Página 2 de 12 PrimeiroPrimeiro 1234 ... ÚltimoÚltimo
Resultados 11 a 20 de 113

Tópico: Clube da Sala Pequena

  1. #11
    Felipe,
    Se nao tem limitações estéticas para convívio social então você já andou 50% do caminho.

    Leonardo

  2. #12
    Obrigado Leonardo!
    O que vc poderia sugerir para essa sala? As caixas em qual parede, na de 3,54 ou na de 3,80? E quanto aos afastamentos entre elas, das paredes laterais, de fundo(caixas e sofá)...
    Desde já agradeço.
    Abs!

    Citação Enviado originalmente por Leonardo Ver Mensagem
    Felipe,
    Se nao tem limitações estéticas para convívio social então você já andou 50% do caminho.

    Leonardo

  3. #13
    Felipe,
    Quando o comprimento é consideravelmente maior que a largura do ambiente eu sempre prefiro as caixas na parede menor, assim evitamos de encostar o ouvido na parede de trás, algo que eu não gosto. Muito preferem ao contrário e não se incomodam com a parede de trás muito próxima.
    Recomendo você testar qual opção fica mais agradável para você.

    Após você decidir qual configuração fica melhor, eu sempre recomendo fazer o que está nesses dois tópicos abaixo.

    http://www.clubehiend.com.br/forum/s...wfull=1#post84

    http://www.clubehiend.com.br/forum/s...is-Ac%FAsticos

    abs
    Leonardo

  4. #14
    Membro
    Data de Ingresso
    Jun 2012
    Localização
    Brasil
    Mensagens
    2,588
    Atualmente tenho 5 pares de caixas DIY e dois subwoofers, um diy em linha de transmissão e um velodyne bass reflex, sendo que já passaram outros dois subs, um mirrage BR e um SVS selado,

    e, com todas as caixas e subs, fiz testes com tons de frequência medidos com decibelímetro, e o que ocorre em minha pequena sala é um reforço na frequência em torno dos 65hz e oitava acima, primeira 130hz...

    Este reforço vem da interaçao elétrica/fonte/caixa/cabos/ambiente, mas em todos os casos o reforço é maior nos 65hz.

    Será que todas as minhas caixas e subs combinaram de reforçar os 65hz?

  5. #15
    * Membro VIP * Avatar de JIG
    Data de Ingresso
    May 2012
    Localização
    Porto Alegre City
    Mensagens
    545
    Luke,

    As dimensões da sala ditam os comprimentos de onda, portanto, a frequencia que será reforçada e a que será atenuada em cada caso. As atenuações nós chamamos de vales e os reforços de picos.

    Como as dimensões da sua sala não mudaram durante as trocas de sub´s, os reforços e/ou atenuações não poderiam mudar de frequencia também.
    Última edição por JIG; 04-07-12 às 18:17.
    Abraço,

    João


    A humanidade está perdendo seus gênios! Aristóteles faleceu, Newton já era, Einstein morreu e eu não estou me sentindo bem.

  6. #16
    Luke,
    Tente colocar o falante no centro do ambiente e coloque um microfone o mais perto possível do falante para minimizar a interferência das reflexões. Dai faça uma medição das freqüências que você citou. Se elas sumirem esses picos são resultado das reflexões do ambiente e não dos equips.
    Se usar fullrange é mais fácil porque da pra colocar o mic quase encostado no driver.

    Leonardo

  7. #17
    Citação Enviado originalmente por JIG Ver Mensagem
    Luke,

    As dimensões da sala ditam os comprimentos de onda, portanto, a frequencia que será reforçada e a que será atenuada em cada caso. As atenuações nós chamamos de vales e os reforços de picos.

    Como as dimensões da sua sala não mudaram durante as trocas de sub´s, os reforços e/ou atenuações não poderiam mudar de frequencia também.
    É verdade, o tamanho da sala tem estreita relação com a extensão das frequências nela reproduzidas; mas não é uma verdade absoluta; aliás, não existem verdades absolutas...

    Porque uma frequência da ordem de 50 Hertz, na teoria pediria sala cujo comprimento fosse a metade do comprimento dessa frequência, ou seja, em torno de seis metros; em termos absolutos isso quer implicar que para se reproduzir tal frequência carecer-se-ia sala cujo comprimento tivesse tal medida. Na prática, porém, não funciona assim; porque uma sala de três metros também registra frequênmcias de 50 Hz... desde que o falante do subgrave seja posto atrás. E há, ainda, a eletrônica que pode exitar tal frequência ao ponto de ela ter condições de "existir" na sala pequena.

    De mais a mais, numa coleção de discos de 1000 unidades, talvez não mais que uma dúzia registre frequências dessa ordem.

    Tudo é relativo. Minha pequeníssima sala "gesso-filled" proporciona-me mais prazer auditivo, e conforto para longas audições do que as salas do Rio (50m²) e de Floripa (36n²).

    Relativo, tudo é relativo!

  8. #18
    Membro
    Data de Ingresso
    Jun 2012
    Localização
    Brasil
    Mensagens
    2,588
    Em teoria, a menor frequência, ou o maior comrpirmento de onda que cabe numa sala seria dado pela fórmula diagonal maior dividido pela velocidade do som.

    Mas esta mesma toria cai por água como disse o Holbein e eu aqui em minha sala mais todos qua já vieram aqui já puderam ver que minha sala contraria a fórmula.

    Bom, mas o que eu queria mostra era que cada sala vai introduzir reforço em frequências diferentes e cabe ao audiófilo a identificação das frequências que estão atrapalhando.

    Esta conversa minha com o Holbein começou noutro tópico:

    Citação Enviado originalmente por Luke Ver Mensagem
    Tb penso assim, difusores atrás das caixas e no teto e, absorvedores, nas parades laterais e atrás da posição de audição.

    Em minha sala de 10m2 uso 12 paineis de absorvadores na parede atrás de mim.

    Fui testando colocando paineis e cheguei a por até 16 paineis, mas aí a sala começou a ficar morta, tirei 4 e fechei com 12 paineis.

    Tb utilizo-me de um armário bass-trap. rssss

    É que com a porta aberta, os graves ressonantes entram lá pra dentro e ficam entre as roupas de cama, mesa e banho

    Funciona que é uma beleza.

    Basta fechar e abrir a porta para notar a diferença.

    Citação Enviado originalmente por Holbein Ver Mensagem
    É claro que o "armário bass-trap", Luke, ou qualquer armário de roupa é um excelente absorvedor de ondas sonoras. Mas é preciso entender, inda que não seja obrigatório aceitar que sala de alvenaria com concreto não vibra, e se não vibra não ressoa; ressonâncias são produtos de vibrações, provou exaustivamente Gilbert Briggs, o falecido dono da Wharfedale.

    Ora, numa sala de alvenaria e concreto se ocorrerem ressonâncias, chercher la femme , quer dizer, examine as caixas... de madeira! Porque madeira, esta vibra, e gera ressonâncias.

    Reverberação, segundo o Dr. Amar Bose, é que faz com que 89% das ondas sonoras cheguem aos nossos ouvidos; num teatro, ouvimos apenas 11% de onda sonora direta!

    Portanto, chegar a essa matemática do Professor Bose é o segredo para a boa reprodução doméstica. Não sei se o Maurício Grassman leva esse "achdo" do Bose em consideração nos seus dele cálculos.
    Citação Enviado originalmente por Luke Ver Mensagem
    Seja bem vindo Holbein

    Siga o link: http://www.clubehiend.com.br/forum/s...ull=1#post3405

    Voltando e afirmando que no meu caso, todas as minhas caixas diy foram projetadas e construídas de modo que tem uma resposta a mais plana possível,

    sem barriga nos graves, e mesmo assim minha sala acrescenta ganhos em 65hz.

    Aqui resolvi esta equação criando um vale na resposta do sistema na região em questão, os 65hz.

    Nem o sub sob até lá, nem as satélites descem até lá.

    Uso o Sub setado entre 20hz a 40hz - 12db e as torres setadas em 65hz a 40khz -3db.

    Some o vale na resposta do sistema com o reforço da sala e o resultado são os graves maravilhosos que colho por aqui
    Última edição por Luke; 05-07-12 às 08:04.

  9. #19
    * Membro VIP * Avatar de JIG
    Data de Ingresso
    May 2012
    Localização
    Porto Alegre City
    Mensagens
    545
    Citação Enviado originalmente por Luke Ver Mensagem
    Voltando e afirmando que no meu caso, todas as minhas caixas diy foram projetadas e construídas de modo que tem uma resposta a mais plana possível,

    sem barriga nos graves, e mesmo assim minha sala acrescenta ganhos em 65hz.

    Aqui resolvi esta equação criando um vale na resposta do sistema na região em questão, os 65hz.

    Nem o sub sob até lá, nem as satélites descem até lá.

    Uso o Sub setado entre 20hz a 40hz - 12db e as torres setadas em 65hz a 40khz -3db.

    Some o vale na resposta do sistema com o reforço da sala e o resultado são os graves maravilhosos que colho por aqui

    É isso meus amigos...Uma vez localizados os picos e vales na resposta da sala, partimos em busca de vários caminhos diferentes que podem ser simultâneos ou não para "aplainar a resposta".

    A solução pode ser esta que o Luke usou (compensando na resposta do equipamento) ou pode se usar absorvedores e difusores, ambos sintonizados ou, ainda, ser mais radical e mexer na construção da sala fisicamente.
    Abraço,

    João


    A humanidade está perdendo seus gênios! Aristóteles faleceu, Newton já era, Einstein morreu e eu não estou me sentindo bem.

  10. #20
    E sobre o tempo de reverberação dos graves, como vocês fazem para ajustar?

    abs
    Leonardo

Permissões de Envio de Mensagem

  • Você não pode iniciar novos tópicos
  • Você não pode enviar respostas
  • Você não pode enviar anexos
  • Você não pode editar suas mensagens
  •