir o som de vocês estando em pé ? É um pouco do que o colega falou , que o som ganha espacialidade , vindo de todos os cantos , o que acharam ?
Estou pensando em colocar uma mesa alta atrás do sofá e uma banqueta alta , como falei perde-se um pouco o foco , mas é bem interessante ...

anddre
08-10-15, 09:46
Aproveitando , vocês já fizeram a experiência de ouvir o som de vocês estando em pé ? É um pouco do que o colega falou , que o som ganha espacialidade , vindo de todos os cantos , o que acharam ?
Estou pensando em colocar uma mesa alta atrás do sofá e uma banqueta alta , como falei perde-se um pouco o foco , mas é bem interessante ...

Júlio,

Aqui em casa eu sinto a necessidade de, em uma futura casa, de ter um sofá mais alto pois o daqui é muito baixo.
Em relação a ouvir em pé, é uma experiência bem legal, em especial para torres realmente altas - de preferência maiores que a gente.

Quando você fizer a experiência, se tiver paciência, pode ser interessante ajustar um pouco o toe-in em função da nova distância do ouvinte para as caixas.

Um Forte Abraço,
André

JulioCesar
08-10-15, 10:26
Puxa vida Anddré , quando eu estava construindo a casa quase comprei uma cadeira de barbeiro , daquelas bem antigas de ferro fundido , pra usar na sala de audição , tinha uma aqui linda e super barato ... Não comprei porquê fiquei com preguiça de reformar e transportar , é pesada pra ****** .

Tem a possibilidade de poder ajustar a posição de inclinação vertical e horizontal das caixas ( todo mundo já gastou um tempo nisso ? ) , confesso que ainda não tive saco pra ficar ajustando isso pra posição ideal , mas poder ajustar a altura do assento seria muito legal também .

von moltke
08-10-15, 10:34
Fiquei com uma pena da nova 803, era apaixonado por aquele desenho das 803D2.

JulioCesar
08-10-15, 10:45
Em tempo , Dart , acho o visual destes difusores legal pra caramba . Ficou lindo , parabéns !

anddre
08-10-15, 12:23
Puxa vida Anddré , quando eu estava construindo a casa quase comprei uma cadeira de barbeiro , daquelas bem antigas de ferro fundido , pra usar na sala de audição , tinha uma aqui linda e super barato ... Não comprei porquê fiquei com preguiça de reformar e transportar , é pesada pra ****** .

Tem a possibilidade de poder ajustar a posição de inclinação vertical e horizontal das caixas ( todo mundo já gastou um tempo nisso ? ) , confesso que ainda não tive saco pra ficar ajustando isso pra posição ideal , mas poder ajustar a altura do assento seria muito legal também .

Júlio,

Cadeira de barbeiro seria bem diferente. Eu, careca que sou, com uma cadeira dessas seria piada pronta :laughing7:

A arquitetura daqui de casa é bem diferente - para começar ela é redonda. Só para ilustrar, a sala tem um piso com uma inclinação de fora para dentro em todas as paredes. O teto é inclinado no sentido da parede externa (arco externo) para a parede interna (arco interno). Além disso tenho "dois bloqueadores de onda" - um de cada lado - compostos por uma lareira enorme de um lado e uma coluna de sustentação sólida (não vazada), onde ainda temos um sofá fixo, do outro.

Por isso é que penso em fazer planos apenas para uma futura casa. Por agora eu já fiquei feliz de ter conseguido uma posição em que acredito ter minimizado esses bloqueios.

Em tempo, como as paredes são compostas por arcos distintos, fica até complicado traçar uma paralela para alinhamento das caixas já que a paralaxe te induz ao erro o tempo todo :(

Um Forte Abraço,
André

Dartzeel
08-10-15, 14:19
Única caixa até hoje que ouvi na qual o som me soou bem melhor sentado entre elas são as German Physics,parece um fone de ouvido gigante.

JulioCesar
08-10-15, 15:14
Anddré , nunca encanei muito com acústica pois é necessário tecnologia alienígena para compreendê-la . O que parece ser bom ás vezes não funciona e o improvável com frequência se mostra bom ...
Enquanto alguns dizem que a simetria é a melhor solução , já ouvi , e presenciei salas totalmente "doidas" como a sua soarem explêndidas , logo ...

Dart , uma vez o Eduardo ( Avantgarde) ,que era o representante à época , deixou com a turma dois pares das German Phisycs , a top e uma intermediária . Como você disse , o som que sai delas emula a sensação que citei , de ouvir em pé , como citei antes é realmente interessante , mas é muito estranho por conta da perda de foco . Amor ou ódio a primeira vista ...

KANAHA
08-10-15, 20:47
Atualização da sala,agora instalei difusores em toda a parede atrás das caixas.

https://fbcdn-sphotos-h-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xap1/t31.0-8/12068858_10201162296096706_9013743109200891415_o.j pg

https://scontent-gru1-1.xx.fbcdn.net/hphotos-xpt1/t31.0-8/12038881_10201162295696696_7557846445272853798_o.j pg

Lindos os difusores, onde comprou, estou querendo algo assim para minha sala dedicada que ficará pronta em breve.

Dartzeel
08-10-15, 23:35
Cláudio,eu mesmo montei,deu uma canseira danada,mas o resultado.................


Lembrando que fui colocando aos poucos,fiquei com medo de fixar todos de uma só vez e não gostar,mas aconteceu exatamente o contrário,kkkkkkkkkkkkkk

KANAHA
09-10-15, 08:18
Cláudio,eu mesmo montei,deu uma canseira danada,mas o resultado.................


Lembrando que fui colocando aos poucos,fiquei com medo de fixar todos de uma só vez e não gostar,mas aconteceu exatamente o contrário,kkkkkkkkkkkkkk

Cara, que trabalho fantástico, uma peça de cada vez .... Você é um verdadeiro artista, isto com certeza é uma obra de arte que merece todos os elogios, parabéns pela dedicação e paciência em juntar todas as peças para formar esta obra de arte. Eu queria ter pelo menos 10% da sua paciência ....

JulioCesar
09-10-15, 10:22
Bem o pessoal cobra R$ 1,400,00 por uma placa destas de 60X60 cm , se eu quisesse um painel deste tamanho eu acho que ia ter de arrumar paciência ... kkkkkkkk

Eu fui pro meio termo e comprei painéis de madeira genéricos ...

https://encrypted-tbn0.gstatic.com/images?q=tbn:ANd9GcSYhSoLRykrX_bHkVQULJpvE9rOam6WA S6o-QfW-VF-hWbeqq2p

Empresa - Oca Brasil .

paulotim
09-10-15, 10:59
Quanto pagou por cada um deles, Julio?
Abraço,
Paulo

JulioCesar
09-10-15, 11:04
Não lembro Paulo , faz um bom tempo , a empresa é de Salvador BA , por telefone eu acho que eles fazem venda direta .

paulotim
09-10-15, 11:11
Valeu, Júlio! Entrarei em contato.
Grande abraço,
Paulo

TUTUBARAO
09-10-15, 14:34
Júlio, vc já viu quanto os caras cobram por cada um daqueles pézinhos com molas que a gente coloca de baixo dos aparelhos?

250 reais cada um.
putzgrila merece um palavrão.
Vão tomar no cajúzeiro!
E a cidade de M que eu moro ,não se encontra um lugar pra comprar mola pra fazer 4 iguais por 10 reais.

Tudo é SP!:crybaby2:

TUTUBARAO
09-10-15, 21:38
Claudio Kanaha, dá para fazer o difusor bem mais barato .



Dá uma olhada nesses... fica igualzinho!

4949

4948

KANAHA
11-10-15, 23:02
Claudio Kanaha, dá para fazer o difusor bem mais barato .



Dá uma olhada nesses... fica igualzinho!

4949

4948

Boa Tutu ...... e para limpar é super prático ...... :ymsmug:

Dartzeel
31-10-15, 23:31
Hoje teve bão aqui em casa,recebi a visita dos amigos Neube e Emilson,depois sem saber de nada chega outro amigo,o Zé Antônio(esse não participa aqui do fórum) e de quebra ainda apareceu mais um,este nem imaginava aparecer por aqui,o conhecido João Milton.

Foi muita coincidência reunir essa turma gente boa aqui,fiquei muito feliz,uma pena que não pude fazer uma boa recepção nem servir lanche pois aqui em casa tá em obra e uma bagunça total,espero poder retribuir num próximo encontro a camaradagem de todos eles quando chego em suas casas.

Uma coisa eu tenho quase certeza,o Emilson e o Neube saíram daqui infectados com o vírus analógico,kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk.

Neube Braia
02-11-15, 12:27
Bruno,

Seu som está espetacular, nunca ouvi as B&W 803D2 tocando como na sua sala, Já tive todas as series da B&W, são caixas admiráveis, troquei de marca porque não concordo com o preço da B&W praticado aqui no Brasil, e a marca que escolhi não toca menos que uma B&W.
Agora a respeito do seu Toca Disco, além de ser uma obra de arte ele é fabuloso, não queria mais pensar em vinil, principalmente com a grande evolução dos SACD e Blu-Ray, mas como não admirar um espetacular som de um Toca Disco como o seu, somando com seu Pré e Amplificador valvulado, voltei a pensar em ouvir vinil de novo.

Abraço.

Neube.

TUTUBARAO
05-11-15, 15:58
5115 B&W 802 D X-OUVER

Os componentes são bons , mas não são ótimos

isso reforça a minha tese: que dá para fazer caixa bem mais barata e Melhor,

desde que se tenha habilidade , tempo e ferramental.

Eduardo
05-11-15, 16:07
Confirmo totalmente a sua tese... eu fiz !!! :verde&:

Apesar de alguns chatos não gostarem da cor... :laughing6:

TUTUBARAO
05-11-15, 17:13
È VERDADE! rs

Eu usaria esses componentes por serem o melhor custo benefício que já ouvir falar , vejo eles na maioria dos projetos

Nunca vejo por exemplo os duelund http://duelundaudio.com/

era o mínimo que se deveria esperar em caixas tão caras, que a propaganda nos vende como o padrão top.

Vejo que se preocupam mais com o embrulho do que com o recheiro.

O melhor argumento contra os alto preços é o motor 1.0 que vem dentro desses Gran Turismo, isso mata a alegria da gente.