Página 2 de 3 PrimeiroPrimeiro 123 ÚltimoÚltimo
Resultados 11 a 20 de 24

Tópico: Sala de Audição Crítica

  1. #11
    Excelente abordagem, De Morgan.

    Minha pergunta tinha exatamente esse intuito, o de aproveitar a discussão para estabelecer distinção entre os critérios adotados para melhor arranjo da sala de escuta musical.

    A GessoFilled tem a característica de fidelizar muito da reprodução da música erudita tal como ela é executada em teatros e salas de concerto. As ondas musicais surgem e passeiam pelo ambiente até seus ouvidos, dando a estes a impressão de espaço infinitamente maior e o sistema de reprodução "toca" como se lá estivessem todos os músicos fisicamente.

    Perguntei sobre outros estilos musicais porque com poucos instrumentos, sempre amplificados, não haveria tal similitude. Meu gosto musical inda pouco apurado também prefere jazz, blues, rock e outros estilos "novos" nascidos de classificações "applewindowsanas", como lounge, indie...

    Concordo que nossa memória auditiva é muito, muito curta (pelo menos a minha), mas nossa memória para sensações e sentimentos é praticamente eterna. Kardecistas bem sabe que, por vezes as carregamos duma existência para outra.

    Assim, descrevo como inesquecível o ouvir de algumas faixas de jazz postas pelo Holbein, na própria GessoFilled, em stereo. O arranjo sonoro dianteiro, somado aos woofers realmente deram essa formação de instrumentos e músicos construída pelos engenheiros durante a captação e mixagem dos álbuns. No caso a sala era a mesma, mas o sistema tocava de forma diversa daquela preferida pelo seu idealizador e proprietário.

    Inegavelmente são dois universos distintos, uma sala concebida para testes e avaliações daquela preparada para atender aos anseios particulares de um ouvinte de música. Acredito que alguns conceitos da primeira podem ser utilizados na segunda, mas nunca de forma imperativa, sob pena de desvinculação dela sala do seu dono.

    Para os estilos musicais menos eruditos que citei, entre outros tantos, acredito que a concepção e arranjos da sala sejam mais simples. No que respeita à eterna comparação de performance ao vivo com a reprodução eletrônica digo que da primeira em geral guardo a imagem, que vou associando à segunda quando ouço música em casa.
    Um Abraço,
    Marcello.


    - Ainda acho a qualidade da música mais importante que a qualidade do audio. Espero evoluir nisso um dia! -

  2. #12
    Como havia dito em outro post. Além da provocação inicial a finalidade era apenas divulgação, que hoje podemos construir uma sala para ouvir música, conversar ou outras atividades e principalmente para reproduzimos a show, filmes, etc. Com normas especificadas para os levantamentos de dados e construção do espaço sonora com agregação precisa de absorvedores ou refletores para equalizarmos ou corrigir anomalias do ambiente que irão influenciar na reprodução.

    Lógico nós podemos realizar uma construção na tentativa e erro e que o resultado seja do agrado do realizador. Uma analogia - Podemos comprar roupas padronizas e assentar muito bem. Mas se podemos fazer sob medida, a margem aos erros serão bem menor.
    Estas normas foram elaboradas visando o ambiente profissional de estúdio de gravação e teatros para uma audição crítica das gravações ou reproduções, sejam peças músicas, filmes, teatros etc. que podem ser aplicadas me salas de reprodução doméstica de áudio ou Home Theater. Através de uma firma especializada ou por esforço próprio.

    Exemplificando uma firma especializada a é RPG do Dr. Peter D’Antonio que com a divulgação dos refletores revolucionou as aplicações na arquitetura acústica.



    http://www.rpginc.com/wood_acoustical.cfm



    Aos que têm interesse em Acústica convido a ler as monografias da seção “Presentations” que são verdadeiras enciclopédias sobre Acústica.
    Principalmente a que homenagem do Dr. Manfred Schroeder.

    Manfred Schroeder_ A Personal Memoir
    http://www.rpginc.com/docs%5CTechnol...S%20Online.pdf

    From Mono to Surround:
    http://www.rpginc.com/docs%5CTechnol...o2Surround.pdf

    Na Internet temos tutoriais e programas gratuitos que auxiliam nos levantamento de dados e correção acústica da sala.
    Alguns para melhores esclarecimentos de acústica somente e deixando de lado a paixão audiófilica.

    Critical Listening for Studio Production



    How Sound Works (In Rooms)




    Jungle City Studios - Room Tuning


    Module 1 - Critical Listening - Step 2 - Perceived Space Graph


    Room EQ Wizard: REW Room Measurement Tutorial


    Abraços[]

  3. #13
    Citação Enviado originalmente por mmbdp Ver Mensagem

    Para os estilos musicais menos eruditos que citei, entre outros tantos, acredito que a concepção e arranjos da sala sejam mais simples. No que respeita à eterna comparação de performance ao vivo com a reprodução eletrônica digo que da primeira em geral guardo a imagem, que vou associando à segunda quando ouço música em casa.
    Ou não, né. Acho que depende dos hábitos e preferências.

    Agora eu acho que é praticamente impossível ter uma sala que agrade em todas as músicas, ainda que todas sejam bem gravadas.

    Como não existe um padrão na produção, não existirá uma na reprodução.

    Ainda que eu tenha bons fundamentos em termos controle de ressonâncias, posicionamento das caixas, do ouvinte, do controle das reflexões indesejadas e etc, a curva de resposta em frequência será diferente.
    Talvez, a melhor solução seja ter mais de um par de caixas, ou procurar algum ajuste de caixas e ambientes que sejam mais tolerantes com a utilização de equalização.

    Na música tipo 1 está faltando graves ? Então, aplique-se uma curva especifica de EQ.
    Na música tipo 2 está sobrando agudos ? Então, aplique-se uma outra curva especifica de EQ.

  4. #14
    Membro Avatar de CristianoLO
    Data de Ingresso
    Oct 2013
    Localização
    Porto Alegre/RS
    Mensagens
    866
    Sabem o quando haverá consenso sobre o tema? Nunca. Eu posso pensar igual a meia dúzia de pessoas, mas outra meia dúzia vai pensar de outra forma.
    Vejam, estilos musicais exigem cada qual seu tempo de reverberação adequado. Ter uma sala padronizada e deixar a cargo do produtor musical gravar e produzir o álbum de modo que ele já contemple esse tempo de reverberação seria uma possibilidade, aí talvez entre a ideia de uma sala de audição crítica, normalizada.
    Por outro lado, reverberação é um fenômeno que depende da interação das ondas sonoras na face de todas as paredes da sala, então não poderíamos acreditar que emular isso em apenas dois canais frontais seria adequado, pois não haveria a interação com a sala.
    Então, o que vocês preferem? E há outros caminhos heim...

  5. #15
    DeMorgan:"Talvez, a melhor solução seja ter mais de um par de caixas, ou procurar algum ajuste de caixas..."

    Essa é uma "solução" sensata: os multifalantes. Pratico-a faz decênios, sempre com bom resultado. Requer algum conhecimento de acústica e eletrônica como, por exemplo, o bom jogo das fases elétrica e acústica; a) às vezes há "melhora" audível (ou sensível?) só com a troca da fase elétrica. Pôr todas as tomadas de força com a mesma fase pode não ser bom porque alguns aparelhos têm suas entradas de força circuitadas com forma contrária; os aparelhos (ledores) digitais, escreveu o Professor Pulman, requerem trocar a fase elétrica (por meio de adaptadores) a fim de produzirem mais prazerosa ilusão de palco. b) algumas caixas de subgrave harmonizam-se melhor se trocadas as fases. Os falantes traseiros, idem.

    Ensaio e erro é a chave da solução.
    Última edição por Holbein; 04-08-14 às 14:06.

  6. #16
    Vejam que sala de demonstração interessante da Firma de Caixas acústica customizada Zupspitz, não confundir com Zugspitze o pico mais alto da Alemanha.
    Os refletores acústicos da parede são de pedras.

    Reportagem do site: http://www.6moons.com/audioreviews2/zugspitz/1.html










  7. #17
    Membro Avatar de carlos.simoes
    Data de Ingresso
    Apr 2012
    Localização
    Aracaju (Cajueiro dos Papagaios)
    Mensagens
    668
    Pessoal,

    Vocês têm o contato do Frost? Caso seja possível, permitido por ele.

    Abração.

    Carlos

  8. #18
    Sala de audição do lendário engenheiro Dick Burwen.

    Veja a sua biografia para ter-se uma pequena ideia de suas atuações em vários campos da ciência e realizações.

    Leia os interessantes artigos sobre Áudio.
    http://www.burwenaudio.com/Dicks_Tidbits.html

    http://www.burwenaudio.com/Sound_System.html


    Dick Burwen's 20,000 Watt Home Hi-Fi System













    Última edição por Airton Mathias; 10-02-15 às 22:14.

  9. #19
    * Membro VIP * Avatar de fibra
    Data de Ingresso
    Apr 2011
    Localização
    Campinas - SP
    Mensagens
    4,813
    Airton, que loucura ! Isso aí já em 1976 !

    Abraço.
    █ AMD FX-8350 @ 4.7GHz █ Thermaltake Water 3.0 Performer █ Gigabyte 990FXA-UD3 Rev. 4.0 █ Corsair AX860 Full Modular 80 Plus Platinum █ Kingston HyperX Fury Blue 1866MHz HX318C10F/8 (1 x 8GB) @ 2099MHz [CL9,11,10,30,42] █ 3 x Samsung 840 EVO 120GB SSD em RAID0 █ AMD Radeon HD3870 core@900MHz mem@1250MHz █ Corsair Carbide Air Series 540 █ NZTX's Sentry Mesh Fan Controller

  10. #20
    Difusores

    Áudio Sonora apresenta: DIFUSORES E ABSORVEDORES ACÚSTICOS


    How To Assemble The Acoustic Fields DIY Diffuser Kit



    Flexifuser adjustable diffuser-absorber


    How to make a Fibonacci Spiral television diffuser


    Acoustic Diffusion / Scattering Demonstration

Permissões de Envio de Mensagem

  • Você não pode iniciar novos tópicos
  • Você não pode enviar respostas
  • Você não pode enviar anexos
  • Você não pode editar suas mensagens
  •