Página 1 de 4 123 ... ÚltimoÚltimo
Resultados 1 a 10 de 37

Tópico: Acústica nas conversas em salas e quartos

  1. #1

    Acústica nas conversas em salas e quartos

    Se você está numa sala ou quarto não tratado acusticamente, conversando com alguém, você não fica pensando que o som proveniente da fala das pessoas está distorcido. Pelo contrário você acha natural, sem distorção, sem artificialismo. Você jamais vai pensar em tratar a acústica da sua sala com a finalidade de conversar com as pessoas.

    Então porque é necessário, na maioria das vezes tratar o ambiente acusticamente para reproduzir música?

    Acredito que é por conta da tecnologia de reprodução musical ainda ser ineficiente.
    Como a tecnologia avança, principalmente o digital, acredito que no futuro o tratamento acústico e elétrico influirá minimamente na qualidade do som. Os equipamentos se adequaram a qualquer tipo de sala e energia elétrica. E também se você quer um som mais valvulado, ou mais transistorizado, ou absurdamente natural, aperte o botão e os processadores digitais farão o trabalho.

  2. #2
    Ivan,

    Quando você está numa sala conversando com alguém, você não está preocupado com a qualidade da voz, mas tão somente com a compreensão da fala.
    É outro compromisso.
    Além disso, você está perto da pessoa, sem muita preocupação com as ondas refletidas ou com a perfeita formação do palco sonoro.
    O posicionamento das caixas e as reflexões do ambiente interferem muito na reprodução de música numa sala.

    Neste final de semana que passou, eu estava conversando com algumas pessoas numa sala totalmente vazia, e o eco estava muito presente. A compreensão da fala foi tranquila, como deveria ser, mas dava para perceber o eco interferindo bastante no som.

    Concordo totalmente com você que a tendência é que os equipamentos no futuro atinjam um grau de sofisticação tecnológica tão grande que eles vão analisar a sala, os sons e corrigir tudo automaticamente, muito parecido como o que já fazem hoje alguns equipamentos avulsos.
    Eu defendo esta idéia há algum tempo, mas ainda há uma resistência muito grande da comunidade audiófila, que se preocupa muito mais com os equipamentos em si e pouco com as correções de sala, de audição e dos próprios equipamentos.
    Gasta-se, por exemplo, uma fortuna totalmente desnecessária em cabos para se ter um resultado final ainda bem longe do ideal.

    As publicações especializadas também fogem do tema, pois admitir isso seria muito prejudicial para elas.
    Eduardo

    ____________________________________________

    Audiofilia: Retroceder Nunca, Render-se Jamais

    www.hifiplanet.com.br

  3. #3
    * Membro VIP * Avatar de Marcivs
    Data de Ingresso
    Jun 2015
    Localização
    Nova Petropolis
    Mensagens
    902
    Ivan, não concordo muito com seu argumento, pois como professor, passo(minha garganta) maus bocados, dependendo da sala, umas são mais mortas e outras mais vivas, algumas acabam com a voz, e o ideal seria salas tratadas acusticamente para se dar aulas e não estressar a voz e o ouvido dos alunos...... Por outro lado, a preocupação com as salas existe sim, não só na audição de musica eletronicamente, mas também, nos teatros, conseguindo-se resultados top como a da sala Musikverein em Viena......que deve ser acusticamente muito mais interessante que a Sala São Paulo, ou que o Teatro São Pedro em Porto Alegre, que não são ruins , mas tem limitações....IMHO

  4. #4
    Márcio,

    Novamente, no caso que você citou, também temos uma "apresentação", com voz distante e condições não ideais de posicionamento entre orador e ouvintes. Se nesta mesma sala vocês ficarem juntos de pé ou sentados numa pequena roda, isso muda.
    Acho que o Ivan fez uma comparação com uma conversa entre duas ou mais pessoas juntas numa sala. Baseado na compreensão da conversa, se perguntou porque um sistema de som exigiria um tratamento acústico? Acho que essa foi a sua idéia.
    Um teatro, uma sala de aula ou um salão de palestras acabam formando outra condição de audição, e nestas condições se perde a compreensão e há uma fadiga auditiva, realmente.
    Eduardo

    ____________________________________________

    Audiofilia: Retroceder Nunca, Render-se Jamais

    www.hifiplanet.com.br

  5. #5
    Sala de aula onde fiz faculdade.
    Todas acusticamente tratadas, não existindo necessidade de gritar, nem para o professor nem para qualquer aluno.

    Como fazer uma busca eficiente no fórum sobre um tema que você tem interesse: http://www.clubehiend.com.br/forum/s...ll=1#post67474

  6. #6
    Membro
    Data de Ingresso
    Jul 2012
    Localização
    Campina Grande, PB
    Mensagens
    99
    Também defendo essa questão do ambiente mais adequado acusticamente.

    Trabalho basicamente em duas salas. Em uma delas tem forro de gesso e paredes de vidro. HORRíVEL! Quando o colega está falando com alguém não consigo falar ao telefone. Na outra sala o forro é acústico (tipo Isover) - complemente diferente. Conforto acústico é extremamente importante no ambiente de trabalho.

    Quer outro exemplo: vá em um bar ou restaurante com forro acústico. As pessoas conseguem conversar sem ter que gritar.

    Marcelo

  7. #7
    * Membro VIP * Avatar de Marcivs
    Data de Ingresso
    Jun 2015
    Localização
    Nova Petropolis
    Mensagens
    902
    Que maravilha isto.....onde é que envio o Curriculum Vitae.....

  8. #8
    Citação Enviado originalmente por Marcivs Ver Mensagem
    Ivan, não concordo muito com seu argumento, pois como professor, passo(minha garganta) maus bocados, dependendo da sala, umas são mais mortas e outras mais vivas, algumas acabam com a voz, e o ideal seria salas tratadas acusticamente para se dar aulas e não estressar a voz e o ouvido dos alunos...... Por outro lado, a preocupação com as salas existe sim, não só na audição de musica eletronicamente, mas também, nos teatros, conseguindo-se resultados top como a da sala Musikverein em Viena......que deve ser acusticamente muito mais interessante que a Sala São Paulo, ou que o Teatro São Pedro em Porto Alegre, que não são ruins , mas tem limitações....IMHO
    Marcivs,
    acredito que o problema você pode ter na garganta é por falar alto na sala de aula. Este problema se resolve com um microfone. Ja as salas normais das nossas casas são geralmente menores que as salas de aulas. E não precisamos falar alto para que possamos ser entendidos.
    Com relação as salas de teatro, devido ao tamanho grande, comparado com as nossas salas, é necessário tratamento acústico.

  9. #9
    Citação Enviado originalmente por Eduardo Ver Mensagem
    Márcio,

    Novamente, no caso que você citou, também temos uma "apresentação", com voz distante e condições não ideais de posicionamento entre orador e ouvintes. Se nesta mesma sala vocês ficarem juntos de pé ou sentados numa pequena roda, isso muda.
    Acho que o Ivan fez uma comparação com uma conversa entre duas ou mais pessoas juntas numa sala. Baseado na compreensão da conversa, se perguntou porque um sistema de som exigiria um tratamento acústico? Acho que essa foi a sua idéia.
    Um teatro, uma sala de aula ou um salão de palestras acabam formando outra condição de audição, e nestas condições se perde a compreensão e há uma fadiga auditiva, realmente.
    é esse mesmo o meu pensamento Eduardo.

  10. #10
    Eduardo,
    Não conheço ninguém que mora em uma casa em que a sala é vazia. As salas das nossas casas não são vazias, geralmente tem sofá, estante, mesa, cadeiras, cortinas. E claro, se a sala da minha casa estiver vazia vai soar de maneira desagradável.
    Nunca ouvi nenhum sistema de som que reproduzisse vozes tão perfeitas, de forma tão natural quanto as que eu escuto sendo reproduzida por pessoas na sala da minha casa. Talvez seja pelo fato de ter escutado poucos sistemas de som de nível verdadeiramente high end.

Permissões de Envio de Mensagem

  • Você não pode iniciar novos tópicos
  • Você não pode enviar respostas
  • Você não pode enviar anexos
  • Você não pode editar suas mensagens
  •